New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Ter Out 23, 2018 10:49 am

Rugall Salles
Carpe Noctem, Newark 


Spoiler:

Aquela busca estava ficando cada vez mais animalesca, caçar era uma habilidade mais bestial, um sentimento que Rugall aflorava com o poder do auspicios alimentado com se instinto de sobrevivencia. 

Teste escreveu:Rugall Teste de Percepção + Sobrevivência Diff. 4 = 1 Sucesso

O cheiro do sangue estava entranhado em sua mente. O Cheiro do medo, como planejado a sala de massagens foi liberada e esvaziada, mas July manteve o plano de não retirar ninguém do Carpe Noctem, as portas ficariam fechadas até que os alvos fossem capturados. 

O rastro do sangue levou Rugall ao departamento dos funcionários, era um compartimento onde havia banheiros, vestiários para trocas de roupas, uma pequena cantina e área de lazer. Tudo para que a comodidade dos seus funcionários fosse preservada. O lugar não era muto amplo mas havia vários lugares onde eles poderiam se esconder, nos banheiros, dentro do forno ou quem sabe na dispensa. Mas para sua surpresa, nenhum dos dois estavam escondidos. A dupla estava aparentemente acoada em um cando do vestiário, mas havia algo fácil demais. A jovem Gillian estava sendo auxiliada por um homem de terno, era um dos motoristas da empresa, ele parecia com muito mais medo do que Gillian, a garota improvisava uma atadura para sua perna quando se deparou com o monstro Rugall, o jovem desesperado correu para os chuveiros de tanto pavor, Rugall fez questão de deixar o local mais escuro de propósito para que sua coerção fosse mais efetiva. 

Aqueles olhos vermelhos causariam o terror a qualquer ser humano. Mas não em Gillian, era incrível como naquele momento de intensa demonstração de poder, Rugall se lembrasse justamente de seu senhor. 

"Eu estarei sempre na sua Alma Anton..." 

Assim que escutou essas palavras, Rugall olhou novamente para onde estava Gillian e tudo o que viu foi uma versão da Gillian de 3 anos de idade. Estava sentada no chão com a perna machucada exatamente como Gillian, não chorava, mas parecia desconsertada e perdida. 


Spoiler:

Rugall Salles 
- PDS 6/10  
- FDV 5/6  
- Vitalidade Escoriado Agravado
- Forma Horripilante +3 Nos atributos Físicos, Atributos Sociais  = 0 
- Auspicios Ativado

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por mitzrael em Ter Out 23, 2018 11:36 am


Herick olhava a farra que acabará de fazer , e isso lhe trazia uma senssação de extasi do tempos dos rachas , e isso fazia ele se sentir melhor .

mas logo algo uma mensagem o trasia para seu novo mundo .

ok Aiz venha imediatamente pra ca vamos nos encontrar junto com o Principe temos de mostrar isso a ele .

ok Francis fique ai não deixe ser visto estou indo ao proncipe agora vou mostrar o que
Aiz descubriu e assim levar todos desponiveis pra esteminar esse mal aqui na cidade de uma vez por todas quem sabe isso a Alastor tbm va pra aquecer antes da grande batalha .entendo Lelouch foi pro lugar mas perigoso confio nele e vcs tambem tem de ter , depois de resolvermos esses percalços iremos na direção dele , agora sei onde Alisha esta escondida , vamos resolver dois problemas em um .


Pensando : me sinto mal em ter mandado eles como iscas pra saber onde Alisha tava
escondida , acabei jogando como ja jogaram comigo , fiz deles meus pioes , mas não posso deixar que aquele futuro em que vivi aconteça , tenho de deter tudo isso .


Herick falava se sentando na moto e disparando em toda velocidade pra encontro com o principe .

Twisted Evil Twisted Evil


avatar
mitzrael

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 38
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Undead Freak em Qua Out 24, 2018 10:52 am

Mesmo o peso daquela carga orgânica, se é que pode ser chamada assim, não desanimava Vallek. O malkaviano estava encantando com o seu novo poder e aquela forma terrível, grotesca e perturbadora era quase como a exteriorização de sua mente, jogada de forma abstrata em um quadro humanoide e ambulante. Ele teve dificuldades em escalar e chegar até o sétimo andar mais uma vez, mas o sorriso não abandonou seu rosto.

-- Esmagar, matar, destruir... Esmagar, matar, destruir... Esmagar! Matar! Destruir!

Um vulto rápido e furtivo foi percebido por Vallek, e foi nesse momento apenas que ele se calou. Ele não sabia dizer se era Tom, mas ele desejava que Tom aparecesse. O irmão de clã estava com a sacola de explosivos, e isso certamente seria útil com as torretas que ainda teimavam em formar resistência contra o avanço deles.

-- Péssima hora para jogos... Péssima hora, de fato.

Vallek olhava para o corredor. Ele sabia que tinha de avançar e, agora com esse novo poder, ele se sentia confiante o bastante para atacar de frente; mas um pensamento inquietante lhe veio a mente. E se o vulto não fosse Tom? E se eles não estivessem sozinhos naquele lugar?

Off: Ativo Sentidos Aguçados. Buscar e patrulhar.
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 29
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Fuuma Monou em Qui Out 25, 2018 1:05 pm

Apesar da transformação em meu corpo, continuo cercado por Cainitas que não conheço... minha única certeza é que são realmente Imortais. Ao ficar de longe, observando suas auras, é fácil dizer que são guerreiros muito bem treinados, o sabor da batalha os diverte, a caçada é o único foco real daquele ser que se diz o Anjo da Morte. Isso, por si só, é um indicativo de que ele é membro de uma 'organização' focada nesse tipo de trabalho. Mas se é realmente quem diz ser ou não... é impossível ter a certeza.

Movo meu corpo ameboide até a Fera, que luta com suas últimas forças para acabar com inimigos que aparentemente são mais fortes que ele. Afinal, se eles o quisessem morto, ele estaria agora capotado no chão em pedaços. Imagine se eu tentasse algo, mesmo com o corpo sadio de outrora, tudo o que eu conseguiria ganhar é uma morte rápida. A Criatura fica mais nervosa ao ter os sentidos que o guiam no meio da mortalha burlados por minha presença tomando conta de seu rosto. Ela fica confusa, não sabe o que ou para onde atacar. Mais golpes do Anjo da Morte vem em suas articulações. Posso sentir claramente que seu corpo usa as últimas reservas de força. Ele está para desabar.

Lobos surgem em meio a escuridão da Mortalha das trevas. Só eu deveria estar enxergando, mas ao que parece todos os que estão aqui podem se locomover sem problemas. Isso é algo a ser discutido com os demais Benetti... se é que um dia chegarei a revê-los. Talvez algum outro Lasombra mais antigo...

"- Será que verei algum deles de novo?" - Penso no momento em que os animais atacam a Fera. O 'Anjo' fala. Parece haver algum tipo de veneno em suas facas. A que clã ele deve fazer parte para ter uma forma tão peculiar de atacar.... Desenrolo meu corpo da Criatura e afasto-me mais uma vez daquele grupo de estranhos. Preparo-me para sumir da vista deles o mais rápido possível quando meu corpo danificado pelo fogo começa a sentir as mudanças no ambiente. O maior terror dessa forma corpórea está para surgir no horizonte, o Sol. Se eu me movesse mais alguns metros, seria meu fim.

Um dos lobos retorna a forma humana e avisa que o abrigo deles está pronto. Uma dúvida cruel surge em minha mente, morrer para o astro rei ou ser torturado, se eles forem inimigos. Por outro lado, se estiverem falando a verdade, e forem a Mão Negra, meu trabalho estará completo e poderei correr desesperadamente atrás de Lars e dos demais companheiros do Insight.

"- Morrer agora ou ter a possibilidade de salvar Lars?" - Isso me tortura por alguns momentos, me afasto um pouco mais do corpo estendido no chão e de meus ditos companheiros de Sabá. Estou a alguns metros deles agora. Minha mente começa a ficar turva com o dia que vai surgindo em algum lugar do horizonte.

Anjo da morte escreveu:- Nossos asseclas conduzirão o alvo abatido até a nossa fortaleza, nossa missão está terminada, Benetti, precisa vir conosco, isso não é um pedido é uma requisição da Manus Nigrum.

Meu corpo retorna a forma humana, deixando para trás as sombras do Abismo. - Seguirei com vocês sem demora, mas me digam a quanto tempo estão atrás de mim... Encontrei anteriormente com um outro Cainita que se disse parte da Mão, mas ele sumiu pouco depois de ter aparecido. - Minha dúvida primeira é externada. O quanto eles sabem. - E quem é foi a responsável por esta missão?

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 29
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Bahamut em Sex Out 26, 2018 1:40 am

Rugall fareja a sua presa e para sua surpresa, o esconderijo dela era a sala de descanso e alimentação dos funcionários. Lá estavam ela e seu cúmplice. Os olhos vermelhos de Rugall surgindo na escuridão chamaram a atenção dos dois, particularmente do homem que em pânico se arrastou para o mais longe possível da figura monstruosa, consequentemente para longe de Gillian. Rugall estava sorrindo fitando Gillian que mantinha o mesmo olhar frio e desafiador de antes. Ela já estava ao seu alcance quando algo estranho aconteceu.

"Eu estarei sempre na sua Alma Anton..."

A voz de Nirrhtak surgia na mente de Rugall, forte e clara. Rugall perdeu o foco por um instante mas imaginou ser um devaneio, voltando a sua atenção para Gillian. Ela porém não estava mais lá. Em seu lugar, uma criança de 3 anos de idade com os traços e a roupa de Gillian. A sede de Rugall aumentou. Gillian já era saborosa para ele e provar da pureza do sangue de uma criança seria inebriante neste momento. Rugall bufou imaginando o sangue fluindo em sua garganta e os gemidos da criança tomarem conta do recinto. Ele retesou suas costas, lambeu os beiços e preparou o bote, mas se deteve. Sua mente deteve a investida, repetindo a frase de Nirrhtak, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo... Rugall se viu presenciando as orgias pedófilas de Nirrtak, regadas a sangue, tortura sexual e mortes extremamente dolorosas e grotescas. Criança após criança Nirrhtak se deliciava em seus rituais profanos enquanto Rugall, outrora Anton, era forçado a presenciar. então se lembrou do que sentiu em todos aqueles momentos e o que o fez fugir de todo aquele show grotesco de horror e pânico. Seus olhos queriam Gillian, seu instinto o faria devorar o seu sangue enquanto deflora os orifícios intocados daquela criança e depois antes que ela perdesse os sentidos a esquartejaria cheio de ódio com sua força descomunal, terminando por estripa-la para decorar o cômodo com suas entranhas, mas sua mente ainda se mantinha firme, tomando lentamente o controle do corpo e acalmando o astral pesado que tentava lhe sobrepor.

Rugall não voltou a olhar para Gillian, simplesmente foi em direção ao seu ajudante, um dos motoristas da empresa, alcançou-lhe a cabeça com suas largas mãos, agarrando-o pela boca e arrastando-o até o calabouço. Ao sair do espeço dos funcionários Rugall trancou a sala por fora e no caminho para o calabouço enviou mentalmente para July a localização de Gillian e instruções para que ela enviasse os seguranças para lá e que eles a trancassem em outro calabouço.

Rugall prendeu o motorista em grilhões e correntes do calabouço, olhando-o bem dentro dos olhos e guturou vigorosamente.

Rugall: - Cometeu um erro essa noite. A partir de hoje não cometerá mais erro algum.

Rugall esperou que os seguranças chegassem no calabouço ao lado, prendessem Gillian e voltassem aos seus postos para só depois socorrem Lilly. Ela estava ainda em seu escritório, sentada no chão escorada na parede com as mãos nos olhos e soluçando. Rugall a pegou pelos braços e a levou no colo até o seu quarto, deitando-a levemente na cama. Lilly sentiu as mãos grandes e ásperas alcançarem o seu corpo, o grande corpo gélido erguendo-a compassos pesados até a cama. Ela ficou em silêncio apreensiva sem saber o que iria acontecer. Ela viu a criatura monstruosa e sabia que ali estava o seu senhor, mas o que será que ele iria fazer?

Rugall: - Concentre-se pequena. Deixe o meu sangue fluir em suas veias. Mantenha o foco em seus olhos e faça-os enxergar novamente. O poder do meu sangue irá curá-la.
avatar
Bahamut

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 35

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Bad em Sex Out 26, 2018 10:49 pm

Tom receoso com tudo aquilo, aquela cena, aquilo sim foi algo diferente para Tom, já vivera muitas coisas em suas não vida, mas aquele rumo, não é algo comum, podia arriscar que esse tipo de cena não era comum nem em meio vampírico, após se esconder, tentou acalmar sua mente, começou a imaginar Aislin nua, lembrou a noite em que conheceu seus irmãos de clã, a praça, tudo normal, nada de bunker e maquinas, * porra nem focar em um pensamento eu consigo*
A viagem mental de Tom durou mais que ele conseguiu imaginar... depois de alguns segundos conseguiu ouvir um aviso vindo de vallek, mais parecido com o padrão de fala comum, após se tocar do tempo que levava para de acalmar, percebeu que tinha perdido alguns segundos do tempo.
Vallek escreveu:--- Péssima hora para jogos... Péssima hora, de fato.

Tom se revela do local que estava escondido, mas não se coloca ao alcance da arma que limitava o caminho dos dois.
- Vallek ? é você mesmo ou a besta no comando? – Tom não sabia explicar se era o sangue malkavian, mas via certo ponto cômico na situação, poderia até tocar uma musica, se estivesse com seus instrumento...
- Aqui esta a mochila, mas não sou bom em manusear essas coisas, acho que você esta mais apto.

Tom tira a mochila de suas costas e espera a criatura que antes era vallek se aproximar...
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 26
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Undead Freak em Sab Out 27, 2018 5:15 pm

O estado de alerta de Vallek se dissipa quando, das trevas do local, Tom se revela, mostrando ao malkaviano que o vulto que se movia de forma sorrateira atrás dele era, de fato, o seu companheiro de clã.

-- Vallek ? é você mesmo ou a besta no comando?

-- Existem muitas vozes falando na minha cabeça... o tempo todo. A voz da besta é só mais uma dentre várias, mas agora ela não tem prioridade. -- respondeu Vallek, que via Tom agir de uma forma cautelosa demais em relação a ele.

-- Aqui esta a mochila, mas não sou bom em manusear essas coisas, acho que você esta mais apto.

Vallek encarou aquela mochila como se fosse um verdadeiro baú do tesouro.

-- Acredito que seja desperdício usar isso contra aquelas torretas. Vamos precisar disso mais para frente. Afinal, foi como eu disse: sofremos grandes perdas e só nos deparamos com as primeiras defesas...

Vallek então se virou para o corredor das armas e sorriu de forma escancarada, expondo as presas.

-- Vamos ver o que esse novo corpo é capaz de fazer contra essas merdas mecânicas. Ele é pesado demais, ou eu estou desacostumado... Terei de e esforçar para ser rápido, hihihi...

Off: Ativo rapidez e ataco as torretas com as minhas "patas de aranha", de modo a destruí-las da forma mais rápida possível.
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 29
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Sab Out 27, 2018 5:34 pm

Herick Draven


Spoiler:

A caminho do Elísio de Chicago, Illinois. 

As informações descobertas por Aiz chamaram mais a atenção do Caitiff, ele olhou no relógio e percebeu que precisava ser rápido, mesmo que Aiz estivesse no mais rápido carro ela não conseguiria chegar a tempo da viagem de Adam e ele para Chicago, infelizmente aquelas informações teriam de esperar ou serem enviadas de alguma forma tecnológica, o que poderia ser perigoso. 

O vampiro então partiu rapidamente de moto, o vento outra vez cortava o seu rosto e aquela sensação era quase enebriante para Herick, ele ficou muito tempo sem aquilo, como um monstro, essa nova realidade certamente é muito reconfortante. 

Não demorou muito para que ele chegasse até a tribuna de Newark, o local também era usado a noite para reuniões fechadas do poder judiciário e para assuntos privados de Adam Bredley. O vampiro então seguiu até o heliporto. 

Spoiler:

Anna Bright : - Olá, já estava na hora sr. Draven. Adam foi na frente, eu cuidarei das coisas por aqui na ausência de ambos. Todos devem usar esse anel. Ele permite o acesso a vários setores dentro da reunião que o sr. irá, seu acesso é o 3. 

Spoiler:

Anna entregava o anel que possuía o peculiar simbolo da seita, Herick agora tinha acesso aos controles do helicóptero, o fato de saber pilotar aquele veiculo permitia que ele pudesse ir sozinho em encontro a reunião. 

Apreciar a cidade era magnifico, as luzes, a movimentação da cidade a noite era mágica, em algum lugar daquele condado estariam Aiz, Lelouch e Francis... Isso o fez lembrar que o sabá não dormia, realizando mais um de seus planos de aumento de contingente. Em menos de uma hora Herick a cidade de Chcago em Illinois.

Spoiler:

O prédio em que ocorria a reunião também tinha um grande heliporto que comportou vários helicópteros, era um prédio comercial de uma das mais antigas Matusaléns existentes no Estados Unidos, o local era bastante suntuoso e agradável de se olhar, um aspecto Greco-Romano decorava as paredes dos corredores até o salão de festas, Herick estava em um gigantesco e refinado local com milhares de vampiros antigos, qualquer movimento errado poderia por toda a sua reputação a perder, mas um movimento certo agiria de forma completamente diferente. 



Spoiler:


Herick Draven
- PDS 14/15 
- FDV 5/7  (Natureza/Comportamento)
- Vitalidade Ok

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Sab Out 27, 2018 7:41 pm

Vallek Morton, Tom Halley
Em algum lugar nos planaltos de Piomont  


Spoiler:

Vallek olhava para o corredor. Ele sabia que tinha de avançar e, agora com esse novo poder, ele se sentia confiante o bastante para atacar de frente; mas um pensamento inquietante lhe veio a mente. E se o vulto não fosse Tom? E se eles não estivessem sozinhos naquele lugar?

Todos os seus sentidos se afloravam para que nada o surpreendesse, o vulto desapareceu no mesmo instante, como a sombra que desaparece ao ligar uma luz forte, em seu lugar estava Tom Halley, o jovem Neofito estava extremamente ferido, parte do seu corpo rasgada pelo feixe de raio disparado pelo sentinela, fraco ele ainda poderia dialogar com o vampiro em questão. Ele mostro a mochila, aquela carga de C4 era suficiente para levar um prédio de tantos andares pelos ares, desperdiçar mesmo que pouca quantidade nas turretas seria ruim. O Malkaviano então resolve mostrar na prática, a pergunta do malkaviano a sua frente. 


Combate escreveu:Ações 1 : Dest+A.brancas Diff 6. = 3 sucessos
Dano : 9 Sucessos 
Torreta 2 : = 5  Sucessos 
Ação 2 : Des+ Esquiva Diff 8. = 2 Sucessos
Torreta Dano Diff 6. = 8 Sucessos
Vallek Vigor Diff 6. = 5 Sucessos 
Ações 3 : Dest+A.brancas Diff 6. = 3 sucessos
Vallek dano : 10 Sucessos
Torreta 4: = 5  Sucessos 
Ação 4 : Des+ Esquiva Diff 8. = 0 Sucessos
Torreta Dano Diff 6. = 8 Sucessos
Vallek Vigor Diff 6. = 4 Sucessos 
Ações 5 : Dest+A.brancas Diff 6. = 1 sucesso
Dano : 6 Sucessos 

 Utilizando-se do poder da rapidez envolvida com outras disciplinas vampiricas físicas, o Malkaviano imergiu no meio do corredor onde as 5 torretas estavam, mesmo com sua grande rapidez, a vantagem que ele obteve sobre as máquinas permitiu que ele pudesse dar o primeiro golpe contra uma das estruturas de metal, seus apêndices eram afiados como foices feita de ossos e fincaram na estrutura da metralhadora e puxando para baixo até que ela caísse inoperante. Vallek sentiu que sua nova forma o deixou meio desengonçado para se esquivar. As calibrosas balas acertaram o braço de Vallek mas eram como pedregulhos que acertam um troll gigante e hediondo. Vallek sentiu dor, mas isso não o impediu de arrancar a segunda torreta facilmente. 

Uma das balas escapuliu e caiu bem do lado de Tom, aquelas balas eram de armamento anti tank ou para derrubar veículos aéreos na guerra, em Vallek pareciam mais um grande amontoado de pedras arremessadas contra ele. O vampiro ficava mais lento a cada grupo de tiros que acertava o seu couro, a dor ficava maior, ele atacava mas desta vez a terceira torreta ficou apenas parcialmente inoperante, atirando para todos os lados e quase acertando Tom que estava longe e conseguiu abrigo atrás da parede. 

Vallek era um monstro, mas o ataque direto o deixava fraco, ele estava cedendo levemente aos tiros que recebia, ainda havia 2 Torretas equipadas e intactas e uma desconsertada e louca mas ainda perigosa. 



Spoiler:


Tom Halley
- PDS 11/14 
- FDV 4/5
- Vitalidade -2 Ferido Gravemente (Agravado)
- Penalidade de -2 dados em ações que envolvam o uso de disciplinas devido a falta de seus instrumentos. 

Vallek Morton
- PDS 8/14  
- FDV 5/8 
- Vitalidade - 1 Ferido (Contusivo) (O dano já foi arredondado pela metade por se tratar de dano contusivo)
- Penalidade de -2 dados em ações mentais devido a falta de Elizie
- Penalidade de -2 dados em Destreza

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Sab Out 27, 2018 9:21 pm

Danio Benetti 
Estrada para Pensilvânia 


Spoiler:
     


Spoiler:
 

Meu corpo retorna a forma humana, deixando para trás as sombras do Abismo. - Seguirei com vocês sem demora, mas me digam a quanto tempo estão atrás de mim... Encontrei anteriormente com um outro Cainita que se disse parte da Mão, mas ele sumiu pouco depois de ter aparecido. - Minha dúvida primeira é externada. O quanto eles sabem. - E quem é foi a responsável por esta missão?

Enquanto peguntava, Danio seguia a dupla para o acostamento, o homem loiro que antes era o branco se aproximou de um monte de pedras e sorriu, um comportamento estranho e sem explicação. De forma seca o homem intitulado "O anjo da morte" disse: 

Anjo da Morte : - O suficiente para saber que suas habilidades de infiltração são uteis, somos assassinos, mas acima de tudo somos soldados da causa da Espada de Caim. Essa cidade pode ter sucumbido e o Sabá também, mas nós da Manus Nigrum, não sentimos nem um pouco a fraqueza que o Sabá sentiu em suas forças, para que a seta volte, precisamos ser a lamina que corta, quanto a missão, espero que o nome Lady Lucy tenha algum significado para você, ela disse que você é um Benetti então é valioso...


Viper : - Fim de papo ! 

Rapidamente o vampiro puxa bruscamente Danio e o outro vampiro para baixo, Danio só tem o tempo de sentir a terra apertar o seu rosto e o sono lhe tomar por completo....

Auto controle Diff 9. = 1 Sucesso

Tudo foi muito rápido, Danio abriu seus olhos e forçou seu tronco para cima, havia terra em sua face, cabelos e boca, já estava noite outra vez. Mas nada daquilo lhe incomodava tanto do que a agonia de sentir falta do vitae que tanto saciava a sua sede, seu vício vampírico o deixava extremamente agoniado, não havia cedido a besta porem, mas se continuasse assim era questão de tempo. 

Uma gazela então é arremessada contra o seu rosto. 

Viper : - Sabíamos que ia  acordar assim, isso só ai ser o suficiente pra te manter no controle por algum tempo. 

De fato um animal morto nem era um alimento suficiente, mas o cheiro da gazela quase fez Danio se entregar a besta por completo e rasgar aquele animal morto por inteiro. 

Anjo da Morte : - O seu treinamento já começou, não vamos aceitar um não. Você será um dos nossos, a menos que queira tentar uma Monomancia comigo, com Viper ou nossa sombra, Sink do qual vc nem mesmo sabe que está aqui todo esse tempo. Como vai ser Benetti ?





Spoiler:


Danio Benneti 
- PDS 1/14  
- FDV 3/7  
- Vitalidade -2 Ferido Gravemente (Agravado)

avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Sab Out 27, 2018 9:56 pm

Rugall Salles
Carpe Noctem, Newark 


Spoiler:

Teste de Consciência Diff 9. +1 FDV = 1 Sucesso

Ele não podia crer que Gillian fosse aquele bebe, uma manipulação em sua mente talvez, na verdade Rugall percebia que estava cada vez mais parecido com seu senhor, ele não tinha limites. O vampiro virou a face com ódio de si mesmo. Ele não iria ataca-la daquele jeito. Em vez disso ele foi na direção do segurança, o motorista que tanto lhe serviu. Era Robert, ou Bob como chamavam talvez, não tinha muito tempo, Rugall não sabia muito sobre ele, parecia não ter envolvimento nenhum com a igreja até aquela noite. O homem pedia por clemencia, ele não daria. Em um rápido movimento ele laçou o jovem e o arrastou pelo vestiário molhado. 

A pequena Gillian não estava mais lá, evaporou ?

Mais ordens para que procurassem Gillian por todo o salão foi dada, por hora ele estava concentrado em levar o motorista para o seu calabouço arquitetado. 

O local ficava no subterrâneo do salão, gritos não seriam ouvidos, já se passava das 2 da madrugada. O motorista estava preso a mordaças de metal. O jovem queria pedir por clemencia, implorava, mas estava amordaçado e Rugall não lhe daria a liberdade. A criatura deixou a sala como o predador deixa sua presa para comer depois, apenas para alimentar o medo do jovem. 

A segurança revirou todos os principais pontos do Carpe Noctem, ninguém achou Gillian, as portas ainda estavam fechadas e ela precisava estar lá, as câmeras de segurança do andar subterrâneo onde ela estava falharam e ninguém poderia dizer para onde ela havia ido. O cheiro do sangue não estava mais lá, Rugall só conseguia ter a lembrança do cheiro da criança Gillian, confuso ele seguiu para um dos quartos de descanso do salão, evitou um novo encontro com os seguranças, se o vissem naquela forma, certamente entrariam em panico, poucos o viram naquela forma e mesmo Lilly e July sempre ficaram apavoradas ao ver Rugall na forma Horrenda. 

Ele entrou no quarto e seus passos logo lhe denunciaram. Ela disse : 

Lilly : - Quem está aí ?

Rugall de forma gutural espalhou um gemido característico de quando estava daquele jeito. A jovem se encolheu rapidamente, temendo o desconhecido. Mas Rugall era gentil mesmo naquela forma, Lilly que tinha já era envolvida com Rugall pode escutar o que ele dizia sem que o panico lhe afligisse. 

Rugall escreveu:Rugall: - Concentre-se pequena. Deixe o meu sangue fluir em suas veias. Mantenha o foco em seus olhos e faça-os enxergar novamente. O poder do meu sangue irá curá-la.

Lilly estava não só com os olhos queimados mas alguns centímetros abaixo de seus olhos também. A moça estava nervosa, lágrimas de sangue escorriam de sua face. Nada parecia melhorar. 

July : - Ela precisa de um médico meu amor. 

July aparece na porta com o semblante preocupado, o poder da vitae nas veias de Lilly não parecia ser o suficiente. Talvez ela precisasse de dias como os vampiros precisavam para recuperar de golpes sobrenaturais ou quem sabe ela ficasse permanentemente cega já que os mortais são mais frágeis que os vampiros. 



Spoiler:

Rugall Salles 
- PDS 6/10  
- FDV 5/6  
- Vitalidade Escoriado Agravado
- Forma Horripilante +3 Nos atributos Físicos, Atributos Sociais  = 0 
- Auspicios Ativado

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Undead Freak em Dom Out 28, 2018 3:51 am

Balas batiam contra a carcaça sobrenatural de Vallek. Não eram balas comuns, e sim balas de artilharia, com poder o suficiente para derrubar aviões ou perfurar blindagens de tanques; e ainda assim, batiam neles como se fossem pedras ou caroços. Balas batiam contra a carcaça de Vallek... e ele sorria.

– Esmagar, matar, destruir... Esmagar, matar, destruir... Esmagar! Matar! Destruir!

O novo poder dava ao malkaviano um sentimento enebriante de glória e poder. Mesmo os poucos ferimentos que os estilhaços de artilharia ou mesmo os acertos diretos causavam no vampiro não o faziam recuar. Vallek não queria parar. Ele simplesmente não queria parar.

– Então é isso?! É ISSO?!

Concentrando mais do seu sangue, Vallek exaltou ainda mais seu desejo destrutivo, focando-se nas últimas torretas que ainda estavam operantes.

Off: 1 ponto de sangue para ativar novamente a rapidez. Minha intenção é destruir por completo essas malditas torretas.
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 29
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por mitzrael em Seg Out 29, 2018 12:35 pm

herick seguia em sua moto lembrando seus momentos de humano , o vento no rosto
o son do peneus deslisando na pista , antes era assim sua vida um farol apois o outro .

Herick sabia que seus subordinados não iriam chegar em seu destinos a tempo e concerteza ele seria o primeiro achegar .

Ao chegar no seu destino Herick se apressava pra ir no heliporto , ao chegar nem olhava pra a mulher pegava o anel . subia e se preparava para parti

-Ok str Bright nivel 3

Herick falava colocando o anel em seu dedos .

pensando: tenho de agir rapido e por o principe a par de tudo , e acabar de vez com a ameaça sabá .

- srt Bright posso te pedir um favor ? queria ter o numero de contato de todos integrante da
corte do principe , reparei que estou muito disperço quanto a isso .


Herick falava seguindo colocando os fones .e indo ao seu destino ao chegar fechava os botoes de sua camisa e abontoava dois botoes de seu paleto . E assim seguia ate o local Herick ao chegar conteplava o local era muito bem aquitetado , digno da realesa ou de um presidente .

Pensando : eu tenho de ser bem cauteloso aqui estou entre os grandoes , preciso encontrar o principe e falar com ele em particular o mas rapido possivel .

E era isso que ele fazia , ele corria o olho a procura de seu principe , mas ficando sem chamar atenção pra si , ficando em um ponto que desse pra ver qum chega e quem sai .

Twisted Evil Twisted Evil




avatar
mitzrael

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 38
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Bahamut em Ter Out 30, 2018 7:59 am

Rugall estava vulnerável. Seu salão fora invadido, um de seus funcionários o havia traído, sua chefe de segurança fora sobrepujada, sua futura carniçal uma espiã a altura, seus inimigos possivelmente bem informados e prontos para um segundo ataque, seu Príncipe o esperando para um depoimento sobre problemas internos na seita, um baile de máscaras sem companhia e para terminar, seu antigo senhor possivelmente vivo e com a capacidade de adentrar na mente de Rugall à distância. Com tudo isso na cabeça, Rugall está em seu quarto ainda em sua forma monstruosa com Lilly e July. Rugall pretende deixar Lilly em repouso, começando a lhe fornecer uma quantidade considerável de sangue para ajudar no processo (3 pontos de sangue) e dizendo a ela que tente focar no processo de cura por um tempo até o sono a acometer. Em seguida ele encara July, preocupada e amedrontada por um Rugall monstruoso e abalado.

Rugall: - O que foi pequena, não se sente mais a vontade perto do seu senhor?

O longo braço de Rugall alcança o rosto de July que fecha os olhos enquanto a enorme e áspera mão lhe acaricia o rosto. Rugall estava muito diferente de quando chegou em New Jersey. Os acontecimentos que sucederam a sua chegada até o presente momento moldaram sua psique e o trouxe a um "eu" mais instintivo, deixando suas ações mais erráticas e menos preocupadas com o bem estar alheio. No momento Rugall olha July como uma presa sexual. Sua tensão é grande e a válvula de escape será July e o tesão em seu sangue. Ela por sua vez tem medo do que estaria por vir e respira fundo com o corpo tremendo suavemente. Rugall puxa-a para perto e a despe com pressa. Outrora July estaria com o corpo voluptuoso e quente, mas agora ela mantém-se tímida e estática. Embora deseje o seu mestre e deseje satisfazer sua vontade, está muito assustada com tudo a sua volta. Rugall puxa a mão de July para alcançar o seu membro, que acompanhou o crescimento e robustez da forma aterradora, e a faz alcança-lo enquanto ele cresce lentamente (1 ponto de sangue). July não pôde se conter ao olhar para baixo e arregalar os olhos ao ver o falo que cresce à sua frente. Sem mais delongas Rugall vira sua serva de costas, com uma mão em seu ombro e a outra puxando o seu braço para trás, abocanha o pescoço de July, arrancando um longo gemido da doce July. Toda a tensão estava sendo liberada no beijo negro e em seguida, o vampiro introduz o seu falo no sexo da fêmea que eleva o quadril para o seu mestre, soltando outro gemido, mais forte que o primeiro. Rugall estoca July com força, deixando-a sem forças para reagir ou tomar consciência de seus atos. Seus olhos começam a girar tamanho o prazer que inunda o seu corpo, levando-a para um clímax arrebatador ao mesmo tempo em que Rugall termina de se saciar (3 pontos de sangue).

O corpo de July fica ao chão, exausto, enquanto Rugall se mantém de pé olhando para ela. Lilly estava na cama, acordada, escutando a tudo. Ele se vira para ela, estirada na cama e sem poder enxergar. Caminhando lentamente até ela ele sente o cheiro do seu medo e escuta o seu coração palpitar mais forte enquanto seu peito infla com mais vigor. Rugall tenta lutar contra o seu instinto nesse momento. Ele deseja fazer o mesmo com Lilly, sem se importar com o seu estado debilitado. Normalmente ele não o faria, mas ele tem sede e o corpo quente dela atrai a sua fome e o seu desejo.

Lilly: - Meu senhor... por favor...

Rugall: - Suplique criança, suplique ao seu mestre...

Lilly agora respira pela boca ofegante. A falta da visão deixa a sua imaginação trabalhar e o medo se mistura ao amor que sente por seu amo. Fantasias sexuais macabras inundam a sua imaginação, deixando a bela loira ansiosa por saber o que vai acontecer com ela quando o monstro que ela aprendeu a amar a possuir.

Rugall posa sua mão no peito de Lilly, agarrando a sua blusa e puxando com força, destruindo tanto a blusa quanto o soutien. Com a calça não é diferente, quando ele agarra com as duas mãos, rasgando em pedaços a peça de roupa. Lilly se debate medrosa, ela não consegue empurrar e bater em seu mestre devido ao medo e devoção que tem por ele, mas ainda assim, se debate enquanto as mãos fortes dele a alcançam. Seu corpo se projeta por cima do dela e ele fala em seu ouvido.

Rugall: - Você é minha, sempre será. Seu corpo e sua mente me pertencem e você ficará feliz toda vez que eu lhe tomar posse.

Um ligeiro sorriso aparece no rosto de Lilly ao se sentir apaixonada pelo seu mestre logo antes de sentir os dentes da criatura fincarem logo acima de sua clavícula, transformando o sorriso em um longo suspiro. Rugall a esse momento já está erguendo o quadril de Lilly, deixando as suas pernas elevadas até quase alcançarem a sua cabeça e enterrando o seu membro rígido fundo no sexo de Lilly. O suspiro que puxou uma grande quantidade de ar remete em seguida a um longo gemido misturado com uma risada de alívio. As estocadas de Rugall são mais vigorosas e velozes em Lilly que urra de prazer enquanto seu corpo se contorce com a sensação estrondosa que Rugall a proporciona, terminando o beijo. (1 ponto de sangue)

Rugall agora está sentado em uma poltrona dentro do seu quarto, pensativo. Os corpos de suas carniçais estão ambos na grande cama, exauridos de suas energias enquanto o seu mestre pondera sobre suas ações futuras.
avatar
Bahamut

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 35

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Bad em Qui Nov 01, 2018 2:29 pm

Tom não podia fazer muito, Deveria esperar aquele monstro e a maquina brincarem de quem cai primeiro, metaforicamente era algo ilario, mas a cena era bizarra e até perigosa, tom se afastou para aonde aparentemente seria seguro de não tomar balas perdidas, quando considerou que estava seguro, começou a analisar o local, a procura de algo que pudesse se útil naquela situação...

- Não é possível que esse lugar não tenha nenhum painel de controle a distancia, como poderiam as criaturas voltarem após saírem...


Tom caminha um pouco e já irritado enquanto ouve os tiros... e começa a resmungar como um cachorro babão...

- Haaa, porque eu tinha que me meter em um lugar q não posso tocar nem manipular ninguém, que merda...


[ Caso encontre algo interessante, utilizar olho do caos]

Tom continua procurando e caso ouça os tiros  pararem, irar gritar
- VALLEK?  A BARRA TA LIMPA?
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 26
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 04, 2018 9:06 am

Vallek Morton, Tom Halley
Em algum lugar nos planaltos de Piomont  


Spoiler:


Combate escreveu:Ações 1 : Dest+A.brancas Diff 6. = 1 sucessos
Dano : 6 Sucessos 
Torreta 2 : = 5  Sucessos 
Ação 2 : Des+ Esquiva Diff 8. = 2 Sucessos
Torreta Dano Diff 6. = 8 Sucessos
Vallek Vigor Diff 6. = 5 Sucessos 
Ações 3 : Dest+A.brancas Diff 6. = 3 sucessos
Vallek dano : 8 Sucessos
Ações 4 : Dest+A.brancas Diff 6. = 1 sucessos
Vallek dano : 5 Sucessos
Ações 5 : Dest+A.brancas Diff 6. = 1 sucessos
Vallek dano : 6 Sucessos

 Avaliando a disputa um pouco distantemente Tom viu que apesar da grande resiliência de Vallek, aquelas balas ainda eram capazes de feri-lo de forma significativa, seus movimentos ficavam mais lentos e cansados, suas pele rasgava com os tiros massivos em seu couro duro. Assim que Vallek Morton terminou de desmontar de vez a ultima torreta, sua primeira ação foi se ajoelhar de cansaço, seu corpo estava completamente rasgado, as balas perfuraram seu corpo uma vez que ele já estava aberto dos tiros anteriores, a luta foi difícil mas Vallek se sentiu confiante por poder aguentar golpes tão profundos, Tom certamente teria entrado em torpor ao receber tantos tiros a queima roupa, mas Vallek ainda se mantinha sóbrio. 

O vampiro Halley então se sentiu seguro para poder se aproximar de seu companheiro, o novo corredor parecia guardar algo importante, pois a defesa era significativa, Tom seguiu direto até ver um painel azul que continha uma forma estranha de identificação. 

Tom escreveu:Teste de Olhos do Caos Diff 7. = 1 sucesso

O sistema parecia ser liberado unicamente quando o scanner avaliasse o individuo por completo e liberasse a sua passagem, havia algo em Tom Halley que negava sua liberação sempre que o scanner varria seu corpo. 

A porta seguinte era incrivelmente pesada e abria de baixo para cima, quem sabe Vallek em sua nova forma conseguisse move-la ou não...



Spoiler:


Tom Halley
- PDS 11/14 
- FDV 4/5
- Vitalidade -2 Ferido Gravemente (Agravado)
- Penalidade de -2 dados em ações que envolvam o uso de disciplinas devido a falta de seus instrumentos. 

Vallek Morton
- PDS 7/14  
- FDV 5/8 
- Vitalidade - 2 Ferido Gravemente (Contusivo) (O dano já foi arredondado pela metade por se tratar de dano contusivo)
- Penalidade de -2 dados em ações mentais devido a falta de Elizie
- Penalidade de -2 dados em Destreza

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 04, 2018 9:33 am

Herick Draven

Spoiler:
Spoiler:

 Elísio de Chicago, Illinois. 

O objetivo de Herick era encontrar Adam Breadley, isso não era difícil visto que os príncipes estavam bem alí, todos juntos pareciam conversar algo importante. Entre eles estavam os príncipes de Segei Mikas, Ventrue e Príncipe de New York, Adam Breadley o príncipe de New Jersey. Invadir a conversa assim não era o objetivo de Herick então ele preferiu ficar no canto observando o pequeno circulo de amizades que acabam se formando, príncipes, arcontes, secretários e primogenos compunham o circulo social em questão, todos representando os seus clans no conclave. 


- Você não parece ser do tipo que se enturma muito. Acho que eu não estaria aqui também se o assunto não fosse importante. 

Herick ficou surpreso ao ver a celebridade da atualidade naquela reunião. Era difícil acreditar que Rihanna estivesse envolvida naquele meio sombrio do mundo das trevas. A moça tinha um copo em sua mão, não parecia preocupada com muita coisa, era lenta em seus movimentos de forma proposital, estava drogada quem sabe, mas ela observava Herick bem nos olhos.

Rihanna : - Se pudesse deixar de ser o que é e "voltar" no tempo, você faria  ?


Spoiler:


Herick Draven
- PDS 14/15 
- FDV 5/7 
- Vitalidade Ok

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 04, 2018 9:02 pm

Rugall Salles
Carpe Noctem, Newark 


Spoiler:

Aquele cenário, aquela situação de poder, aquele sentimento. Tudo fazia parte de um grande circulo de sentimentos que aflorava e excitava o Tzmisce, o sangue unido ao desejo sexual despertava no vampiro um novo tipo de fome pela carne mortal do qual ele só sentia enquanto era vivo, ele não precisou gastar o sangue para endurecer seu falo como a maioria dos vampiros o fariam, em vez disso, sua mente promiscua aliada ao seu desejo e manipulação pela carne fizeram com que seu exuberante órgão promovesse os mais inesquecíveis orgasmos que as duas carniçais poderiam imaginar, elas não eram somente viciadas no sangue de Rugall, mas agora estavam loucas pelo tamanho e potencial do falo do Tzmisce, sua aparência não importava, era Rugall ali no fim das contas. Rugall estocou vorazmente July por várias vezes naquela noite, porem Lilly aguentara apenas uma única vez até sucumbir a um êxtase misturado com a dor e o desejo. 

No fim da noite o vampiro estava ali, sentado em sua poltrona a observar o corpo nu das duas na sua cama. Desfalecidas de cansaço, algo preocupava vagamente Rugall, Lilly ainda estava com o rosto bastante vermelho, as pálpebras queimadas com queimaduras de terceiro grau. Uma cicatriz feia nos olhos, seu corpo estava pálido, ele não perdoaria Gillian pelo o que ela fez com sua adorável Lilly, em meio as indagações, ele pensou que se por algum motivo Lilly não regenerasse mais a sua visão, ele teria de arranjar novos olhos, novas córneas para sua carniçal, sua raiva apenas fazia imaginar ele arrancando os próprios olhos de Gillian para transplantar em Lilly como punição. Mas a maldita mulher fugiu ou desapareceu de alguma forma. 

Rugall precisava pensar em seu próximo passo, o dia estava perto de clarear, no inicio da próxima noite ele precisava viajar para o Baille Toreador, mas não podia deixar seu refugio assim tão desprotegido com um espião lá fora com informações sobre o Carpe Noctem.  

Spoiler:

Rugall Salles 
- PDS 10/10  
- FDV 6/6  (Força de Vontade Recuperada por interpretação)
- Vitalidade Escoriado Agravado
- Forma Horripilante +3 Nos atributos Físicos, Atributos Sociais  = 0 
- Auspicios Ativado

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Bahamut em Seg Nov 05, 2018 1:14 am

Rugall já havia saciado sua sede de sangue e sua volúpia outrora crescente. Agora pensava mil coisas enquanto olhava com calma o corpo nu de suas belas carniçais. A situação de Lilly voltava a lhe incomodar hora após hora, principalmente a palidez de sua pele. Com seus auspícios ativado ele procurou ouvir os batimentos cardíacos dela para confirmar se estavam baixos e então se aproximou para sentir a temperatura de seu corpo, muito provavelmente um pouco abaixo do normal. Como toda aquela tensão em grande parte já havia passado, Rugall trouxe seu punho para perto da boca de Lilly e tornou a alimentá-la com seu sangue. Ele esteve muito errático a pouco tempo mas não podia deixar isso dominar completamente a sua psique e precisava pensar com mais clareza. Dentro dessa linha de pensamento, Lilly era importante demais para ser deixada de lado. Mesmo dormindo a bela carniçal recebeu o sangue em sua língua e alcançou com sua boca o pulso de Rugall, sugando-o com uma sede doce e sensual. Rugall se divertia vendo ela lhe sorvendo o vitae com tanto empenho (3 ps).

Lilly tornou a dormir depois que Rugall interrompeu o processo de alimentação dela e Rugall voltava seus sentidos uma última vez para Gillian. Ele conhecia a sua respiração, ele conhecia o batimento de seu coração, ele conhecia o cheiro de seu sangue. Precisava confirmar se ela estava lá, precisava lutar contra as peripécias de sua mente que colocaram a imagem de uma Gillian criança à sua frente, precisava se superar. Rugall então tornou a tomar sua forma natural, colocou um robe e caso tenha conseguido farejar Gillian, irá atrás dela mais uma vez. O Motorista ficará na masmorra essa noite, Rugall não irá perturbá-lo pois tem mais planos para ele.

Rugall então procura seu aparelho celular. Nele disca o número do carniçal de Meg, o encarregado da revista.

Rugall: - Boa noite meu caro. Peço perdões pelo horário em que entro em contato. Gostaria de saber dos preparativos para os eventos mais próximos e o que temos em voga para a revista. Acredito que tudo esteja indo de acordo com o planejado. Estou certo?

Rugall tem mais uma ligação para fazer mas irá deixar para fazê-la no início da noite seguinte. O cheiro da noite começa a mudar e Rugall sabe que não falta muito tempo para o dia iniciar. Então ele adentra mais uma vez em seu quarto, retira o seu robe e deita com suas duas servas em sua grande e confortável cama, adormecendo até a sua noite seguinte.

avatar
Bahamut

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 35

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por mitzrael em Seg Nov 05, 2018 2:25 am

Herick se mantinha em seu lugar sabia que não podia ir ate la agora entao ele faz a coisa mas sensata a ser feito .

Com sua abilidade de ter a sua audição ampliada ele se concentra pra ouvir a conversa ja que isso não nada envolvendo as abilidade do sangue não estaria violando as regras .

mas enquanto se concentrava algo chamo sua atenção .

- Você não parece ser do tipo que se enturma muito. Acho que eu não estaria aqui também se o assunto não fosse importante.

Rihanna ? tai uma coisa que não esperava ver se fosse Marilyn Manson faria um pouco de sentido , mas pensando bem muita coisa faz sentindo agora .

Vc tem rasão eu não sou muito fã dessas coisas mas é preciso .

Rihanna : - Se pudesse deixar de ser o que é e "voltar" no tempo, você faria ?

Pensnado: É estranho ela pergunta isso logo ha mim , que veio de um futuro nada bom
ou sera que é o guri se passando por Rihanna ?


Eu ja tive essa chance , e acho que estou onde devo estar , tudo acontece por um motivo
E vc se arrepende ? sabe que tem uma eternidade pra se lamentar , mas segundos pra viver

Herick falava esbolsando um pequeno sorriso .

-descupe perguntar vc veio com algum desses principes??

Twisted Evil Twisted Evil
avatar
mitzrael

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 38
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Fuuma Monou em Seg Nov 05, 2018 1:25 pm

Anjo da Morte escreveu:
- O suficiente para saber que suas habilidades de infiltração são uteis, somos assassinos, mas acima de tudo somos soldados da causa da Espada de Caim. Essa cidade pode ter sucumbido e o Sabá também, mas nós da Manus Nigrum, não sentimos nem um pouco a fraqueza que o Sabá sentiu em suas forças, para que a seta volte, precisamos ser a lamina que corta, quanto a missão, espero que o nome Lady Lucy tenha algum significado para você, ela disse que você é um Benetti então é valioso...

O porque daquele outro vampiro/lobo rir para mim é totalmente desconhecido, mas o quanto mais o 'Anjo da morte' fala, mais as esperanças de ir atrás de Lars e dos outros parecem ser palpáveis. Quando ele cita o nome Lady Lucy, sinto que meus olhos se arregalam.

"- Isso, era exatamente esse nome que eu queria ouvir.... Minha missão está chegando ao fim Keyla e logo estarei retornando para ajudar Lars a se ver livre das garras daquela Anciã lunática." - Contudo, antes mesmo que eu pudesse abrir a boca e falar algo, o outro Cainita se aproxima de nós e a última sensação que tenho antes do sol nascer e retirar por completo a minha consciência é a percepção de que estou afundando no solo... como se ali houvesse areia movediça. Abro a boca, mas a pressão da terra logo toma meu rosto. Só há tempo para uma exclamação:

- Que droga é isso.... - Fecho minha boca o mais rápido que posso ao perceber para onde estou indo.. E chega o momento de desligar os motores....

Acordo com uma pressão incomum sobre meu corpo. Abro os olhos lentamente, mas com o máximo de agilidade e força que este corpo ferido e faminto consegue, empurro meu corpo para fora da terra. Minha boca está cheira de areia, talvez resultado de tentar indicar minha indignação antes de ser sugado pelo chão. Memórias da noite anterior começam a voltar à minha mante quando sinto a secura bastante característica em minha garganta. Meu coração começa a doer, bem como todo o meu peito. Minha cabeça está estranha... meus braços parecem não me obedecer... minhas pernas sedem e caio no chão levando a mão ao pescoço. A outra mão começa a fazer marcas de arranhado na areia.

Nos últimos dias aquele comportamento vinha se tornando comum e eu sei exatamente do que se trata. A Fome. Quando me fundi com as sombras na noite anterior eu tinha a certeza de que isso iria acontecer... mas meu corpo parece estar começando a se acostumar com essa situação.. pois consigo manter a consciência, mesmo que por pouco tempo. Olho para os lados, desesperado à procura de alimento, quando uma gazela é arremessada em minha direção.

Como um animal, abraço o corpo da gazela antes que esta atinja meu rosto e faço força para baixo, jogando o animal no chão e cravando minhas presas em seu pescoço.

Viper escreveu:
- Sabíamos que ia acordar assim, isso só ai ser o suficiente pra te manter no controle por algum tempo.

O sangue começa a cair em minha boca. Eu bebo o máximo que posso. Sinto a pressão ir diminuindo aos poucos, mas sei que aquilo não será o suficiente para me aliviar com completo. Contudo, será o suficiente para me manter consciente e dar o próximo passo na missão que me foi incumbida por Keyla.

Anjo da morte escreveu: - O seu treinamento já começou, não vamos aceitar um não. Você será um dos nossos, a menos que queira tentar uma Monomancia comigo, com Viper ou nossa sombra, Sink do qual vc nem mesmo sabe que está aqui todo esse tempo. Como vai ser Benetti ?

- Será uma honra. - Digo enquanto viro o animal para ficar de frente para sua barriga. Com minha força sobrenatural, abro seu corpo e arranco seu coração. - Aliás, mesmo que eu não quisesse, eu não sou imbecil a ponto de enfrentá-los. Mas há algo que eu preciso fazer... tenho que falar com Lady Lucy, pois fui incumbido por Keyla, líder do Insight, a transmitir uma mensagem à ela. Algo que pode influenciar o nosso destino. - Coloco o coração na boca e deixo o fluido vital do animal invadir eu corpo.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 29
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Undead Freak em Qua Nov 07, 2018 12:07 pm

A última máquina, assim como todas as demais, cessou os disparos quando foi golpeada por aqueles membros grotescos que Vallek havia conseguido com sua última diablerie. A última torreta deixou de existir após uma pequena explosão e o silêncio súbito voltou a reinar naquele corredor, apenas para ser cortado momentaneamente pelo som pesado do corpo monstruoso do malkaviano, que caía exausto de joelhos. Era um monstro de fato, com sua aparência bizarra sendo ainda mas acentuada pelos rasgos, perfurações e hematomas das pancadas que aquele tipo de projétil era capaz de causar — mesmo em alguém como ele.

— Todos os antigos amigos se foram. Os bons tempos nada mais são do que o passado. Aqui é o covil do inimigo, onde todos os sonhos morreram. Aqui a ingenuidade de ter esperança não pode jamais ser perdoada.

Vallek se sentia cansado. Ele começava a concentrar o sangue dentro de seu organismo para iniciar a regeneração do seu corpo aos poucos. Ele sentia mais uma vez que em breve teria que buscar por mais sangue, já que a "limpeza" que ele fez no corredor exigiu demais dele.

— VALLEK? A BARRA TA LIMPA? — dizia o outro malkaviano que se aproximava, analisando o local.

— Venha! Venha! Não queira perder toda a diversão, pois até mesmo este inferno pode nos render algumas risadas! — respondia Vallek, ainda ofegante. Tom analisava o local, reclamando e resmungando sobre sua sorte. Vallek não prestou muita atenção, pois seu corpo doía e precisava da cura sobrenatural dos cainitas. A cura pelo sangue. Foi só então que a aberração não apenas mental mas também agora física chamada de Vallek Morton voltava-se para a próxima porta, na intenção de abri-lá a força.

Off:
1 - Dois pontos de sangue para me curar.

2 - Desculpem a demora. Tive um grande problema com a net aqui em casa esses dias.
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 29
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Bad em Qua Nov 07, 2018 10:05 pm

Tom ficou no scanner, alguns instante, tentando até ser chamado para o encontro de vallek, O scanner parecia não aceitar ou reconhecer o corpo de tom.

Undead Freak escreveu:  — Venha! Venha! Não queira perder toda a diversão, pois até mesmo este inferno pode nos render algumas risadas!

Tom começa a caminhar em direção a Vallek...

- Essa porcaria de scanner deve ser so para robôs ou mortais, não funciona para seres superiores, que droga de lugar nojento...


Tom olha os destroços daquela situação, um monstro e uma arma caída no chão, *incrível como um dos dois ainda funciona *
- Hahahhaha já me rendeu algumas, mas não tenho conceito de diversão como o seu pelo visto... Talvez seja simples abrir essa porta, duvido que alguém pense que seria possível passar por essa metralhadora de parede...

Tom caminha cautelosamente até a porta enquanto Vallek se concentra em se curar, procura uma forma de abrir sem precisar colocar ao chão, e nem chamar mais atenção.
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 26
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Ter Nov 13, 2018 10:54 am

Rugall Salles
Carpe Noctem, Newark 


Spoiler:

O vampiro percebeu através da sua habilidade o quão frágil estavam os batimentos cardíacos de sua carniçal, a moça estava fria e mole. Sua respiração quase inaudível, Rugall não era médico, mas sua preocupação começou a se mostrar presente no instante em que o seu sangue não estava mais fazendo efeito na jovem. Passaram-se alguns minutos e ela não reagiu, o vício era ago instintivo, ele deveria sorver aquele nectar com tanta vontade quanto tinha de respirar. 

O dia já havia começado, o corpo de Rugall grande, estava letárgico e começou a voltar ao que era, Rugall estava igualmente pálido e tonto, mas no seu caso era o dia que lhe trazia uma imensa vontade de se jogar ao chão e dormir em qualquer lugar. Rugall se vestiu depressa, em sua mente ele ainda queria se certificar de onde Gillian estava, mas inúmeros fatores lhe tiravam a atenção, entre elas o dia que havia chegado e Lilly que estava morrendo, Lilly Charles estava morrendo...

Spoiler:

Rugall Salles 
- PDS 9/10  
- FDV 6/6  
- Vitalidade Escoriado Agravado
- Auspicios Ativado
- Durante o Dia voce tem apenas metades de todas as suas paradas de dados. 

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Beaumont em Ter Nov 13, 2018 11:19 am

Herick Draven

Spoiler:

 

 Elísio de Chicago, Illinois. 

Conversa escreveu:Helena: - Então, receio que hoje será promulgado a aliança entre nós. Não existe outra opção. Seus objetivos são iguais aos nossos, eles ofereceram o controle da humanidade exatamente como já o fazemos e em troca, nós só precisamos continuar ocultos, manipulando as peças nas sombras, todos nós sairemos ganhando e ainda teremos ajuda, quanto mais tempo perdemos mais caótica fica a situação. Se isso não acontecer nós seremos taxados como inimigos e isso sim seria o nosso fim...

Herick escutava nitidamente o que Helena, a mais antiga Toreador conhecida na Camarilla tinha a dizer para os outros príncipes, existem rumores de que ela fosse a  mesma Helena dos contos nascida em 1300 Antes de Cristo, a verdade é que os rumores podem ser verdade ou não, Hoje Helena era uma das Matusalens que controla e representa o Clã Toreador no circulo Interno, provavelmente ele preferiu pessoalmente passar alguma informação aos líderes americanos da seita. 

Spoiler:

O vampiro estava tentando obter mais informações quando foi impedido pela mulher negra que o indagou. 

Herick escreveu:
Rihanna ? tai uma coisa que não esperava ver se fosse Marilyn Manson faria um pouco de sentido , mas pensando bem muita coisa faz sentindo agora .

Rih : - Ahahaha, sou uma mulher de inúmeros segredos e diversas habilidades, vamos capturar o momento porque nem o sempre é para sempre. Ou quer dizer, para vocês pode ser que sim...

Mas houve um momento em que a conversa fez Herick lembrar de Nissiku, seria aquela uma forma do Matusalem estar manipulando o cenário mais uma vez ?

Herick escreveu:E vc se arrepende ? sabe que tem uma eternidade pra se lamentar , mas segundos pra viver . - descupe perguntar vc veio com algum desses principes??

Rih: - Ohhh ! Poético o suficiente para que eu possa usar em um futuro próximo ! Voce tem talento e criatividade, não deveria ser apenas uma face na escuridão. E para voce a resposta é não, não estou com nenhum "principe" ou "amante" ou seja lá como for os jargões que utilizam por aqui. Escutei um "A besta, Criança da noite e Gehenna" tenho certeza de que tudo isso é demais para mim ! Preciso de uma bebida ! Se quiser dançar sabe muito bem onde me encontrar...

A moça sorri se afastando um pouco para pegar uma bebida, Herick se sentiu incrivelmente atraído por ela e um pouco distraído e acabou perdendo boa parte da conversa (Vc pode gastar 1 FDV e tentar ter 4 sucessos em um teste de FDV Diff 7 para se livrar da atração imposta por Rih e ouvir o finalzinho da conversa)

Os príncipe finalmente estavam se preparando para se espalharem, após a conversa, Herick poderia se aproximar de Adam. 



Spoiler:


Herick Draven
- PDS 14/15 
- FDV 5/7 
- Vitalidade Ok

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 30
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night - O Paradoxo da Razão

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum