Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Dom Dez 16, 2018 7:59 pm

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Il_ful10

Introdução:
Um alvoroço é notado pelas capelas Tremere. Há quem perceba certa movimentação na mais alta pirâmide hermética, há quem não. A verdade é que independentemente das suas práticas, ou suas afiliações, algo requer o clã Tremere unido para solucioná-lo. O problema é muito bem ocultado pelos membros dos círculos mais superiores, como sempre bem fizeram. Mas seja lá o que for, sua importância está fazendo com que membros e mais membros do clã mais enigmático sejam enviados ao encontro desse assunto misterioso. Para uns, só mais outro faça-o-que-mando dos mais antigos. Para outros, uma oportunidade de galgar uma posição na pirâmide, de descobrir o véu do desconhecido, de poder. E para os mais pessimistas, o início do fim ou Gehenna.

Restrições:
Para jogadores que já jogam com um personagem do clã, ou queiram iniciar com um neófito inexperiente para aprendiz. Será a oportunidade de suas não-vidas para subir o rank (Interessados entrar em contato 021-9-9519-0853. Abçs).
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qua Dez 19, 2018 9:41 pm



Leblanc

Uma fina chuva cai sobre French Quarter. Leblanc estava protegido através de suas roupas, mas as partes descobertas, como seu rosto, já não podiam mais sentir o frio da brisa noturna de New Orleans sem algum esforço sobrenatural. O cainita, contudo, caminhava pelas ruas boêmias do bairro análogo ao da luz vermelha de Amsterdam. Em cada rua percorrida, ou esquina, trombava com jovens bêbados, uns só e outros em grupo; com pequenos traficantes oferecendo toda sorte de drogas, desde marijuana à ácido; prostitutas segurando-o pela mão, ou puxando-o pela manga da roupa; enfim, com tudo o que poderia ser oferecido e encontrado a custa dos pecados capitais. Eram oportunidades que não convinha a ocasião de sua ida para aquele lugar. O assunto era de importância e Leblanc não podia perder tempo. Kate estava com Calbullarshi.

Ela havia telefonado pedindo que fosse até o encontro deles. Porra, quem é esse cara? Um velho conhecido de longas datas de Kate, que quando comentava sobre ele a impressão passada era de um vampiro tão excêntrico quanto a porra desse nome, se é que é nome ou apelido. Leblanc até ainda escutava o telefone tocar em sua cabeça, quando finalmente chegou no ponto combinado. O ar quente dos esgotos subia e se condensava na rua através dos bueiros. Um golpe de ar, provavelmente vindo do atlântico, arrastava jornais pela viela escura e deserta. Diferente do French Quarter, o silêncio reinava naquela viela sinistra e Leblanc pode ouvir até o fósforo combustar, para ascender um cigarro, iluminando as faces de um jovem homem - 30 talvez - cabeludo com óculos escuros e Kate.

"Psiu, vem aqui" - ouve Leblanc reconhecendo a voz de sua Sire. E tão logo que se aproximou da dupla, Leblanc ouviu Kate dizer: "É ele" para o sujeito, que estendendo a mão para cumprimentar Leblanc perguntou com a voz abafada pelo cigarro, o qual era refletido nas lentes escuras do óculos: "Foi seguido?". Então, dois Tremeres - ou seria três? - reunidos numa viela escura e deserta do bairro francês.
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Qui Dez 20, 2018 1:15 pm

O rosto de Mark era lambido pela chuva fina e acariciado pela brisa de aroma salgado do atlântico enquanto caminhava pelo French Quarter, mas ele não se importava. Ele já havia se acostumado com suas novas sensações, ele podia ouvir cada gota de chuva atingindo o solo, o odor de cannabis e outros entorpecentes vindo dos becos ao seu redor, o cheiro de sexo mal escondido por trás do perfume barato de uma prostituta que acabou de ter uma relação e já estava à procura de mais pagamento, e o som... em noites com uma garoa fina como esta, o som costuma se alastrar pelas gotículas de água no ar. Somando isso a seus sentidos aguçados, ele poderia ouvir o som de uma faca cruzando o ar há vários metros, dando-lhe tempo mais que suficiente para evitar um assalto. Ou então escutar o grito abafado de uma vítima sendo assassinada em um beco a três quadras de distância.

      Nesta noite, porém, ele não estava à procura de cadáveres ou assassinos, e sim de sua criadora, Kate. Ela havia lhe telefonado na noite anterior e pedido que encontrasse ela e mais um conhecido (um conhecido com um nome um tanto exótico, diga-se de passagem, que tipo de nome é Calbullarshi?!).

      O ar quente vindo dos esgotos sob seus pés indicava que ele estava próximo. Leblanc sempre detestou o odor desta área em especial. O fedor dos dejetos da cidade, jornais molhados, mofo, fezes de ratos. O lugar estava tão isolado que não ouvia um único coração bombeando sangue em um raio de pelo menos trinta metros.

      Então ele via dois vultos na escuridão. A combustão de um fósforo revelava suas feições, a eternamente bela Kate e o tal Antonio Calbullarshi.

Kate:
Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Epiphany-proudfoot-film-characters-photo-u1?w=280&h=280&fit=crop&crop=faces&q=50&fmt=jpg

      O Membro que a acompanhava dificilmente seria reconhecido como um irmão de clã. Com um visual bastante casual, ele esperava junto a ela.

"Psiu, vem aqui" - Leblanc podia ouvir a doce voz de sua sire chamando-o, e quando se aproximou, apontou-o para seu companheiro que estendia a mão, e Marc pouco à vontade a apertava.

Antônio: - Foi seguido?

Leblanc: - A não ser que os seguidores sejam invisíveis, inaudíveis e inodoros, tenho certeza que não! - Disse o antigo detetive, com um quê de ironia na voz.

Leblanc: - Então, posso saber qual seria o motivo dessa reunião tão secreta?
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qui Dez 20, 2018 3:12 pm

Rolagem de dado
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Cain em Qui Dez 20, 2018 3:12 pm

O membro 'Samuka' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


'D10' :
Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere D10
Resultado :
Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Image
Cain
Cain

Data de inscrição : 06/03/2010

http://vampiros-a-mascara.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qui Dez 20, 2018 6:40 pm

Off:

PS: 9/10
FV: 5/5

Teste:

Dados:9, 8, 2, 4, 7
LEBLANC rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para ? e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46186

Leblanc

Pirate alley, French Quarter, New Orleans
23H

”Calbullarshi, mas pode me chamar só de Calbul, dou essa intimidade para gente da Kate; você é?”, perguntava o vampiro. Bem, já é um começo, resta saber sua bloodline. Após o aperto de mão, Leblanc sentiu-se levemente incomodado; e, até ponderou em pedir desculpas para Kate, dar meia volta e sair. Uma atitude pueril que, de repente, surgiu em sua mente, mas Leblanc desconsiderou. Afinal, aquilo já estava mexendo com sua curiosidade investigativa. Eram perguntas interessantes a se fazer: a) para que estavam ali; e, b) porquê ali.

O sujeito respondeu a ironia de Leblanc com uma forte tragada no cigarro e voltando seu rosto para Kate com um leve sorriso na cara. Kate, talvez para aparar as arestas, disse à sua cria: - ”Tem um pessoal atrás dele, por isso a paranóia; Leblanc, não liga, não, ele pergunta isso 'pra todo mundo”. E ele completa: - “Não só ser seguido, somos observados em todo momento, camarada; cuidado onde faz os truques”. Seria ele também um Tremere? Ao seu questionamento, ele 'respondeu’: - ”Kate, 'cê conheceu a Mary?”. Ao passo que ela: - ”Acho que sim, Calbul”. Ele diz apontando para o perímetro em que o trio se encontrava com o cigarro entre os dedos: - ”Foi mais ou menos aqui que a conheci; noites difíceis aquelas…”, ele se pausava, Leblanc podia até imaginar a cena, e depois prosseguiu: - ”Tenho umas coisas dela guardada bem ali, venham; e, temos que ser breves”.

O trio caminha mais alguns poucos metros. A viela escura é pobremente iluminada por uns postes victorianos e umas placas de neon dos casarões antigos, e coloridos. Calbullarshi, então, pára e aponta para uma pequena poça d'água na sarjeta da Pirate alley sussurrando: - “”Olhos; façam uma parede, irei resolver isso”. Ele, então, se abaixava entre os dois e conjurava uma chama em sua mão fazendo a poça evaporar. Sim, é um Tremere. Feito isto, ele chega até o muro da viela, o qual tem uma forma semi-circular feito de pedras lavadas. Os tijolos, porém, tapavam o que aparentava ser uma cavidade. ”Que merda, vedaram o muro; terei que usar taumaturgia de novo; com certeza não temos muito tempo, já devem ter me rastreado; espero não estragar seu futuro, Leblanc”, disse Calbullarshi dando um pisão com seu coturno militar na parte do muro e uma onda vibratória se espalhando somente pela área em questão, o qual ruiu. Os três, então, começam afastar os tijolos. Havia muito lixo, também. Kate rompia: - ”Cara, você ficava aqui?”. Calbul não respondeu, ou fingiu que não ouviu. Leblanc ao pegar num tijolo próximo ao seu pé se depara com um pequeno diário cor de rosa (ler Off2). Ele, vendo que Leblanc o encontrou, disse vindo ao seu encontro: - ”Hey, é isso que 'tô procurando, 'cê achou”.

Off2:

Em algumas situações, como esta, destacarei a oportunidade de usar alguma disciplina específica. Aqui, se quiser, poderá usar Auspícios 3, basta declarar no seu post.
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qui Dez 20, 2018 6:45 pm

Calbullarshi:

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Images?q=tbn%3AANd9GcRkfMs96ReN6eOd6B3zEal5RGPiW81GQCkpq4hdHCvp7L4E7fUM
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Sex Dez 21, 2018 10:14 am

Calbul: - Calbullarshi, mas pode me chamar só de Calbul, dou essa intimidade para gente da Kate; você é?

Leblanc: - Sim, desde que ela enterrou as presas na minha jugular, nos tornamos meio chegados! - Diz Mark, novamente com um quê de ironia. - Prazer, sou Mark Leblanc, mas creio que Kate já deve ter lhe dito isso!

      Ao apertar sua mão, repentinamente Mark se sentia um idiota por estar agindo daquela forma com o "convidado" de Kate. Pensou até mesmo em pedir desculpas, mas conteve o impulso.

      O misterioso individuo olhava para Kate que parecia tentar amenizar a situação.

Kate: - Tem um pessoal atrás dele, por isso a paranóia; Leblanc, não liga, não, ele pergunta isso pra todo mundo!

Calbul: - Não só ser seguido, somos observados em todo momento, camarada; cuidado onde faz os truques.

      Aquilo era muito estranho. Mark sentia como se Kate o estivesse levando para algum tipo de encrenca.

      Kate e Calbul então começavam a conversar sobre uma certa "Mary", que de alguma forma parecia ser importante. Calbul então os guia até uma viela na Pirate Alley. Por alguma razão, ele se abaixa em frente a uma poça d'água e a faz evaporar com chamas Taumatúrgicas (sim, ele era um Tremere, ou ao menos alguém que conhece seus truques, o que por si já serviria para colocar sua cabeça à premio entre o clã. Mark esperava que a primeira opção fosse verdade).

      Finalmente, Calbul os leva até um muro de pedra em forma semi-circular.

Calbul: - Que merda, vedaram o muro; terei que usar taumaturgia de novo; com certeza não temos muito tempo, já devem ter me rastreado; espero não estragar seu futuro, Leblanc!

      Como Mark imaginava, Kate o estava metendo em uma enrascada. Do que afinal este homem estava se escondendo?! Com um pisão em uma parte do muro, Calbul faz parte dele ruir. Ele e Kate começavam a afastar os tijolos, e Mark entendeu que deveria ajuda-los, seja lá o que estivessem fazendo, então se agacha e começa a afastar os detritos.

Kate: - Cara, você ficava aqui?

      Ao retirar um tijolo próximo ao seu pé, Leblanc se depara com algo que se parecia com um pequeno diário de capa rosa. Muito provavelmente o que estavam procurando. Antes que percebam que ele o achou, Mark o tocava para saber do que se tratava.

Auspicius 3: Toque Espiritual.


      Enquanto tocava o livro, Calbul o percebia.

Calbul: - Hey, é isso que 'tô procurando, 'cê achou!

      OFF: Caso tenha obtido sucesso no teste, Marc se concentra nas informações obtidas. Caso não tenha obtido êxito, ele perguntava sobre o que se tratava o livro.
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Sex Dez 21, 2018 6:09 pm

Leblanc



”Off”:

Só peço, gentilmente, que em cada post, você evidencie, seja no cabeçalho ou no rodapé do post, o status de PS e FV de Leblanc; e ir atualizando, vlw Krauzer? “Pra evitar a fadiga” do ST ^^’
-> PS: 9/10
-> FV: 5/5

”Teste”:

Dados:6, 6, 5, 9, 5
LEBLANC rolou 5 dado(s) com dificuldade 7 para Auspícios 3 e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46485

Logo que Mark tocou no diário, a sua visão turvou e, de repente, uma imagem de uma jovem mulher surgiu na sua cabeça. Por sinal, linda. Cabelos negros. Olhos verdes. Nariz fino. Lábios carnudos. Sobrancelha fina e arqueada. Certamente, a dona do diário: a tal Mary, apesar de que algo na sua cabeça diga que seja /M/a/r/r/ì/. Francesa? ”Hey, tudo okay contigo?”, perguntava Calbul sorrindo e o segurando por um dos braços.

”Teste2”:

Dados:7, 5, 8
LEBLANC rolou 3 dado(s) com dificuldade 5 para ? e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46492
Antes, contudo, que pudesse assimilar a imagem da provável dona do caderno, Leblanc é acometido de uma reação sensorial tão mais forte quanto a anterior. Seus joelhos até vacilaram por causa de sua audição e fazendo Calbul o segurar pelo ombro. Com o movimento, Leblanc via uma mancha transparente caminhar pelo telhado da Catedral de St Louis e podia ouví-la destruir o mesmo conforme se movimentava até chegar no beiral, o qual fendia. Por não suportar seu peso? Ouvia um bater de asas pesado lançando ao ar os cacos. Ouvia passos adentrando as esquinas da Pirate alley com Royal e Chartres street (ver Off2), o qual um fazia o característico som dos tamancos femininos. Uma mulher? Duas? E o outro? ”Kate, o filho é teu, vê qual é o problema dele”, dizia Calbul. O que seria a mancha? Às vozes de Kate, ”Tem um pessoal atrás dele, por isso a paranóia (...)”, e de Carbul, ”(...) já devem ter me rastreado; espero não estragar seu futuro, Leblanc”, reverberavam em sua cabeça na busca de alguma relação. Talvez tenha, ou não.

”Off2”:

Você está 3 turnos a frente da próxima cena ocorrer. Decida descrevendo da seguinte forma: (por exemplo) Turno 1 -> Conto para eles o que vi; Turno 2 -> Tiro a roupa e saio correndo pelado gritando 'Salve-se quem puder; Turno 3 -> Tomado certa distância entro pelado numa boate. A imagem abaixo é uma pobre tentativa de reproduzir o cenário rs.
Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Map110


Última edição por Samuka em Sex Dez 21, 2018 7:47 pm, editado 1 vez(es) (Razão : Correção)
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Sab Dez 22, 2018 9:51 am

Mark tocava no diário rapidamente e tinha uma visão. Uma mulher linda, de cabelos negros, olhos verdes, traços afilados, lábios carnudos, sobrancelhas finas e arqueadas. Certamente a tal Marry (possivelmente francesa devido à pronúncia do nome), dona do diário. Infelizmente apenas pôde ver isso antes de ser interrompido por Calbul.

      Antes sequer de poder responder, foi tomado por outra reação sensorial (esse era o karma da disciplina). A reação é tão forte que ele sente seus joelhos fraquejarem. Leblanc agora podia ver uma mancha transparente caminhando pelo telhado da Catedral de St Louis, não muito distante dali. Seu peso fazia o teto rachar conforme caminhava até chegar ao beiral, que era fendido antes dela saltar no ar ao som de asas extremamente fortes batendo. Não era apenas isso, ele também ouvia o som de passos  adentrando as esquinas da Pirate Alley com Royal e Chartres Street. Ao menos duas pessoas, pelo menos uma dela usava tamancos pelo som.

- Kate, o filho é teu, vê qual é o problema dele! - Mark ouvia a voz de Calbul tirando-o do transe, e sua voz trazia mais lembranças. ”Tem um pessoal atrás dele, por isso a paranóia (...)”,  ”(...) já devem ter me rastreado; espero não estragar seu futuro, Leblanc”.

      Droga, Mark sabia que seja lá o que eles estivessem fazendo, ia pagar caro por isso. Sem muito tempo para pensar em nada elaborado, ele apenas fala em voz alta (mas sem gritar):

Rodada 1:

- Droga, fomos seguidos! Corram!- E Leblanc disparava em direção à Chartres Street, esperando que seus companheiros o seguissem.

Rodada 2:

      Assim que conseguisse chegar à Chartres Street, ele falava em voz alta (ainda correndo):

- Tem um Gárgula e duas pessoas nos seguindo!- E continuava sua corrida, agora dobrando na rua da esquerda do mapa (em direção a St Peter).

Rodada 3:

OFF: Duvido que ele consiga alcançar a St Peter em apenas três rodadas, mas se conseguir, dobra para a rua Sul do mapa e continua correndo até que:

1) Sejam alcançados.
2) Encontre uma multidão para se camuflarem.
3) Encontrem um local seguro para se esconderem no caminho. De preferência algum com muitas pessoas, como um bar, boate, etc...

      Caso tudo dê certo e eles se encontrem em um local cercado de humanos, ele finalmente se vira para a dupla e os interroga sobre o que está acontecendo:


- Que droga, podem finalmente me dizer o que está acontecendo aqui? Eu estou arriscando minha não-vida e nem mesmo sei o que vocês estão planejando!


Status:

Vitalidade: OK
PS: 9/10
FDV: 5/5
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Sab Dez 22, 2018 7:59 pm

Leblanc

”Rodada 1”:

”O quê?”, respondia retóricamente Kate com um tom de surpresa à fala de Leblanc. ”Aonde 'cê vai?”, questionava Calbul ao ver Leblanc soltá-lo e se colocar a correr. ”Merda, mete o pé, Kate”, ouvia Leblanc o Calbul gritar para Kate, logo que parte do beiral da Catedral despencou no chão.

”Rodada 2”:

”Santo Cristo, Calbul”, vociferava Kate ao seu lado após olhar para trás. Leblanc fazia o mesmo e via uma criatura hominídea azicentada com asas adentrando aos enormes vitrais da Catedral, os quais se quebraram fazendo um grande barulho na viela deserta com os vidros estourando e patifando no chão, depois de um razante pegar Calbul. Os dois continuavam a correr e quando contornavam a esquina da Pirate alley com Chartres street, viam um vulto que logo se pôs a correr atrás de vocês.

”Teste:

Dados:8, 4, 1, 1, 1
NPC1 rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para ? e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46706

Contudo, alguns metros percorridos, Leblanc e Kate viram o vulto ser completamente envolto em chamas, o qual gritava desesperadamente de maneira que fazia lembrar a morte.

”Off”:

Npc1
Status:  Fora do jogo

”Rodada 3”:

Leblanc e Kate avançavam em direção à Peter street. Há uma certo tempo de distância do outro perseguidor, se seus cálculos estão corretos. Leblanc planejava: ou se infiltrar no meio da multidão de pessoas, atrás de alguma experiência inusitada e improvável, nas ruas da French Quarter; ou entrar no primeiro estabelecimento que aparecesse.

”Off2”:

Pelo npc2 estar na esquina da Pirate alley com Royal street, Kate e você estão em vantagem na perseguição = 15m, então para os dois chegarem na Peter street resta 35m. Lembrando que um personagem corre 12+Destreza metros por turno. O teste a seguir baseará na rolagem de Destreza+Esportes (dif. 6) e cada sucesso acrescentará +1metro, logo quem dos dois atingirem os 35 chega na Peter primeiro.

”Teste2”:

Dados:3, 1, 3, 4
LEBLANC rolou 4 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve falha crítica
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46736

Dados:6, 5
KATE rolou 2 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46737

Dados:8, 4, 3
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46741
+++++++++++++++++
Leblanc: 35-0=35
Kate: 35-(14+1)=20
NPC2: 50-(14+1)=35

Leblanc tropeçava e caía de joelhos na rua. Ele via a sua frente Kate se distanciar, deixando sua cria para trás, e via a sua traseira uma mulher de roupa escura, óculos e casaco de couro vermelho se aproximar estendendo suas mãos para segurá-lo. Certamente, se virar para ver o que aconteceu com o outro perseguidor não foi uma boa idéia.

”Teste3”:

Dados:4, 2, 6
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Segurar e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46750

Dados:2, 7, 9
LEBLANC rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Desvencilhar e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46751

A mulher tentava segurar Leblanc, mas ele se levantava rapidamente e com um pouco de força se soltava dos dedos femininos da perseguidora. Leblanc se colocava a correr, novamente.

”Teste4”:

Dados:6, 5, 6, 6
LEBLANC rolou 4 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46761

Dados:4, 4
KATE rolou 2 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46763

Dados:9, 8, 2
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46765
+++++++++++++++++++++
Leblanc: 35-(15+3)=17
Kate: 20-0=20
NPC2: 35-(14+2)=19

Leblanc corria e via que Kate havia parado, certamente preocupada se havia sido pego. Ela, pelo jeito, não é daquelas que abandonam amigos em campo de batalha. Ele passava por sua Sire, fugindo da mulher em seu encalço que quase lhe segurou.

”Teste 5”:

Dados:9, 8, 2
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Correr e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46765

Dados:1, 4, 10, 10
KATE rolou 4 dado(s) com dificuldade 6 para Esquiva e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46782

Dados:2
KATE rolou 1 dado(s) com dificuldade 6 para Esquiva e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: sim
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=46783

Leblanc ouvia um gemido, que reconhecia ser de sua progenitora, e um som pesado de algo cair no chão, como um saco de nabos. A mulher aproveitou de sua velocidade e veio de encontro a Kate, derrubando-a no chão. O que Leblanc fará? Falta muito pouco para ele fugir de toda aquela merda. Mas e a Kate? Leblanc se importava tanto com sua Sire assim para voltar e ir ajudá-la? A merda do diário já estava na sua mão, para que Kate então? Aliás, e se essa mulher já for uma aprendiz da taumaturgia, quais as chances de Leblanc contra ela? Tantas questões surgiam em sua cabeça, mas há apenas duas importava agora: 1) ir e deixar Kate; ou, 2) voltar e pegar Kate.
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Dom Dez 23, 2018 8:26 pm

Enquanto corriam, Mark mal teve tempo de olhar para trás (e ver uma criatura grotesca voando e dando um rasante em Calbul). Ele podia sentir também outro indivíduo os caçando. Sem tempo de olhar para ver que fim Calbul levou, ele corria como se sua não-vida dependesse disso (e de fato, essa era a verdade).

      Na corrida, em outro leve olhar de relance, Leblanc pôde ver um volto que os seguia arder em chamas e gritar instantes antes de ser destruído. O Tremere continuava avançando em direção à Peter Street com Kate, quando se distrai ao olhar o perseguidor e tropeça, caindo de joelhos na rua. Ele via Kate se afastando e atrás de si, uma mulher de óculos escuros e casaco de couro vermelho que tenta agarrá-lo. Por muito pouco ele consegue se afastar e volta a correr.

      Enquanto corria, Mark percebe que Kate havia parado, possivelmente para ver o que aconteceu com ele. Se a situação não fosse tão tensa, Leblanc provavelmente se emocionaria pelo fato dela voltar para ver o que houve com ele, quando não o fez com Calbul. Porém, ao passar por ela, ouve um gemido que reconhecia como o de sua mentora. Para se certificar de sua segurança, ela havia se encrencado. Ele não poderia abandoná-la, ainda mais quando ela se ferrou por sua culpa, então pára rapidamente, sacando seu revólver .38 e apontando na direção onde ouviu o grito.

      Caso tenha a oportunidade, Mark dispara três tiros contra a/o agressor/a de Kate (1FDV gasto no primeiro disparo).
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Seg Dez 24, 2018 3:42 pm

Leblanc

”Teste”:

Dados:6, 2, 5, 2, 1
LEBLANC rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Tiro 1 e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47358
Obs.: -1FV = 1 sucesso.

Dados:3, 8, 9, 7, 10
NPC2 rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Percepção e obteve 4 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47364
Obs.: Pelo NPC2 ter obtido um sucesso completo, irei diminuir a dificuldade no próximo teste de Esquiva até o máximo permitido: 4.

Dados:8, 6, 10
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 4 para Esquiva e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47366

Dados:6, 8, 10, 8
LEBLANC rolou 4 dado(s) com dificuldade 6 para Tiro 2 e obteve 4 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47368

Dados:9, 4, 4, 2, 1
NPC2 rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Percepção e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47373

Dados:2, 10, 4, 3, 7, 5, 2, 10
LEBLANC rolou 8 dado(s) com dificuldade 6 para Dano e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47374

Dados:4, 4, 3
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Absorção e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47377
Obs.: 1.5 de dano-C

Dados:4, 8, 4
LEBLANC rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Tiro 3 e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47378

Dados:5, 1, 8, 2, 9
NPC2 rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Percepção e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47380

Dados:4, 5
NPC2 rolou 2 dado(s) com dificuldade 6 para Esquiva e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47381

Dados:2, 6, 3, 10, 4
LEBLANC rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Dano e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47382

Dados:5, 4, 4
NPC2 rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Absorção e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47383
Obs.: 1 de dano-C

”Off”:

.38 = 6-3 = 3 balas restantes
Total de dano-C = 1.5+1 = 2.5
Npc2 = Ferido

Leblanc sensibilizou-se por sua Sire: Kate. Ele estava bem próximo de sair de toda aquela merda, era só pegar a Peter. A máscara salvaria seu rabo? Mas, ele resolve voltar para ajudá-la. Afinal, não era porque era vampiro que seus sentimentos também estavam mortos. Pelo jeito, ao contrário. Ele saca seu revólver na esperança que alguns tiros ajude-a. 3. No primeiro, a mulher caminhando em direção à Kate, que estava caída tentando se levantar, percebeu que Leblanc havia sacado uma arma e ía atirar. Ela se jogou ao chão. A bala acertou a Catedral, certamente. No segundo, impossibilitada de olhar para Leblanc por ter se atirado ao chão, ele a acerta. A bala atinge as costas dela. No terceiro, logo após se levantar e se virar em direção a dupla, Leblanc acerta seu ombro. Sangue respinga no chão de paralelepípedo. A Peter street é movimentadíssima, certamente o barulho dos tiros foram ouvidos no quarteirão. Isso significa que tiras podem chegar a qualquer momento, se ouviram. Talvez, seja um plano de Leblanc, ou não. A mulher sorri. O negócio estava ficando interessante. Kate agora também estava pronta pra entrar na brincadeira. Era 2 contra 1. Parece que Kate e Leblanc estão em vantagem.

”Iniciativa”:

Dados:4, 2, 8, 7
LEBLANC rolou 4 dado(s) com dificuldade 6 para Iniciativa e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47415
Obs.: 6

Dados:2, 2, 8, 9, 9
KATE rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Iniciativa e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47416
Obs.: 8

Dados:4, 2, 9, 6, 5
NPC2 rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Iniciativa e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47417
Obs.: 7

”Turno1”:


”Ação Kate”:

Dados:9, 5, 10, 2, 8
KATE rolou 5 dado(s) com dificuldade 7 para Furto de Sangue e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47429

”Off2”:

Dados:5
NPC2 rolou 1 dado(s) com dificuldade 1 para ? e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47430
Obs.: 5-3 = 2

Dados:7, 2
NPC2 rolou 2 dado(s) com dificuldade 6 para ? e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47433

Leblanc via gotículas vermelhas de sangue sair pelos poros da mulher estranha em direção aos da Kate. Era algo surreal e assustador naquela viela escura em meio a leve brisa que atingia o French Quarter. Kate recebia um spray de vitae. A mulher sentiu o ataque taumatúrgico de Kate. Leblanc notava isso. Sua postura curvarva-se um pouco; e, até parece que quase cedeu ao frenesi. Então, Leblanc via Kate ser lançada sobrenaturalmente contra a porta de um casarão abandonado. Uma porta de madeira, que era quebrada com o choque do corpo de Kate contra ela. Som característico de madeira quebrando. Poeira. Lascas de madeira pra todo lado. Kate era colocada pra fora da brincadeira, pelo menos por enquanto.

”Off3”:

Npc2: 2-1 = 1
Kate: Escoriada e fora do próximo turno

Leblanc podia sentir o desespero na mulher, na verdade seus sentidos lhe diziam que a besta estava prestes a dominá-la. O que poderia ser um perigo para ele, para o rebanho e, portanto, para a máscara. Contudo, ele estava resoluto em atirar com seu revólver nela. Afinal, ainda restavam 3 balas. Ele engatilha e ouve-se mais 3 disparos.

”Ação Leblanc”:

Dados:8, 8, 2, 7, 7
LEBLANC rolou 5 dado(s) com dificuldade 6 para Tiro 4 e obteve 4 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47467

Dados:5, 3, 9, 7
LEBLANC rolou 4 dado(s) com dificuldade 6 para Tiro 5 e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47474

Dados:2, 10, 9
LEBLANC rolou 3 dado(s) com dificuldade 6 para Tiro 6 e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47476

Dados:5, 7, 6, 3, 3, 8, 9, 3
LEBLANC rolou 8 dado(s) com dificuldade 6 para Dano e obteve 4 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47478

Dados:6, 6
NPC2 rolou 2 dado(s) com dificuldade 6 para Absorção e obteve 2 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47479
Obs.: Tiro 4: dano comum = (4-2)/2 = 1

Dados:1, 10, 2, 6, 6, 6
LEBLANC rolou 6 dado(s) com dificuldade 6 para Dano e obteve 3 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47484

Dados:7, 5
NPC2 rolou 2 dado(s) com dificuldade 6 para Absorção e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47486
Obs.: Tiro 5: dano comum = (3-1)/2 = 1

Dados:1, 1, 10, 2, 10, 4
LEBLANC rolou 6 dado(s) com dificuldade 6 para Dano e obteve 0 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47490
++++++++
Total de dano comum = 2

”Turno 2”:


”Ação NPC2”:


”Teste NPC2”:

Dados:6
NPC2 rolou 1 dado(s) com dificuldade 6 para ? e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: não
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=47453

A mulher parecia incomodada com os disparos. Ele recua com um pouco de dificuldade, com uma mão ao ombro, mas sem dar as costas para Leblanc.

”Ação Leblanc”:

O revólver acabou as balas. A mulher parece desistir do combate. Leblanc pode sentir que a fome é o maior adversário dela e não ele. Leblanc, então, tenta ganhar tempo até Kate se recuperar. Ele pergunta à atacante quem é ela e por que os está perseguindo. A mulher exibe um sorriso. Os olhos dela anseiam sangue, Leblanc pode sentir isso. Ela continua recuando e, antes de entrar na escuridão da Pirate alley, vocifera: - ”NOS VEREMOS DE NOVO”.

Leblanc podia ouvir um certo alvoroço na Peter, certamente pelos disparos. Numa mão o revólver e na outra o diário. Era melhor Kate e ele darem o pé dali. Kate ainda estava lá dentro do casarão. Leblanc fora. Não seria agora que a abandonaria, seria?
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Ter Dez 25, 2018 2:20 pm

Seja pelo fato de ainda ser um mero neófito, ou por ainda conservar boa parte de sua humanidade, Leblanc ainda nutria sentimentos de compaixão por sua sire. Ele sacava seu revólver e disparava uma, duas, três vezes contra a inimiga. As balas eram pouco eficientes contra ela, mas não havia muito o que fazer. A inimiga se joga no chão para se esquivar dos disparos, mas é atingida algumas vezes.

      O som dos disparos é ainda mais horrível quando ouvido por alguém com sentidos aguçados, mas Mark já estava acostumado. O problema é que seus disparos acabariam chamando atenção mortal... o que de certa forma poderia até mesmo ser benéfico, sobretudo se eles acabarem levando a pior contra a mulher.

      Kate que estava caída, mas não fora de combate, o ajuda. Ela gesticula com os dedos e algo acontece com a atacante.

Ver vídeo dos 1:06 a 1:12:


      Uma nuvem rubra sai do corpo da mulher e voa em direção a Kate. Mark pode sentir o odor da tal nuvem há metros de distancia: vitae vampírico. Era uma boa saída para evitar que ela se recuperasse dos ferimentos ou usasse disciplinas para ataca-los. A inimiga, furiosa, revida arremessando Kate a metros de distância com o poder da mente, fazendo-a se chocar com a porta de um casarão abandonado, que se despedaça com o impacto.

      Ainda restavam três balas no pente. Ela era sem sombra de dúvida uma Tremere, uma mais experiente e versada em Taumaturgia que ele, portanto, ele não seria capaz de vencê-la sozinho em um combate. Ele precisava agir rápido, antes que ela conjurasse outra magia de sangue, e sem muito tempo para mirar, Leblanc disparava as últimas três balas de seu pente.

      Novamente atingida, seu ombro e rosto estavam feridos, ela aparentava ter poucas reservas de vitae e estar à beira de um frenesi. Sem muitas opções, a Tremere decide recuar, sorrindo, como quem não quer admitir que levou a pior. -”NOS VEREMOS DE NOVO”- Diz ela.

      Sem perder tempo, Mark corre até o local onde Kate caiu para ver se está tudo bem. Assim que a vê a ajuda a se levantar.

- Kate, está tudo bem? A mulher fugiu, essa foi por pouco, mas estou tecnicamente desarmado! Temos que sair daqui logo!

      Ele tenta retirar Kate o mais rapidamente possível do local, antes que curiosos e policiais começassem a aparecer. Quando sentissem que estavam longe de olhares, continuariam seu plano de "se camuflarem" em um local movimentado, como um bar ou boate.

      Caso tudo corra bem até ali, ele fala baixo para ela, de forma que apenas ela o ouça:

- Kate, eu já estou me arriscando demais, por favor, me diga o que está acontecendo afinal. O que é este diário? Por que há Tremeres atrás de nós? Você e aquele tal de Calbul estão cometendo algum tipo de traição contra o clã e decidiram me arrastar junto? Preciso saber de tudo!
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qua Dez 26, 2018 3:45 pm

Leblanc

”Off”:

Leblanc obteu: 1x diário rosa
Leblanc perdeu: 6x balas p/ .38
”Experiência”:

10 pontos




Leblanc corria em direção ao casarão. Seus calçados pisavam na porta destruída pelo impacto do corpo da Kate. Que estrago. Um mortal tería se fodido todo, sem dúvida. Ele adentrava. Caminhava por um corredor escuro. Paredes velhas. Tijolos a amostra. Kate se levantava, fazia um gesto negativo com a mão à ajuda e dizia: - ”Sim, estou…”, e perguntava em seguida: - ”E a vadia?”.

Leblanc diz:
- A mulher fugiu, essa foi por pouco, mas estou tecnicamente desarmado! Temos que sair daqui logo!

Kate observava sua cria falar e exclamava: - ”Calbullarshi”. Ela sai. A Catedral estava escura e silenciosa. Não parecia que dois seres sobrenaturais tinham invadido seus recintos há poucos minutos para tudo, menos rezar. Leblanc via: a roupa queimada e as cinzas do outro vampiro feitiçeiro, cuja feitiçaria voltou-se contra si mesmo; marcas de sangue; e, Kate com as mãos na cabeça olhando incrédula para a Catedral. Isso vai feder. Aliás, Leblanc podia ouvir sirenes distantes. Kate, então, repete o que ele havia dito há pouco: - ”É! Temos que sair logo daqui! Estou ouvindo sirenes…”. Leblanc é do meio. Ele sabe que os tiras irão fazer uma varredura e usarão as câmeras privadas, e da prefeitura, para identificar os suspeitos: eles. Sair pela Peter, portanto, não era mais uma boa alternativa. Os dois iriam se expor. O 'x’ da questão era evitar as principais. Ele se lembra que estão próximos da Jackson Square. Ele podia ver o portão aberto há poucos metros adiante da pilha de cinzas e resto de roupas queimadas do cainita.

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Images?q=tbn%3AANd9GcSinMqKuV50vu6QBq-VFBXRMOxiNsVq0TF8Ew_8J099NHpini6f

O portão estava aberto. Perfeito. Leblanc corre em direção à praça e Kate o segue. Era inevitável não olhar para Pirate Alley, até porque o portão fica de frente para ela. Leblanc via muito entulho e vidro quebrado, mas nenhum sinal de Calbul. A Catedral se agigantando sobre seus olhos emitia uma tranquilidade quase mórbida. Os dois seguem correndo pela praça. Estava deserta também. Dentre vários bancos de madeira, Leblanc conseguiu contar dois mendigos deitados. Os esquecidos da sociedade são inofensivos, dificilmente serão interrogados. Os dois seguem pegando vielas e ruas secundárias. Leblanc ouvia as sirenes mais próximas, as viaturas passando em disparada pelas ruas principais. Polícias. Bombeiros. Ambulâncias. Ouvia até helicópteros, se não são da polícia devem ser da mídia sensacionalista caçando cenas hollywoodianas 'in live’.

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Images?q=tbn%3AANd9GcRP5y5my1MaqQZ50NFeBGDolHf6jEKf1dv_EURS5zLw_N3jMPqy

A porta do carro fecha. Um 88 chevy nova twin cam preto. Era o que Leblanc conseguiu comprar enquanto vivo. Kate sentava no carona. Os dois já estavam bem longe da Pirate Alley.

Leblanc diz:
- Kate, eu já estou me arriscando demais, por favor, me diga o que está acontecendo afinal. O que é este diário? Por que há Tremeres atrás de nós? Você e aquele tal de Calbul estão cometendo algum tipo de traição contra o clã e decidiram me arrastar junto? Preciso saber de tudo!

Kate estava com um olhar perdido, mas respondia: - ”Okay, mas liga esse troço e tira a gente daqui”. Leblanc dava a partida. O motor respondia. Ele dava ré e pegava a 90. Poucos carros e caminhões. Que diferença pegar uma estrada quase de madrugada do que durante o dia. Kate rompia: - ”Calbul tem muitos inimigos, 'pra’ começar dentro do nosso clã mesmo. O Conselho quer a cabeça dele por causa dessa Mary. Certamente queriam ele, mas como a gente 'tava’ com ele vieram atrás de nós também. Crime? Traição? Tem muita coisa que 'cê não sabe, Mark”.
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Qui Dez 27, 2018 8:53 am

Assim que ajudava Kate a se recuperar, ela se perguntava onde estaria Calbul. Ambos correm até a catedral. Entre destroços de vitrais eles podiam ver um monte de cinzas junto as roupas de Clabul. Embora também fosse possível notar um rastro de sangue deixando o local. Seria seu perseguidor que saiu ferido? Não havia muito tempo para investigar, Mark podia ouvir as sirenes há quadras de distância e avisava Kate. Ela optava por correrem até a Peter, mas Leblanc a alertava sobre as câmeras, então ambos correm portão afora em direção à Jackson Square.

      Ambos correm pela praça praticamente vazia (exceto por dois mendigos e algum ou outro rato procurando restos de comida). Seguindo por vielas e becos, Leblanc podia ouvir sirenes ainda à procura de quem causou o estrago. Mas além da polícia, haviam outros sons, como o de bombeiros, uma ambulância e... até mesmo um helicóptero. "Caramba", pensava o Tremere, ou ocorreu algum grande incêndio aqui por perto, ou a mídia sensacionalista está realmente sem ter o que fazer...

      Mark finalmente alcançava seu carro. Um 88 chevy nova twin quadradão. Podia parecer fora de moda, mas Mark tinha certos gostos arcaicos.

      Assim que entravam no carro, Leblanc puxava a chave e o ligava, enquanto tentava esclarecer algumas coisas.

- Kate, eu já estou me arriscando demais, por favor, me diga o que está acontecendo afinal. O que é este diário? Por que há Tremeres atrás de nós? Você e aquele tal de Calbul estão cometendo algum tipo de traição contra o clã e decidiram me arrastar junto? Preciso saber de tudo!

- Okay, mas liga esse troço e tira a gente daqui!

      Mark rapidamente saia do parque e já estavam na rua (quase deserta a essa hora).

- Calbul tem muitos inimigos, 'pra’ começar dentro do nosso clã mesmo. O Conselho quer a cabeça dele por causa dessa Mary. Certamente queriam ele, mas como a gente 'tava’ com ele vieram atrás de nós também. Crime? Traição? Tem muita coisa que 'cê não sabe, Mark.

- Muita coisa que eu não sei?! Com certeza, por isso quero que me diga tudo! Quem é esse tal de Calbul afinal? E essa Marry? Por que meio mundo quer a cabeça deles? E principalmente, por que você decidiu se intrometer, e intrometer a mim, nessa enrascada? Espero que haja algo realmente valioso por trás disso tudo, pois aposto que nossas cabeças já estarão a prêmio entre os Tremere até amanhã!

Mark continuava dirigindo enquanto falava. Esse silêncio parecia tranquilizador inicialmente, mas após alguns minutos, tornava a atmosfera local ainda mais apavorante. Ele sabia que os bruxos eram extremamente rígidos, e certamente não deixariam passar uma situação como esta. De qualquer forma, talvez eles estivessem apenas adiantando um futuro iminente; O Regente da capela apenas os havia criado para investigar sobre a mitologia e crenças locais da cidade, era questão de tempo até eles se tornarem inúteis a ele e serem mandados para algum fim de mundo para serem sacrificados ou usados como buchas de canhão. Ao menos ele tinha Kate ao seu lado, mas a situação ainda era aterradora.
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qui Dez 27, 2018 4:50 pm

Leblanc

”Off”:

PS: 9/10
FV: 4/5
Vitalidade: Ok

Não foi fácil para Leblanc passar por aquela pilha de cinzas e resto de roupas carbonizadas sem ser pego pelos sentimentos. Ao mesmo tempo que sentia o medo da morte final, ele sentia também um pavor da Taumaturgia e até que ponto é seu limite. A verdade é que ela não é uma arma para se brincar. Recomenda-se aos desastrosos não invocá-la, pois para com ela o dito é válido de que 'o feitiço vira-se contra o feitiçeiro’. Leblanc sentia um misto de pena e satisfação pela morte daquele cainita. Ele não o conheceu, mas o fato de ter virado uma pilha de cinzas foi o mínimo por o ter perseguido. Calbul desapareceu junto com seja lá o que o apanhou. A Catedral de St Louis não dava sinal de nem um nem outro, como se tudo aquilo nem aconteceu. Mas, isto já é passado. Leblanc agora dirigia pela 90. Ele pegava um viaduto e via o rio do Mississippi dividindo a cidade ao meio. A conversa com Kate prosseguia.

Kate: - ”Porra, Mark, 'cê acha que quero virar uma pilha de cinzas igual aquele cara virou? O Calbul só pediu minha ajuda pra encontrar essa guria, beleza? E eu te chamei porque pensei que seria uma boa pra você conhecer ele. Calbul sabe muita coisa, o cara é uma enciclopédia ambulante, entende? Além disso, porra, 'cê não era detetive?”.

Leblanc pergunta:
E essa Mary?

Kate: - ”Eu, sinceramente, não me recordo direito dela. Acho que a vi uma ou duas vezes. O que eu sei é que ele é apaixonado por ela. Mas não sei se os Alastors estão atrás dele por causa dela, porque me lembro que muito antes dela aparecer ele já estava fugido. Uma hora ficava naquele muro que a gente foi e em outra 'nuns’ lugares abandonados por aí. Calbullarshi sempre foi meio rebelde. Ele não 'tá nem aí pros ritus. Ele é livre, saca? Livre por completo”.

Leblanc seguia pela estrada, quando subitamente Kate grita: - ”Fuck, entra nessa saída. Vamos 'num’ lugar que acho que podem nos ajudar a entender o que 'tá acontecendo”.
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Sex Dez 28, 2018 8:37 am

OFF:
Foi mal por esquecer os status:
PS: 9/10
FV: 4/5
Vitalidade: Ok


      Mark olhava para a pilha de cinzas com um misto de sentimentos conflitantes. Apesar de tão poderosos, os Membros poderiam ser ao mesmo tempo tão frágeis. Brincar com fogo é algo perigoso até mesmo para eles, não é à toa que raramente Sedução das Chamas era ensinada como trilha primária a novatos como Mark e Kate. Por um lado, talvez Calbul tenha tido o que merecia por arrastar os dois para seu problema, mas não era a função de Mark julgar o Tremere.

Kate: - ”Porra, Mark, 'cê acha que quero virar uma pilha de cinzas igual aquele cara virou? O Calbul só pediu minha ajuda pra encontrar essa guria, beleza? E eu te chamei porque pensei que seria uma boa pra você conhecer ele. Calbul sabe muita coisa, o cara é uma enciclopédia ambulante, entende? Além disso, porra, 'cê não era detetive?”.

Leblanc: - E essa Mary?

Kate: - ”Eu, sinceramente, não me recordo direito dela. Acho que a vi uma ou duas vezes. O que eu sei é que ele é apaixonado por ela. Mas não sei se os Alastors estão atrás dele por causa dela, porque me lembro que muito antes dela aparecer ele já estava fugido. Uma hora ficava naquele muro que a gente foi e em outra 'nuns’ lugares abandonados por aí. Calbullarshi sempre foi meio rebelde. Ele não 'tá nem aí pros ritus. Ele é livre, saca? Livre por completo”.

Leblanc: - Entendi, tu só foi mais uma ingênua, como eu, é isso? Fico me perguntando como um clã tão rígido como os Tremere foram abraçar um rebelde como esse cara. E agora, para onde vamos?

      Leblanc seguia pela estrada, quando subitamente Kate grita: - ”Fuck, entra nessa saída. Vamos 'num’ lugar que acho que podem nos ajudar a entender o que 'tá acontecendo”.

Leblanc: - Ok, ok, não precisa se desesperar! Que tipo de lugar é esse?

      Sem muitas outras opções, Mark seguia o caminho indicado por ela, e observava com muito cuidado para ver se não estavam sendo seguidos.
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Sex Dez 28, 2018 2:49 pm

Leblanc



Diante das conclusões de Leblanc, ela apenas disse: - ”Calbul não é esse tipo de cara, Mark”. Ele pegava a saída indicada por Kate. Ela continuava dando as coordenadas e quando Leblanc se dá conta está na Lafayette Ave bem próximo do cemitério que leva o mesmo nome da avenida. O lugar em questão é o Garden District. Um pictoresco e charmoso bairro em New Orleans com casas, além de lojas antigas. Kate, então, aponta para uma típica casa desse bairro. Três andares. Estilo arquitetônico clássico com art nouveau. Cerca de grades de ferro com uma portinhola para entrar no quintal. Jardim com algumas plantas que Leblanc reconhece, outras não. Gnomos decorando o jardim. Uma fonte. Uma escada até a entrada que tem um tapete, um banco de balançar de madeira branca e uma mesinha com rosas vermelhas. Kate e Leblanc viam um papel na porta com os dizeres: ‘Fui lanchar, volto já. Ass.: Sebastian’. Kate senta no banco se balançando e dizendo: - ”É, vamos esperar então”. Leblanc virava-se para a rua, a qual os inúmeros carvalhos retorcidos ao longo dela dão um ar assustador junto com os outros casarões. Nenhum carro ou táxi passava por ela. Leblanc tinha certeza que havia gnomos decorando o jardim, pois eles sumiram. Estranho, não? Leblanc não é doido, é?

Garden District, New Orleans, LA
3h am

Leblanc estava encostado na coluna da áreazinha da entrada. Kate ainda se balançava no banco fazendo as correntes que o suspendiam rangerem. Ela até tinha chamado ele: - ”Dá 'pra mais um sentar”. Mas Leblanc preferiu esperar em pé. Devia estar meio estressado com tudo isso. De lá de cima, Leblanc viu um homem surgir das sombras que os carvalhos faziam na rua. Este abriu a portinhola e disse como já soubesse que ela estava ali: - ”Kate”. Ele se pôs a subir a escada chegando na entrada junto aos dois. Ele o cumprimenta com um: - ”Boa noite”. Ao ver Kate, ele diz retóricamente: - ”O que a traz aqui? Quanto tempo”. Ela se levanta e o abraça respondendo: - ”É verdade, Regente. 'Tivemos com Carbul há pouco. Aliás, este é Mark”. Ele se vira para Leblanc dizendo meio entusiasmado: - ”Ah, sim, sim, você é Sire dele. Prazer, sou Sebastian, Regente da Capela de Nova Orleães. Vamos entrar, pelo jeito temos muito o que conversar”. Calma aí, ele disse Regente? Um negão desses. Leblanc tomava uma conclusão racista quanto a Sebastian. Um afro-americano de um metro e oitenta e tantos. Forte. Parecia um pouco com Martin Luther King. Leblanc sabia quem era, não matou as aulas de história da escola em que estudou. Sebastian parecia um pouco com esse cara. Cabelo bem curto meio pixaim. Cavanhaque. Uma calça de couro preta. Sapatos de bico fino de couro de cobra, provavelmente. Um sobretudo vermelho aveludado. Uma bengala branca de marfim. Vários anéis, uns com gemas e outros de caveiras, além de vários colares. Aliás, não era Reiss o nome do Regente?

Sebastian, então, dava três pulinhos em cima do tapete e dizia: - ”Dentro é meu mundo, o meu doce lar. Fora é o submundo com seus problemas singulares”. Quando ele terminou de dizer isso, a lâmpada em cima da porta deu umas piscadas. Um vento estranho vindo de sabe-se lá d’onde balançavam as folhagens e o banco, que fazia seu característico som. Leblanc até ouviu uma voz feminina sussurar no seu ouvido: ‘Sweet home’. Será mesmo que Leblanc não é doido? Só ele percebeu essas coisas? O tal Regente abria a porta retirando o aviso. O interior da Capela era modesto, mais parecia uma casa comum. Sofá. Poltronas. Mesa bagunçada com uns livros e uns objetos estranhos, tipo faca e ossos mortais. Quadros religiosos e, sim, um crucifixo preso na parede. Além, claro, de algumas cabeças empalhadas de rena. Sebastian diz: - ”Fiquem à vontade”. Ele vai até a mesa e parece arrumá-la. Leblanc ao sentar no sofá tem uma sensação estranha. O rosto daquela Tremere surge na sua cabeça, como surgiu da Mary quando pôs a mão no diário. O que significa isso? Será que ela já esteve aqui conversando com Sebastian? O Regente, por sinal, enquanto senta numa poltrona pergunta: - ”Estiveram com Calbullarshi, o que houve?”.

”Off”:

Considere que no intervalo de tempo em que Sebastian se senta, criou-se uma oportunidade de cutucá-la e cochichar algo para Kate (obs.: no máximo 4 palavras)
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Sab Dez 29, 2018 12:27 pm

Mark segue as instruções de Kate até chegarem até Garden District. Lá, eles saem do carro e caminham até uma casa aparentemente comum no local. Anões de jardim, um tapete de boas vindas, realmente parecia uma casa comum nestes locais, mas... espere aí, cadê os anões de jardim? Bom, provavelmente Mark deve ter se confundido, a maioria das casas vizinhas também possuía anões de jardim, talvez o estresse combinado com seus sentidos ampliados tenham pregado uma peça nele.

      O indivíduo não estava no local, então teriam de esperar.

- Quem exatamente é o dono desta casa e por que você acha que ele pode nos ajudar?- Perguntava a Kate.



***




      O tempo passava e Leblanc já estava ficando nervoso, Kate o convidou para sentar no banco, mas ele prefere continuar de pé. Algum tempo depois, o homem finalmente chegava.

      Vindo como que conjurado em meio às sombras dos carvalhos nas ruas, ele parecia saber que tinha visitas e quem seriam elas. Mark estranha quando ele se apresenta como o Regente de Nova Orleans (Como? e Reiss?).

      A magia de Sebastian causava estranhos arrepios em Leblanc. Ventos vindos de lugar nenhum, sussurros pronunciados por alguém inexistente. Lá dentro haviam muitos objetos exóticos, pelo menos em comparação aos itens arcanos e tomos empoeirados que viu nas poucas vezes que esteve na capela de NO. Uma súbita visão da dona do diário voltava a surgir na mente de Mark quando ele se senta na poltrona, teria ela estado ali?

      Quando Sebastian se senta, Leblanc cutuca Kate e cochicha:


- O que houve com Reiss?


      No momento que Sebastian pergunta sobre Calbul e o que houve, Mark deixa para Kate falar, enquanto tocava na poltrona onde estava sentado em busca de descobrir algo mais, principalmente sobre Marry.

OFF: Teste para Toque Espiritual.
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Sab Dez 29, 2018 10:23 pm

Leblanc

Os olhos de Leblanc percorriam cada ponto da sala e seguiam cada movimento de Sebastian. A resposta de Kate às suas perguntas, contudo, ainda estava fresca ecoando em sua mente. ”Sebastian, um feiticeiro como nós. Ele conhece Calbul. Aliás, Calbul é grandsire dele”, disse ela. Calma aí, ela disse que Calbullarshi é ‘vovô’ do Regente, o qual não é Reiss? Sim, exatamente isso que Leblanc ouviu. Talvez justamente por isso, enquanto que Sebastian se preparava para se sentar numa poltrona, ele sussurrava à Kate cutucando-a:

Leblanc cochicha:
- Que houve com Reiss?

Afinal, Reiss faz parte da história de Kate e das recentes lembranças de Leblanc. Sebastian não. Era inevitável que surgisse tal incômodo em Leblanc, pois onde estava esse cara no seu abraço e juramento? Leblanc se lembra, como não se lembraría? Provou exatamente nessa ordem: o prazer, a morte e o renascimento. Aquilo o marcou para sempre. No primeiro, Kate lhe proporcionou um prazer inimaginável. No segundo, Leblanc conheceu a Morte. Sim, conheceu. Foi um negócio estranho mais ou menos assim: enquanto Kate estava em seu pescoço drenando seu sangue, o seu espírito pulou para fora do corpo e viu, além dele e de todos ali, uma mulher linda de vestido vermelho. Era e não era parecida com Scarlett Johansson. Fumava um cigarro e estava com suas lindas, porque um grande decote permitia tomar tal conclusão, pernas cruzadas balançando seu sapato na pontinha dos dedos. Olhou para Leblanc e disse sorrindo: ”É garotão, está com sorte. Não será dessa vez que te pego. Mas tenha certeza que virei de outras formas, mas virei”. Então, duas mãos vermelhas saíram do vestido dessa Scarlett abrindo sua boca e um jato de líquido rubro, como sangue, foi lançado por sua garganta abaixo. Isso é o que podemos dizer que foi o terceiro, pois os olhos de Leblanc abriram novamente. Estava abraçado. Aliás, não apenas seu abraço como seu juramento aconteceram, por motivos excepcionais, em um refúgio de Marcel. Ele também se recorda. Foi Reiss, não Sebastian, que entregou um papel antigo e amarelado para Kate, a qual pediu que repetisse o que estava escrito nele. Foi Reiss, não Sebastian, que sob o olhar curioso de Marcel lhe levou até uma mesa com sete taças e lhe fez beber uma por uma. Foi Reiss, não Sebastian, que virou para Marcel e disse: ”Oficializado em nossos ritos, não há da minha parte, portanto, qualquer razão para negar seu amembramento”. Onde estava Sebastian nessa porra toda?

Kate respondia também cochichando: ”Não! Depois te conto”. Sebastian, então, se ajeitava na poltrona e perguntava se estiveram com Calbullarshi, como também se houve alguma ocorrência. Kate respondia: ”Sim, faz pouco tempo, Sebastian. Nos encontramos com ele na Pirate Alley, mas dois Astors vieram atrás dele”. Sebastian, por sua vez, questionava: ”Astors?”. ”Sim”, exclamava Kate que completava: ”quer dizer, eu acho. Eles tinham um gárgula dando cobertura. Aquela coisa pegou Calbul”. Sebastian emitia um som estranho, tipo como se estivesse ruminando. Ou pensando? Não importa. Leblanc estava desconfiado demais e precisava saber mais, principalmente sobre Mary. Ou Marie? Tanto faz. Leblanc talvez esteja tentando encaixar alguma peça nesse quebra-cabeça. Afinal, o detetive era ele. Seus dons sobrenaturais possam, talvez, lhe ajudar.

”Teste”:

Dados:4, 8, 8, 3, 10
Dados Extras:3
LEBLANC rolou 5 dado(s) com dificuldade 9 para Toque do Espírito e obteve 1 sucesso(s)
Re-rolar 10: sim
Ignorar 1: não
Link: https://warleiramos.com/rolador/?q=49227

Nada. A imagem da perseguidora surgia novamente em sua mente. Será que ela foi a última pessoa estar sentada ali? Talvez. Sebastian, então, se levantava da poltrona dizendo: ”Foi muito bom da sua parte ter vindo me avisar, Kate. Nigel precisa saber disso”. Quem? Logo em seguida, ele se dirigia até um baú no canto da sala. Abria-o e pegava um monte de coisa enrolada num pano, que colocava sobre a mesa dizendo: ”É melhor vocês se armarem”. O que ele quer dizer com isso? Leblanc provou há pouco que .38 é ineficiente contra cainitas. Sebastian, então, descobria algumas estacas de madeira e garrafas vazias de cerveja com panos no gargalo. ”Peguem”, exclamava ele.

”Off”:

Por não ter onde guardar essas coisas direito, se quiser pegar poderá carregar só:
1x Estaca
2x Molotov s/ combustível

O trio estava na calçada. Kate no carona. Leblanc no volante. Sebastian apoiado na janela do carona dizendo: ”Irei avisar o restante do pessoal. Temos que fazer uma reunião. Venham participar daqui 2 noites”. Sebastian, então, saía, mas logo rodopiava nos calcanhares jogando algo bem no meio das pernas de Leblanc dizendo: ”Já estava me esquecendo. Fique com isso, garotão. Me deu sorte um tempo atrás, lhe dará também”.

”Off2”:

1x Pé de coelho (obs.: o portador deste item poderá uma vez por noite somente: ou transformar uma rolagem com falha crítica em uma falha simples; ou rejogar uma rolagem que tenha obtido uma falha simples).

Agora sim Sebastian saía. Ele subia as escadas, enquanto que Kate dizia: ”Vamos pr'o seu apê, Mark. Já, já vai amanhecer”.
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Seg Dez 31, 2018 9:44 am

Hum, então Calbul era grandsire deste homem. Pelo visto ele deveria ser mais importante do que Mark pensava. Apesar disso, tudo ainda parecia confuso, onde Reiss entrava nisso tudo? Desde quando ele era o regente da capela da cidade?

      ”Foi muito bom da sua parte ter vindo me avisar, Kate. Nigel precisa saber disso” Nigel? Quem é Nigel? Leblanc se sente um otário nessa situação, Kate era apenas algumas semanas mais velha do que ele nos mistérios da noite e parecia saber sobre todas essas pessoas enquanto ele era apenas uma criança engatinhando nas trevas.

      Sebastian então lhes oferecias armas mais eficazes contra Membros do que a .38 que Marc havia gastado na Tremere sem tê-la derrubado. Leblanc opta por guardar duas estacas e uma garrafa.


***



      Finalmente, ambos já estavam no carro. Sebastian dava um último recado:

- Irei avisar o restante do pessoal. Temos que fazer uma reunião. Venham participar daqui 2 noites.

      Então saia, antes de retornar rapidamente, jogando um estranho objeto no colo de Marc. Por um segundo ele se assusta, talvez estivesse ficando meio paranoico devido a situação, mas percebe que era apenas... um pé de coelho?

- Ah estava me esquecendo. Fique com isso, garotão. Me deu sorte um tempo atrás, lhe dará também.

- Ah, obrigado... eu acho!

      Enquanto Sebastian saia, Kate lhe falava:

- Vamos pr'o seu apê, Mark. Já, já vai amanhecer.

      Para alguém que sabia tantas coisas, Kate era um tanto inocente. Voltar pro seu apartamento e dormir o dia todo lá? Seja lá quem os estiver caçando, já devem saber sobre seu refúgio e poderiam enviar carniçais para matá-los durante o dia.

- Desculpe, mas não acho seguro passarmos o dia em meu refúgio, seria um tanto óbvio. Acho que o melhor seria irmos para algum hotel ou albergue o mais próximo possível daqui!

      Caso ela concorde, Marc vai direto para o primeiro albergue ou hotel barato que estiver nas redondezas. Ele dirá que o melhor é alugarem apenas um quarto para ambos, para que estejam mais protegidos ao invés de dormirem em quartos separados. Também sugere que deveriam se revezar e cada um permanecer acordado por algumas horas.

Status:
PS: 9/10
FV: 4/5
Vitalidade: Ok
Revólver .38, 0 balas
2 estacas
1 Molotov
1 Pé de Coelho
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Ter Jan 01, 2019 10:03 am

Leblanc

”Off”:

Leblanc: 1x Estaca; 1x Molotov s/ combustível; 1x Pé de coelho
Kate: 1x Estaca

Cena 1:
Kate olhava para Leblanc parecendo considerar o que ele falava. Então, ela diz: ”Boa, Mark. É verdade, já podem estar nos seguindo”, fazendo uma pausa e completando: ”Acho que o mais próximo é o Pontchartrain. Segue por essa rua e dobra na Josephine Street”. Leblanc assim fazia e percebendo que mal distanciou 9 jardas da Capela de Sebastian, um flash lhe cegou brevemente. Ele dá uma freiada. Kate se apoia no porta-luvas perguntando: Porra, por que freiou, Mark?”. Então, carros simplesmente começaram aparecer na rua quando recobrou a visão. Uns estacionados nos parking sides permitidos ao longo da rua e outros circulando, inclusive táxis. Além disso, algumas casas, ao contrário de antes, estavam completamente acesas. Nada deserto ou escuro.

*

Cena 2:
Dobrando na Josephine, ele via um prédio não muito alto com um grande letreiro de neon indicando: Pontchartrain Hotel. Um pictoresco bonde passava no trilho, os quais se distribuem por toda Downtown, com poucas pessoas no seu interior. Leblanc estacionava em frente do hotel. Kate e ele saíam do chevy. Um cara, devia ter mais ou menos 40 e ser latino, bellboy do hotel sentado num banco de madeira no pé da entrada dizia: ”Hey, não pode estacionar aí, amico”. Kate olhava para Leblanc, os dois estavam na calçada do hotel com sua fachada modesta. Era quase 4 da manhã.

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Images?q=tbn%3AANd9GcQZ9x2__HxdPYi4Vci1EBP1vUZl9QpQ9GexRH6m7-vNiaVBGzwI
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Heathcliff em Qua Jan 02, 2019 2:00 pm

Leblanc seguia o conselho de Kate e deixavam o local. Um estranho flash o atrapalhava e de repente ele se via na mesma rua, só que agora ela não mais estava isolada. Era como se tivessem entrado em uma espécie de realidade paralela no quintal de Sebastian. Isso era realmente sinistro.

      Kate ralha com ele por ter freado bruscamente. Ele responde com outra pergunta:

- Que droga foi essa afinal?



***



      Eles finalmente chegam ao Pontchartrain Hotel, são atendidos por um latino de meia idade dizendo que ele não podia estacionar ali. Mark olhava furioso dele para Kate.

- Vai vendo o quarto para nós, eu já volto!- Então voltava ao carro, ligava-o e procurava algum local melhor para estacionar (de preferência que não ficasse muito à vista).

      Caso tudo ocorresse bem, ele volta ao hotel, procura o quarto onde estava Kate, perguntava se ela já havia tomado as devidas precauções (fechar completamente as janelas para evitar o sol, etc...) e dizia que ficaria acordado pelas primeiras 6 horas do dia, então a acordaria e ela faria o mesmo enquanto ele dormia.
Heathcliff
Heathcliff

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Samuka em Qua Jan 02, 2019 8:01 pm

Leblanc

Leblanc exibia certo desconforto com a fala do mortal, mas ele talvez fazia não por mau: era ordem da casa. E ao vê-lo falar com Kate para ir adiantando as coisas na recepção, enquanto que procuraria outro lugar para estacionar o chevy, o sujeito se intromete: - ”Sir, me desculpe. Não sabia. O hotel tem um estacionamento para seus hóspedes. Sou manobrista, posso levá-lo”. Leblanc, então, lhe entregava a chave, ainda com cara de poucos amigos. O sujeito a pegava e tirava um bloco de notas de um dos seus bolsos. Ele anotava a placa do carro, erguia a manga do paletó para ver as horas, em seu relógio de pulso, anotando-a também e lhe perguntava: ”Qual seu nome, Sir?”. Considere que, após a resposta, ele destacou a folha e lhe entregou dizendo: ”Entregue esta folha na recepção quando for apanhar o carro, Sir (Nome informado)”.

Dentro, os dois se dirigiam a recepção. Uma jovem loira na casa dos 30 ao vê-los rapidamente se endiretou e pôs um semblante simpático no rosto. Kate dizia a Leblanc: ”Não rola no meu nome. Desaparecida, lembra?”. Os dois chegam no balcão e a jovem diz: ”Bom dia, o casal deseja algo?”. ”Um quarto simples para nós dois”, respondia Kate. ”500 dólares e preciso de alguns dados”, disse a moça. Kate fazia uma careta e dizia para Leblanc: ”Só tô com 50”. Leblanc não foi um caro rico durante a vida e nem depois da morte. Contudo, sobrevivia dando uma de Sherlock para pessoas preguiçosas em desvendar seus próprios problemas. O bom desse serviço é que não precisa de carteira assinada e nem tem uma entrevista de emprego. É só anunciar numa merda qualquer e aguardar. O problema dele é justamente esse: aguardar por um serviço. Leblanc aguardava, mas estava mais envolvido com assuntos dos Kindreds do que largata num casulo. Aliás, assuntos que não lhe davam verdinhas. Na sua carteira 650 dólares e um cartão com saldo de 2 mil para saque. Ele dava os 500 para a mulher e ela perguntava: ”Tem algum documento de identificação?”. Leblanc tinha: sua lincença para dirigir. Continha seu nome, alguns outros dados e uma foto 3x4 dele com mais cara de morto do que agora. Ele entregava. ”Sir Leblanc”, dizia ela enquanto podia ouvir os dedos seus teclando os botões do teclado do computador, ”Quarto 413 no quarto andar. A partir das 6h até às 8h oferecemos café e de 11h à 12h lunch no nosso restaurante”. A moça, então, lhe entregava um cartão magnético.

Pontchartrain Hotel, Room 413, Garden District, New Orleans
5h am

Os dois entravam no quarto. Era simples, mas confortável. Uma cama de casal. Uma poltrona. Uma mesa com uma TV lcd. Papel de parede azulado com detalhes de flor de lis em dourado. Duas mesinhas de cabiceira, uma de cada lado da cama, com dois abajures e um telefone. Um banheiro. Uma janela com cortinas e da qual se tinha uma boa visão da rua. Aliás, era possível ver que logo amanheceria e, por isso, Leblanc fecha bem as cortinas. Enfim, era mais do que o necessário para passarem o dia. Ela concordava com o plano de Leblanc e se trancava no banheiro. Ele sentava na poltrona esperando. O quê? O tempo passar. Logo um tédio lhe tomou. Algo também o incomodava. Pôs a mão. Era o diário. Essa merda toda por esse cardeninho cor de rosa. Leblanc, então, o abriu.

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere 220px-Ibn_Wahshiyya%27s_985_CE_translation_of_the_Ancient_Egyptian_hieroglyph_alphabet

Na contra-capa ele via alguma coisa escrita* em uma língua diferente (imagem acima); e, na primera folha anotações** em inglês, que ele lia:

Pagina 1:
Finalmente estou livre do autoritarismo de meu pai. Hoje decidi que o meu destino quem escolhe sou eu. Não quero a mesma vida dele. É uma tristeza que só. Ele não vive. Só estudos e mais estudos. Não quero perder meu tempo metida num lugar cheio de livros velhos e mofados. Por isso, peguei uma economia dele e fui para Paris. Le centre est magnifique. Mas não pude passear direito por ele, porque meu pai mandou uns caras atrás de mim. Foi difícil conseguir me livrar deles, mas consegui. Graças a isso, tive a idéia de comprar uma passagem para um lugar bem longe. Um lugar onde ele não pudesse me achar. O único disponível quando cheguei no Charles de Gaulle era para l'etats unis. Não pensei duas vezes e comprei.

”*”:

Poderá usar aqui Toque do Espírito, basta declarar

”**”:

Poderá usar aqui Toque do Espírito, basta declarar
Samuka
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere Empty Re: Em meio a cobras - Um jogo p/ Tremere

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum