O Patético de Helsinki

Ir em baixo

O Patético de Helsinki Empty O Patético de Helsinki

Mensagem por Amaya Takenouchi em Dom Nov 25, 2018 4:35 am

AAAAhhhhhhhahahahahahahahaha!

Ah, venha, venha! Eu sei que você veio para o show! Eu sei! Eles me contaram tudo!

Não se preocupe. Não irá se arrepender. Este show é algo que você jamais, jamais mesmo... irá ESQUECER!


O Patético de Helsinki Maxresdefault

Ah... aceita um pouco de sangue...? Oh, que falta de consideração minha! Você está amarrado, não pode pegar a taça. AHAHAHAHAHAHAH!

Mas... eu... eu acho que posso fazer algo por você. Talvez eu possa te ajudar com isso, enquanto eu conto a minha história! Sim, sim sim! Será muito, muito divertido! É como eu costumava fazer os meus shows antes! Falar um pocuo da minha vida, pois não existe piada maior do que ela! Ou melhor.... da minha não vida... HAHAHAHAHA, isso me faz sentir vivo de novo!

Tá, tá, tá. Eu juro, juro mesmo que não vou mais me distrair. Toma aqui, o sangue. Ah, esqueci de avisar. É sangue de rato. Ahhhhh não! Não me diga que você é um daqueles fresquinhos que tem um paladar tão afinado assim? Poxa! Sujou todo o meu chão! Que feio de sua parte, que visita mal educada! Vou ter que tampar sua boca!

Nossa, deixa eu te dizer. Eu nasci em um lugar beeeeem isolado da Finlândia. Tipo, só dá pra pescar e fazer sexo no verão. E no inverno, a pescaria é ruim. HAHAHAHAHA, eu sei. Chato, né? Eu tenho certeza que alguém com uma carinha tão lisinha como a sua nuuuuuuuunca passou por isso.

Mas é. Se fosse aqui na América do Norte, eu seria chamado de esquimóóóóó... minha família é meio chata. Só vivia dos negócios de pescaria e de turismo do Papai Noel na minha terra natal em Rovaniemi. Ah... não, não! Eu juro que eu fui um bom menino... EI! EU FUI UM BOM MENINO SIM! MAS A PORRA DO PAPAI NOEL NUNCA APARECEU PRA MIM, PARA ME DAR UM PRESENTE. AHHHHHH! Eu mato aquele velho maldito. E sugo o sangue dele até o fim.

Ah, mas onde eu tava mesmo? Ah, sim! Alguém me lembrou que eu tava começando a falar da minha infância.

Sabe, me chamo Mirko. Mirko Virtanen. Virtanen é quase como se fosse um "Dupont" na França, ou um "Johnson" entre os sobrinhos do Tio Sam. Todo mundo tem essa merda de nome na Finlândia. E como um monte de gente com nome igual, eu tive uma vida meio fodida e chata.

Ah, não, não.... não não não... não quero falar disso... EU NÃO QUERO FALAR!

Tá, tá, tudo bem... Um belo e ensolarado dia, meu pai com bafo de vodka matou minha mãe na porrada. Eu então esperei o velho dormir e o joguei no mar gelado. Hehehehehehehe. Acho que ele curtiu tanto o soninho que ele foi lá dormir pra sempre. HAHAHAHAHAHAHAA!!!!

Ah, foi assim que.... eu garanti uma viagem legal pra capital, Helsinki! Com uns homens estranhos me circundando e tal. Eu ficava em um quartinho, com outros meninos, que pareciam não ter vindo com os pais também. Mas.... eu aprendi coisas legais lá!

Vem, vem! Escolhe uma carta! Tó, aqui um baralho com 52 cartas! Todas viradas pra baixo na mesa. Escolhe uma.

Ah, eu sei que você tá com a boca tampada, só indica com o olho, pô! Me ajuda aí!

Ahhhhhh. Aposto que é a dama de coooooopas. Rainha do meu coraçãozinho. <3 Deixa eu virar... !!!! AH QUE EMOÇÃO! É ELA MESMA!!!!!

Eu me lembro de uma menina que eu conheci, lá. Ela passou pela frente do orfanato e.... era um pouco mais velha que eu. Ela me viu fazendo truques com cartas e contando piadas! E... ela... ela gostou!

Ela gostou de mim! Acho que ela me achou bonito! Me achou garboso! Me achou tchutchuco! AHAHAHA. Acho que as vozes da minha cabeça concordam.

E depois dela, tudo mudou. Eu fugi daquela merda de orfanato. E ela me levou pra um lugar colorido, um lugar mágico.

Ah, o que é, o que é!? É uma coisa que arma a barraca de três em três meses!?

Não, não é o seu "amiguinho" aí entre as pernas, caro Sangue-Azul! É um circo, claro!

Agora, eu é que tô com sede, deixa eu pegar um pouco de sangue pra mim... ê, caralho, pára de gritar abafado pela fita, esse som me irrita! Só fiz uns cortezinhos em tua jugular!

Pronto, pronto... tô satisfeito. Sangue de Ventrue é outra coisa mesmo... ah, tá, voltando! Eu cheguei em um circo, e fui escalado pra fazer umas coisas bem loucas, sabe? Dar cambalhota no chão, me machucar, me foder pra tirar umas risadas e de vez em quando, fazer umas magias legais também. Hehe.

Mas o show mesmo foi ter beijado aqueeeela boquinha da menina.... ela se chamava Jenni. Ela era sueca. Lindinha, sabe? Gostosa pra caralho, também, mas eu tava apaixonadinho e era uma merda, queria um nudes da alma dela, não do corpo. Que pena, podia ter aproveitado mais. HAHAHAHA.

A gente tava bem, fazendo uns shows pela Escandinávia, até que tudo aconteceu, quando voltamos para o show em Helsinki. Nosso QG. Eu já tava com uns probleminhas aqui com essas pessoas me dizendo o que eu devo ou não fazer, sabe? Você não pode ver elas, mas elas estão aqui comigo, tá? Não vem duvidar da minha palavra não! Aí tava tomando uns remedinhos pra ficar tranquis. Só que eu tava nervoso naquela noite e tava meio bêbado.

Tinha tudo pra dar errado naquela noite. Um dos mágicos fez merda e tacou FOGO NA PORRA TODA! ATÉ CHEGAR NA PARTE ELÉTRICA! BUUUUUUUM! EXPLOSÃO! MATOU GENTE PRA CARALHO! Opa... joguei álcool em cima das suas feridas? Foi mal. Emoção do momento. E tipo... geral correu pra tudo quanto é lado, e eu vi a Jenni meio que ferida ali. Eu não queria deixar ela, massssss.

Eu recebi uma pancada na minha cabeça.

Assim! PÁ! Foi um pouco mais forte do que essa panelada que eu te dei na nuca, porque a tia quer você vivo, mas você entendeu.

Véi. QUANDO EU ACORDEI, ERA O FILHO DA PUTA DO MÁGICO QUE TACOU FOGO! O cara era loucasso. Louco de pedra. Mais do que eu. Piromaníaco, sabe?  A gente tava em um cantinho bem abandonado. Eu achava que ele queria me estuprar, e não ia adiantar nada falar que eu não curtia! Só que ele me deu um cheirinho no cangote. E foi tããããão legallll...

O que veio depois é que foi o inferno. CARALHO, ESSAS VOZES NA MINHA CABEÇA COMEÇARAM A GRITAR ENQUANTO EU ME CONTORCIA DE DOR! PUTA QUE ME PARIU!

E depois disso, só fome. Só via vermelho. A primeira coisa que eu me alimentei, foi de alguns animais do circo.

Mas eu não tinha encontrado a Jenni. Só depois que eu fui informado que ela não resistiu aos ferimentos. E aí, o mágico começou a ensinar uns truques maaaaaais legaaaaais ainnnnndaaaa.

Tá sentindo isso? Esse ódio, essa vontade de matar geral. Esse medo, das coisas da tua infância. Pois é. EU TÔ ME PERSONIFICANDO NO TEU PIOR PESADELO, CUZÃO!

Ah, qual é. Você gostou, diz pra mim.

O problema é que no começo, não conseguia matar. Jamais prenderia alguém aqui como tô fazendo agora! Eu era bonzinho demais pra ser cainita! Eu era patético. O Patético de Helsinki, era como os cuzões dos algozes da Cammy me chamavam. HEHEHE.

QUEM É PATÉTICO AGORA, PORRA!?

Vamos aproveitar seus últimos momentos de queda da Torre, aqui em Seattle, enquanto eu termino a minha história. Eu continuei com o que restou do circo. Mas aí, eu vi um vulto estranho, quando fiz um show em Estocolmo.

Jenni? JENNI? Era você....? MEU AMOOOORRRR!????

Era. Mas não como antes.

Ela virou torequinha. Uma Rosinha. Da Camarilla. E uma verdadeira vadiazinha. E sabe de quem?

UMA VADIA TUA. Seu Ventrue filho da puta. Quando eu vi vocês em Estocolmo juntos, algo se acendeu em mim.

Foi aí que eu decidi sair dessa merda. Ela sabia que eu tinha pego ela. E iria achar ela até o fim do mundo. Eu ainda não pus as minhas mãos nessa vagaba. Mas a tia tá cuidando disso... E eu vivi na sarjeta, continuava sendo o Patético de Helsinki, mas por oooouuutros motivos. Só por ser um neófito fodido e bem doido mesmo.

Ah, como eu conheci a tia? Eu não entendi muito bem. Ela era da Islândia, mas ela tinha um pouco de francesa também. Só sabia que ela era forte pra cacete e eu a respeitava, mesmo quando eu tava do lado oposto dela. Mas ela viu meu potencial. Ela viu o meu ódio.

Ela viu a vontade que eu tinha de pegar você.

Pena que eu não posso te matar agora. Mas tudo isso me fez caçar vocês até aqui. Nesse fim de mundo em Seattle. HAHAHAHAHA. E sabe qual é a piada? Vocês contaram com uma sede da Camarilla que tava prestes a cair, né? CÊS NÃO CONTAVAM COM A ESPERTEZA DOS HUMANOS, NÉ? HAHAHAHA!

Caralho, eles enganaram vocês direitinho. Mas é claro que a gente não tava esperando muito dos humanos também e quase tomamos no cu junto. Só que é muito mais fácil se esconder como Anarquista. Não tem líder nenhum nessa porra, apesar da tia ser uma inspiração pra gente.

O que é legal. Não respondo à ninguém. Nem mesmo a ela.

Por isso... talvez ela não fique tão brava comigo se... eu me divertir um pouco mais com você. Ela tem ódio de almofadinhas como você, de qualquer forma.

Nesse momento, os humanos deixaram os destroços da Cammy e a gente tá pilhando o que restou. Então, só aproveita o GRAN FINALE DO NOSSO SHOW PARTICULAR!

Ahhhh. Por que tão sério?


Vamos colocar um sorriso nesse rostinho lindo?

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
Amaya Takenouchi
Amaya Takenouchi

Data de inscrição : 08/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum