Vida e Morte de Lazarus Morales

Ir em baixo

Vida e Morte de Lazarus Morales Empty Vida e Morte de Lazarus Morales

Mensagem por Reverendo em Dom Nov 11, 2018 4:37 pm

Capitulo I - O Nascimento de um Milagre

Aquele Outono estava gelado e as folhas amareladas despencavam graciosamente das arvores cobrindo parte da calçada. Na simples residência dos Morales, enquanto a televisão solitária anunciava o resultado da eleição presidencial de 88 com o novo presidente eleito George H. W. Bush, o grito de dor interrompe o silêncio da noite. Na banheira uma adolescente sofre com as dores do parto é amparada por uma senhora que a orienta para ajudar no nascimento da criança e outra jovem mulher esguia.

O vento adentra na residência como um espírito desesperado fazendo com que as cortinas serpenteiem no ar enquanto a televisão solitária apresenta a comemoração do Partido Republicano. A senhora pronuncia algumas orações enquanto auxilia a adolescente sem forças a trazer ao mundo sua criança, mas para desespero nenhum som é emitido à criança está inerte e pálida como uma vela. Experiente a senhora rapidamente corta o cordão umbilical e faz o procedimento cirúrgico rudimentar na adolescente, enquanto a mulher esguia limpa o bebê recém nascido tentando reanimá-lo.

Aos prantos a adolescente segura o bebê no peito pedindo em orações que seu filho não seja levado para o outro mundo, a jovem mulher ajoelha-se ao lado da adolescente e do recém nascido e reforça as orações com pesar no coração. A senhora esfrega as mãos e inicia um ritual diferente, ela ascende uma vela na frente de uma imagem na parede da sala e retorna com um buque de ervas iniciamdo um banho no bebê e na mãe que não consegue conter o choro. A senhora repete os movimentos com as mãos e profere uma oração diferente de suas filhas:

Santísima Muerte,
Reina de los cielos,
Aquí nos tienes humildemente postrados
Ante tu prodigiosa imagen.
En ti ponemos toda nuestra esperanza,
Tú eres nuestra vida y consuelo.
Estando bajo tu sombra protectora y
En tu humilde regazo,
Nada podremos temer.
Ayúdanos en nuestra peregrinación terrena
E intercede por nosotros ante tu
Divino en el momento de la muerte
Para que alcancemos la eterna salvación del alma.
Oração para santíssima Morte em espanhol

Tradução da oração em espanhol:

Santíssima morte
Rainha dos céus,
Aqui nos tens humildemente prostrados
Diante da tua prodigiosa imagem.
Em ti pomos toda a nossa esperança,
Tu és a nossa vida e consolo
Estando debaixo da tua sombra protectora e
em teu humilde colo
nada podemos temer.

Um choro estridente interrompe as orações, o bebê se contorce e engasga enquanto o sopro da vida adentra em seus pulmões. Derramando lagrimas e com um largo sorriso a adolescente guia o frágil bebê para seus seios alimentando com o sagrado leite materno enquanto a senhora mantém-se firme em sua oração em espanhol. A jovem mulher abraça com afeto tanto a adolescente como o recém nascido e pergunta:

- Então irmã, já sabe qual o nome vai batizar meu sobrinho ?

- Sim ! Responde a adolescente com um largo sorriso no rosto. Ele vai se chamar Lázarus, assim como na bíblia.

Cecília  e sua irmã  não conseguem conter a felicidade contemplando o jovem Morales que acabou de nascer e sua mãe Madame Morales permanece firme em suas preces a Santíssima Morte. O que nenhuma delas notou é que a televisão solitária na sala estava desligada, a janela que permitia o vento agitar as cortinas, agora está fechada e a vela acesa em frente a imagem está completamente queimada.

La Santa Muerte (IMAGEM):
Vida e Morte de Lazarus Morales La_Santa_Muerte
Reverendo
Reverendo

Data de inscrição : 14/08/2018
Idade : 39
Localização : Vila Velha - ES

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vida e Morte de Lazarus Morales Empty Re: Vida e Morte de Lazarus Morales

Mensagem por Reverendo em Ter Nov 20, 2018 1:55 pm

Som da Chuva:

Capitulo II - Uma visita inesperada

A televisão solitária anunciava o resultado da campanha presidencial de 1992, com o novo presidente eleito Bill Clinton. Na cozinha da residência dos Moralles um alvoroço incomum, este seria o 4º aniversário de Lazarus e sua mãe e tia estavam empolgadas com a idéia de comemorar esta data. As duas distraídas e completamente dedicadas a preparar as guloseimas que seriam colocadas na Piñata, a avó de Lazarus agradecia ascendendo velas próxima ao quadro com a imagem da Santissima Muerte.

O pequeno Lazarus corria e brincava pela casa enquanto a chuva castigava do lado de fora, sendo possível ver pela janela como a água escorria no vidro emitindo um barulho semelhante a uma pequena fonte d’água. A luz da vela serpenteava formando sombras sinistras da parede dando a impressão que a imagem da Santíssima Muerte movia os olhos acompanhando a criança correndo de um lado para o outro dentro da casa.

As luzes se apagam quando um Relâmpago corta o céu chuvoso de East Harlen seguido do ensurdecedor barulho do Trovão, deixando não só o bairro, mas toda Manhattan as escuras. A vela acesa se assemelha a um farol para Lazarus que fica hipnotizado com a imagem na parede caminhando em sua direção com seus passos curtos de criança, deixando seu brinquedo cair no tapete. Cecília escutando a voz da criança sai preocupada da cozinha procurando pelo seu filho e o encontra rindo e conversando próximo a imagem da Santíssima, ela abaixa o tronco apoiando as mãos nas pernas ficando em uma altura mais próxima do pequeno Lazarus. Intrigada com a cena pergunta a seu filho:

- Filho . . . Com quem está conversando?

- Com a amiga da vovó. Responde a criança.

- Que amiga? Pergunta Cecília virando-se para os lados procurando alguém, mesmo sabendo que ninguém estava na sala.

- Ela ! Responde Lazarus apontando para a imagem da Santíssima Muerte.

Cecília ajeita a postura e fica próstata frente a frente com a imagem da Santíssima que está iluminada apenas com a luz das velas. Ela sente um calafrio na espinha ao perceber que a janela está semi-aberta e a chuva que castiga do lado de fora respinga dentro do cômodo. Cecília se aproxima da janela para fechá-la e se abaixa para pegar o brinquedo de seu filho que está caído no chão, é quando ela percebe pegadas descalças e molhadas em volta do brinquedo, assustada ela testemunha seu filho acenando e se despedindo pela janela. . . Alguém realmente esteve aqui.

Brinquedo "perdido" :
Vida e Morte de Lazarus Morales Preldio_II_-_Brinquedo_Perdido
Reverendo
Reverendo

Data de inscrição : 14/08/2018
Idade : 39
Localização : Vila Velha - ES

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vida e Morte de Lazarus Morales Empty Re: Vida e Morte de Lazarus Morales

Mensagem por Reverendo em Sex Jan 11, 2019 2:09 pm

Capitulo III - Melhores amigos

A Família Morales estava reunida em volta da televisão assistindo o primeiro discurso televisionado para o povo Norte-americano do presidente Clinton. Cecília e sua irmã conversavam sobre o quão bonito são os olhos presidente eleito e o quanto se parece com os olhos do pai de Lazarus, enquanto isto, a matriarca da família a respeitada Madame Morales preparava as tortillas para completar os tacos e burritos, o típico jantar da família. Lazarus brincava e se divertia perambulando de um lado para o outro brincando de pega-pega com seu ursinho de pelúcia: Leopoldo, ou como a criança carinhosamente chamava “Polo” ou “Polito”. O frio inverno não incomodava dentro de casa, mas a paisagem nas ruas estava mórbida com as arvores sem folha e a palidez da neve nos telhados e calçadas.

Cecília sente um calafrio na espinha e percebe que seu filho está em silêncio a tempo demais para uma criança que a poucos brincava, corria e pulava com seu bichinho de pelúcia. Com o olhar assustado e um aperto no coração a jovem mãe se levanta do sofá e saí à procura do filho na pequena residência e para seu desespero ela testemunha a criança na pequena sacada da escada de incêndio de ferro, no lado de fora girando segurando os braços de Pólo. Tomada pelo desespero, Cecília grita o nome do filho que assustado a criança que deixa seu brinquedo de pelúcia cair, rolando pela escada de ferro pousando na calçada na rua. A mãe pega o filho pelos braços e beija seus cabelos apertando o rosto da criança carinhosamente nos seus próprios peitos enquanto sua irmã aparece na porta para conferir o motivo do grito desesperado.

Depois do jantar, uma típica comida mexicana feita pelas habilidosas mãos da Senhora Morales, Cecília leva o adormecido Lazarus para sua cama e retorna para o conforto do sofá e a distração da televisão. A jovem mãe desperta assustada com uma voz fria que parecia cantarolar, ela esfrega os olhos e observa que o relógio já apontava quase 4 horas da manhã e a televisão estava com aqueles típicos chuvisco de fora do ar, quando a risada de Lázarus chama sua atenção. Lentamente Cecília vai se aproximando do quarto enquanto escuta o filho cantarolando uma típica cantiga Mexicana para chamar a chuva:

Que llueva, que llueva,
la virgen está en la cueva
los pajaritos cantan, las nubes se levantan.
¡Que sí, que no,
ya viene el chaparrón

Tradução:

Chove, chove,
a virgem está na caverna
os pássaros cantam, as nuvens se elevam.
Sim, não,
a chuvarada está chegando

Ao abrir a porta Cecília perde o fôlego ao ver que seu filho está acordado com as mãos fora do berço segurando o braço de Pólo ursinho de pelúcia que caiu na calçada e ninguém da casa havia se lembrado de descer para buscar.

Pólo o urso:

Vida e Morte de Lazarus Morales Preldio_II_-_Melhores_Amigosjp
Reverendo
Reverendo

Data de inscrição : 14/08/2018
Idade : 39
Localização : Vila Velha - ES

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vida e Morte de Lazarus Morales Empty Re: Vida e Morte de Lazarus Morales

Mensagem por Reverendo em Qua Mar 20, 2019 11:19 am

Capitulo IV - Anjo da Guarda

Para os habitantes de Nova York assim como de outras grandes cidades no mundo, a morte é evitada de ser pronunciada, a diferença é que no México, ao invés de ignorada, a morte é encarada, ao invés de temida, ela é debochada, os mexicanos apesar do medo eles não se escodem e tão pouco se escodem dela. A indeferença diante da morte nutrida pela indiferença diante da vida é entendida perfeitamente por aqueles que sofreram com o preconceito e o desprezo após migrarem da terra de seus antepassados para a terra do tio Sam, a forma como o povo mexicano encara a morte está calcada nos ícones de histórias muito longínquas de uma mitologia própria de tradições indígenas pre-hispânicas que puderam resistir e integrar-se aos signos cristãos dos colonizadores espanhóis preservando a crença na vida após a morte.

Lazarus Morales, mesmo sem entender seus sentimentos testemunhou  sua amada tia estava cair com o olhar vazio e o corpo sem vida devido a violência exagerada de um deliquente que sacou a arma após tentar sem suscesso roubar a bolsa da jovem Morales, com o sangue respingado em seu rosto Lazarus encarou o marginal que ainda apontou a arma para a cabeça da criança e simulou ter atirado fazendo um “BANG” com a boca. As pessoas que estavam nas ruas se afastam assutadas gritando desesperadamente deixando Lazarus sozinho na calçada enquanto a gargalhadas debochadas o marginal e seu comparsa se afastam da criança e de sua tia sem vida. Para surpresa dos bandidos, eles são surprendidos por uma jovem de corpo esbelto e bela aparência que surgiu subtamente na frente dos dois.

Soundtrack - Cartel de Santa [Santa Muerte]:

https://www.youtube.com/watch?v=hFZIMpygApE

A sombria e bela mulher agarra violentamente o marginal que apontou a arma para Lázarus e com os proprios dentes rasga a garganta do deliquente que se engasga com o proprio sangue. Ainda segurando o corpo em convulsões do Marginal a bela mulher encara nos olhos do comparsa que fica atônito ao ver que seu amigo foi morto pelas mãos de uma mulher de aparência indefesa. Com a outra mão a mulher agarra o comparsa e o arremessa violentamente contra a parede do beco, Lazarus foi capaz de ouvir estalos de ossos se quebrando mas não viu nada, apenas os gritos suplicando piedade sendo abafados e depois silenciados . . .

. . . segundos depois a bela mulher sai do beco banhada em sangue trazendo em suas mão Pólo, o urso de pelúcia. A mulher se aproxima da criança e sorri entregando o brinquedo ensanguentado para Lazarus que não tinha dúvidas quem era ela: La Catrina a Dama da Morte, com admiração o jovem Morales sorri e pega seu urso de pelúcia abraçando-o fortemente ele agradece e começa a cantarolar uma cantinga que é conhecida por ele e pela sua amiga. . .

Que llueva, que llueva,
la virgen está en la cueva
los pajaritos cantan, las nubes se levantan.
¡Que sí, que no,
ya viene el chaparrón

As pessoas em volta se comovem e assustam ao testemunhando sem acreditar que uma criança está brincando com o urso de pelúcia ensanguentado girando em circulos e cantarolando em volta do corpo sem vida de sua tia morta que foi brutalmente assassinada

La Catrina:
Vida e Morte de Lazarus Morales La_Catrina_e_Plo
Reverendo
Reverendo

Data de inscrição : 14/08/2018
Idade : 39
Localização : Vila Velha - ES

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vida e Morte de Lazarus Morales Empty Re: Vida e Morte de Lazarus Morales

Mensagem por Reverendo em Sab Maio 04, 2019 3:09 pm

Capitulo V – Laços de Família

As tentações conduzem ao pecado, e o pecado retira a harmonia com o sagrado deixando não somente o corpo, mas o espírito fraco.  Devido à falha em sua harmonia e comunhão com o sagrado o corpo torna-se suscetível as doenças que se aproximam daqueles que estão afastados de Deus. Madame Morales por ser uma Bruja, conhece muito bem a falhas do espírito e tem consciência de que o sagrado está presente na sociedade de uma forma muito abrangente, as doenças são apenas meros artifícios utilizados pela Morte para alcançar seu principal objetivo: Retirar o sopro de vida de cada ser.

Estas doenças podem se manifestar de diversas formas, nas comunidades menos favorecidas em função dos problemas sociais e de segurança, a dependência química é o mais comum. A dependência química produz uma mudança estrutural, definitiva, no cérebro humano, essa estrutura modificada passa a comandar a motivação do dependente e irá direcionar seus interesses e ações na busca da droga, em detrimento de todas as demais atividades. E foi esta a principal motivação para tirar a vida da irmã de Cecília na frente do jovem Lazarus anos atrás.

Para que fosse possível curar estas doenças era preciso antes de tudo resolver a questão espiritual para depois curar a física e Madame Morales sempre foi talentosa para descobrir onde estava a falha espiritual e indicar o tratamento correto, assim como um psicólogo é capaz de ajudar a curar não por meios de remédios, mas por uma analise mental do problema. Mas nem todo seu talento foi capaz de convencer sua filha Cecília que o pequeno Lazarus não possuía doença alguma, tanto física quanto mental. A jovem mãe estava convencida de que a amiga imaginária de Lazarus, Catrina foi fruto do trauma pelo fato da criança ter testemunhado o brutal assassinato de sua tia anos atrás e tanto Lazarus como Madame Morales sabiam o quanto La Catrina é real.

Tendo consciência de que seu neto é importante para a Dama da Morte, Madame Morales decide atuar diretamente na educação da criança e enquanto Cecília trabalha para sustentar a família, a avó cuida do neto ensinando sobre a cultura Mexicana e as peculiaridades de La Catrina. A Dama da Morte possui um Lacaio fiel e eficaz e irá cuidar de sua futura cria,  La Catrina a Mestre da senhora Morales tem interesses no pequeno Lazarus que de alguma forma chamou a atenção da Filha de Malkav.

Vida e Morte de Lazarus Morales 00_-_Madame_Morales
Madame Morales, Avó de Lazarus e Lacaio de La Catrina
Reverendo
Reverendo

Data de inscrição : 14/08/2018
Idade : 39
Localização : Vila Velha - ES

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vida e Morte de Lazarus Morales Empty Re: Vida e Morte de Lazarus Morales

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum