Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Seg Set 24, 2018 11:37 am

Morpheus; Pds: 13/15; FdV: 10/10; Vit.: Ok


Mirela, Cassandra, Yeva... e agora, Morpheus. Diferentes nomes para um mesmo monstro que seguia o caminho da metamorfose em busca de sua apoteose. Cada nome uma experiência distinta. Agora Morpheus era o caminho da transcendência espiritual, sabedoria, uma consciência mais elevada. Morpheus mal se lembrava de onde estava. Apenas um recinto singelo, mobílias de madeira com molduras antigas. Utensilhos de argila, moldados à mão estavam em cima de uma escrivaninha, também de madeira. A vela que queimava já estava quase no fim, mas ainda levaria um ou dois dias para dispersar o último naco de parafina. Pouco a pouco a memória dos últimos dias começavam vir a tona.

Anne Stone estava já há alguns dias em Denver, capital do Colorado, acertando uma exposição de arte. A cidade seria a sede do circuito internacional de relíquias antigas que acontecia apenas de 5 em 5 anos, onde eram comercializados títulos antigos e algumas obras ficavam à exposição do público, embora não pudessem ser comercializadas. Alguns títulos já estavam confirmados, como uma múmia de 3mil anos, escrituras antigas que não caíram nas mãos da Igreja, como uma página do livro de Maria Madalena, entre outros. Anne havia informado que era uma oportunidade excelente para a Galeria de Morpheus.

Coincidentemente Joseph Parker, o único homem de quem Morpheus tinha notícias de que poderia traduzir o pergaminho de Cipriam estava em Denver para o evento das relíquias antigas. No entanto, será que os planos de Cassandra ainda eram os planos de Morpheus?


OFF: Você está em algum motel (pensão) a beira da estrada, próximo de Denver.

Morpheus rolou 8 dados de 10 lados com dificuldade 6 para vicissitude que resultou 3, 1, 1, 2, 8, 8, 9, 7 - Total: 2 Sucessos

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Aradia em Ter Set 25, 2018 3:34 pm


A busca por respostas estava longe do fim. O começo já era desafiador. Na sua cabeça, confusas lembranças de suas antecessoras confundiam ainda mais a noção de tempo e espaço.
Presa dentro de outras, buscava se encontrar.

“- Como poderia ela durar mais do que algumas noites? Estamos em um motel, uma cainita desta idade se comportando como uma criança da noite. Cortava Yeva os delírios daquela mente atormentada.”

“- É verdade que precisamos de um lugar melhor. Pelo menos deixei o caminho andado com Anne. Afirmou Cassandra”

Uma séria de e-mails e ligações inundaram a mente de Morpheus sobre o que fazia ali. Cassandra estava tentando acabar com o que havia começado. Na verdade, isso era um absurdo imposto por alguém que havia falhado.

- Calem-se! Falou Morpheus para ela mesma.

Sua mente confusa e vazia ainda tinha planos na Catedral de Carne. Seus Revenantes, a cria de Cassandra, Ouroboros e seu novo mentor. Tinha como objetivo retomar o que ela nem sabe ao certo como perdeu.

Era certo que agora estava em Denver. E poderia ter uma relíquia que custou seu último Revenante desvendada.

“Obviamente, Anne está equivocada. Nunca encontraria nenhum artefato do meu interesse em uma exposição aberta a um público não selecionado. Mas, quem sabe, o tradutor...”

Com um celular descartável em mãos, ligou para Anne: - Providencie o aluguel de dois andares de apartamentos na cobertura. E encaminhe os convites, roupas decentes e um carro

Apagou a vela e ativou os seus sentidos apurados. Após uma pequena ronda investigativa do quarto, reuniu apenas os pertences que não poderia ficar para atrás.

“Vou tirar de vocês o que aconteceu para que eu esteja aqui. A hora de vocês acabou. Eu sou Morpheus.”


Morpheus faz=se valer dO Chamado para atrair possíveis aliados ainda antes de sair do Hotel. Seus sentidos irão permanecer aguçados, mas com todas as precauções tomadas.
Após se arrumar a altura do evento, observar a aura do motorista e adentrar no carro carregando consigo os animais; À caminho do evento, negociaria uma troca de favores valendo=se dos sussurros selvagens.


_________________
"A tortura quebra a matéria e atingi o aspecto imaterial do ser.
É a única forma de tocar o que ainda não compreendo."
avatar
Aradia

Data de inscrição : 27/04/2010
Idade : 28
Localização : Uberlândia - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Qua Set 26, 2018 9:08 am

Amino Ank Toczek; PdS.: 08/13; FdV: 08/08; Vitalidade: ok


Amino sai do avião, após se alimentar do co-piloto, deixando-o atordoado na cabine do jato particular fretado pelo vampiro. Um mercedes benz já aguardava o cainita com uma equipe a postos. Assim que entrava no banco de trás do carro e o motorista ganhava as ruas de Denver, o cainita abria o notebook tentando localizar Anka. O rastreador estava dando sinal próximo à estação central do metrô de Denver, um local um pouco distante da residência de Anka. Amino agora precisava decidir para onde seguiria.

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Qua Set 26, 2018 9:35 am

Gerrard Blackwood; PdS: 08/15; FdV: 07/08; Vitalidade: ok

O Gangrel se aproximava do gato tentando apanhar alguma informação, no entanto antes que o vampiro saía de perto do corpo de Lúcia um estrondo era escutado na cozinha da casa. O piso, as paredes e o telhado tremiam e de repente o mundo a volta do vampiro começava a desabar. O gás que estava na casa incendiava transformando todo o local em um inferno ardente. O vampiro sentia a temperatura subir vertiginosamente e sua pele ardia com o fogo. O vampiro ficava cego por conta da enorme luminosidade. O deslocamento do ar da explosão jogava o vampiro através da janela que caía no quintal voando, enquanto a casa desmontava em um incêndio sem fim. O vampiro tivera sorte duas vezes. Primeiro por estar longe da explosão, sendo atingido com menos intensidade. Ele ainda assim sofreria queimaduras graves, mas por sorte a resistência sobrenatural do clã Gangrel garantia a Gerrard sair daquela explosão sem nenhum ferimento grave, apenas arranhões superficiais. No entanto sua visão estava extremamente afetada pela luminosidade, que foi amplificada pelo uso dos olhos da besta.


Explosão rolou 10 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 1, 5, 7, 5, 5, 5, 8, 5, 6, 5 - Total: 2 Sucessos
Gerrard rolou 2 dados de 10 lados com dificuldade 6 para fortitude que resultou 8, 10 - Total: 2 Sucessos


Obs.: Cegueira até o fim da noite.
(Você não enxerga. Os personagens podem compensar a perda da visão, tornando-se mais sensíveis aos outros estímulos sensoriais, mas as imagens e as pistas visuais lhe passam desapercebidas. As ações que envolvam a coordenação visual e manual são mutio difíceis de serem realizadas, sobretudo nas situações tensas. As dificuldades de todos os testes baseados na Destreza são aumentadas em dois pontos. )

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Ignus em Qua Set 26, 2018 11:08 am

Sem sequer ter tempo para pensar no estrago que conseguira causar Troy desfere um soco no segurança que estava ao lado daquele cuja caixa torácica ele acabara de esmigalhar, mais por reflexo do que por planejamento.


No entanto, agora mais dois humanos entravam no combate.


Se tivesse condições de parar e filosofar a respeito, Troy provavelmente compararia sua situação com a de Hércules ao enfrentar a Hidra de Lerna. Ele era um sujeito dotado de força descomunal lutando contra uma criatura - ou, no caso concreto, um grupo -  em que no lugar de cada cabeça cortada surgiam duas no lugar. Felizmente para ele o limite da 'regeneração' de seu oponente parecia estar no fim, pois ao que tudo indicava aqueles dois reforços eram os últimos do grupo de opositores.

Visando a neutralizar o quanto antes os elementos o Ventrue logo de cara invoca os dons do sangue para paralisar um dos novos seguranças que surgia.

{Dominação 1}: Parado!

A seguir o vampiro adota uma estratégia de luta um pouco menos 'elegante' do que lhe era de costume. Tentando tanto surpreender como dar um golpe eficaz Troy avança para o segundo segurança que estava chegando para lhe dar uma cabeçada no meio do rosto, na altura do nariz. Se tudo desse certo o trauma poderia ser suficiente para matar. Se não desse tão certo assim o cainita esperava que pelo menos a dor resultante do golpe fosse suficiente para incapacitar o sujeito por alguns momentos.

Com as duas ações sobressalentes que a rapidez lhe proporcionava Troy se prepara para lidar com as demais ameaças. Ele pretendia acertar quem estivesse mais perto e ainda em boas condições de combate (ou seja, não paralisado por dominação ou incapacitado por ferimentos). Se fosse um dos humanos ele socaria o sujeito. Se fosse um dos cachorros ele chutaria o animal. De toda forma ele colocaria toda sua força nos golpes.


1 pds em rapidez
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Qua Set 26, 2018 1:34 pm

Alex Troy; PdS.: 02/15; FdV: 10/10; Vitalidade: Escoriado (letal)
vigor +5 (máximo)
destreza +3
rapidez ativa




Após derrubar o primeiro humano o vampiro atacava o segundo com um soco direto no peito. A resultado foi parecido com o primeiro ataque. A força descomunal do impacto do golpe do ancilae arremessava o humano do outro lado do ambiente. O corpo dele chocava-se com uma força tremenda contra a parede lá na frente antes de despencar no chão, agonizando.

Assim que os outros dois seguranças chegavam o vampiro apelava para o poder da mente na tentativa de tirar mais um humano momentaneamente do combate. No entanto, talvez a euforia do combate não permitia que a disciplina funcionasse ou que o vampiro se concentrasse o suficiente. Independente disso o Ventrue avança sobre o quarto mortal desferindo-lhe uma cabeçada na altura do nariz. A cabeçada de Troy era perfeita. Acertava em cheio o nariz do segurança, que se acabava esbagaçando com o impacto, formando um rosto totalmente desfigurado. Os vasos capilares do rosto estourava, os olhos saltavam para fora do orifício ocular do crânio, os dentes se quebravam e apenas uma cavidade se formava naquela face. A cabeça do vampiro funcionava como uma marreta e o corpo do segurança caía pelas escadas, rolando de acordo com a força da gravidade, já sem vida.

Movendo-se como um vulto, graças à velocidade sobrenatural, herança do primeiro vampiro, Troy soca o rosto do último humano, não afetado pela dominação. Num ato reflexo o humano tenta se proteger cobrindo a cabeça com o braço direito. No entanto o soco do ancilae causava uma fratura exposta no alvo e ainda acertava o rosto na altura do ouvindo. O corpo do humano voa 4 metros em linha reta para depois cair no piso do andar de baixo. Troy nem precisava conferir para saber que ele estava fora de combate. Ainda restavam dois cachorros. Estes, por sua vez, pareciam ter sangue cainita em seus corpos. Uma batalha um pouco mais árdua.

Os dois cães que restavam ainda atacavam o vampiro. Cada um mordendo em uma perna do cainita. Mais uma vez a resistência de Troy evitava o pior. O sangue azul ainda tinha fôlego para um revide. Conseguia soltar a perna direita, aproveitava e pisava em cima do cachorro que estava mais machucado. O pisão de Alex Troy acertava de cheio a cabeça do canino, esmagando-a. Apenas um pequeno latido era escutado antes do fim. E agora?


Spoiler:
Cachorro rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para morder que resultou 9, 10, 2, 9, 3, 3 - Total: 3 Sucessos
Cachorro rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 3, 6, 10, 8, 10, 1 - Total: 3 Sucessos
Troy rolou 14 dados de 10 lados com dificuldade 6 para vigor que resultou 3, 1, 9, 1, 9, 7, 7, 2, 9, 3, 8, 3, 7, 7 - Total: 6 Sucessos
Cachorro 2 rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para morder que resultou 10, 8, 10, 9, 8, 5 - Total: 5 Sucessos
Cachorro 2 rolou 8 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 2, 5, 8, 7, 1, 6, 9, 9 - Total: 4 Sucessos
Troy rolou 14 dados de 10 lados com dificuldade 6 para vigor que resultou 4, 10, 3, 6, 4, 2, 5, 4, 1, 7, 9, 10, 2, 9 - Total: 5 Sucessos
Troy rolou 13 dados de 10 lados com dificuldade 6 para atacar que resultou 7, 8, 8, 2, 1, 1, 9, 5, 7, 5, 6, 2, 1 - Total: 3 Sucessos
Troy rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 8, 4, 6, 10 - Total: 3 Sucessos
Cachorro 1 rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 6 para vigor que resultou 2, 1, 4 - Total: -1 Sucessos
cachorro 1 off

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Qua Set 26, 2018 4:25 pm

Morpheus; Pds: 13/15; FdV: 10/10; Vit.: Ok


A Demônio deixava as determinações para Anne, desligava o telefone e recolhia seus pertences deixando aquela espelunca tão sutilmente quanto havia chegado. A presença do tradutor era a única coisa que a segurava, ao menos por enquanto, naquele fim de mundo, longe dos holofotes das duas grandes seitas, das disputas do mundo das trevas e até mesmo do mercado capitalista dos humanos.

Ela fechava a porta do quarto, talvez trancando lá dentro não só os objetos que deixaria para trás, mas talvez também Yeva, Cassandra e, talvez, até Mirella. Calçava uma bota de couro e roupa preta, puxando uma bagagem com uma das mãos. A pele alva e o cabelo platinado resplandeciam à noite combinando com a lua cheia que brilhava no céu, como se ela e a lua fossem irmãs, criando um contraste com a escuridão da noite, exalando uma impressão de pureza, que escondia um monstro. O carro já estava à espera no estacionamento. Enquanto movia-se até lá, caminhando a passos lentos como se tivesse toda a eternidade pela frente, a cainita, silenciosa e sutilmente, emitia o som de um esquilo. Uma família havia acabado de chegar. O pai descia as malas da caminhonete, uma Ford modelo 76. A mãe recolhia um batom no porta-luvas, uma filha relutava com o pai para descer do banco de trás, enquanto a segunda filha, de pé, ao lado do carro com uma boneca na mão fitava a vampira, com os olhos arregalados, ou vislumbrada com a sua beleza ou impressionada com o mal que dela irradiava.

Enquanto os sentidos da vampira eram amplificados, o odor do carburador desregulado daquele carro velho que não queimava 100% da gasolina, inundava as narinas da Tzmisce. A mão da mulher esbarrando em papéis dentro do porta-luvas soavam como socos dentro dos ouvidos da vampira. Os olhos arregalados da menina que a fitavam agora transpareciam nitidamente. Morpheus conseguia enxergar até as diferentes texturas e pigmentos do verde esmeralda daqueles olhos inocentes e quase podia advinhar o sabor do seu sangue em sua boca. Os sons dos caminhões passando na rodovia incomodavam um pouco e as luzes da capital Denver, um pouco distante no horizonte, bem como os faróis passando na estrada, às vezes a ofendia.

Assim que entrava no carro, um esquilo saltava para dentro.
- O que você quer?Perguntava o pequeno animal

Morpheus rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 6 para o chamado que resultou 4, 7, 1, 4, 5, 7, 5 - Total: 1 Sucessos

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Ignus em Qua Set 26, 2018 5:02 pm

O saldo do combate era francamente favorável para o Ductus. Apenas um cachorro continuava ativo e, a depender do Ventrue, aquilo não duraria mais muito tempo.

Troy uma vez mais desfere chutes no animal, cofiante de que acabaria com ele rapidamente.


CASO tudo de certo e o cachorro seja exterminado.

"Finalmente acabou. Agora é hora de eu reclamar meu prêmio e cair fora daqui o quanto antes. A Dominação o manteve preso até agora, mas eu acho melhor não dar qualquer margem à sorte. Preciso arrumar uma estaca."

O Ventrue olha ao redor por algo feito de madeira que possa ser utilizado como uma estaca. Se necessário ele irá quebrar uma cadeira, porta ou algo do gênero para fazer uma estaca improvisada. Conseguindo essa ferramenta ele irá se posicionar atrás do oriental, dar um mata leão nele com o braço esquerdo e então introduzir a estaca em seu coração com a outra mão. Conquanto ele duvidasse que teria grandes dificuldades em estacar um alvo imobilizado ele adotava essa tática para mantê-lo preso na eventualidade de algo dar errado.

Conseguindo empalar o cainita Troy irá privá-lo de sua carteira e celular, guardando-os no próprio bolso. Ele então irá pegar o corpo do vampiro oriental e o do segurança que recebeu a cabeçada, colocar um sobre cada ombro, invocar os dons do sangue para não chamar atenção de ninguém no caminho para fora dali {Ofuscação 3} e seguir de encontro a Boris no carro.

Caso tudo dê certo ele irá colocar os corpos no banco de trás, junto ao cadáver do ladrão que fora morto mais cedo e irá se dirigir ao ladrão ainda vivo.

-Qual o máximo de cocaína que você já cheirou em uma noite?

Após ser respondido ele irá invocar os dons do sangue
{Dominação 2} para enviar aquele barril em uma última missão. Provavelmente a última de sua vida.

-Em hipótese alguma você irá contar a alguém sobre mim ou meu companheiro pelo resto de sua vida. Você irá sair do carro, descolar um isqueiro, entrar no bar que me indicou mais cedo, subir até o segundo andar e colocar fogo no lugar. Depois disso irá embora de lá e vai praticar roubos até ter dinheiro suficiente para comprar {5x a quantidade de cocaína que ele disse já ter cheirado} de cocaína, irá comprar essa quantidade de pó com algum traficante que não trabalhe naquele bar e irá para casa, onde irá cheirar tudo imediatamente. Amanhã você irá pegar um ônibus até o litoral e nadar mar adentro até encontrar terra firme.

"Nenhuma ordem que importe dano direto a ele. Duvido muito que ele sobreviva à overdose, mas se o fizer o mar deve acabar com ele quando ele chegar à exaustão."

Assim que o sujeito sair do carro Troy irá pedir a Boris que dirija para longe dali e irá desligar o celular do vampiro, tirando sua bateria se o aparelho permitir. Ele irá também esvaziar a carteira do segurança, quebrar o celular dele e jogar pela janela o que sobrar do aparelho enquanto o carro estiver em movimento.

Quando estiverem em um local afastado ele irá solicitar a seu subordinado que faça a 'manobra de alimentação' deles, que consistirá em Troy bebendo 3pds de Boris para abrir espaço no estômago do ruivo e a seguir Troy beber de Boris enquanto Boris bebe do cadáver do segurança até drená-lo por completo.

Depois de alimentado Troy irá se curar do ferimento sofrido e entrar em contato com Juan perguntando se ele já encontrou o que ele pediu. Em caso afirmativo ele irá passar o endereço em que eles se encontram agora para que ele vá até eles. Troy não quer que o endereço so refúgio seja dito por telefone e irá impedir Juan de dizê-lo caso ele comece a falar algo nesse sentido. Enquanto aguardam Troy irá usar os dons do sangue para manter permanecer incógnito
{Ofuscação 3} até seu irmão de Bando aparecer para guiá-los até o local onde pretende interrogar seu prisioneiro. Nesse meio tempo ele irá fuçar na carteira do oriental.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Han em Qua Set 26, 2018 10:40 pm

- DROOOGAAA! Malditos! Pensei que estava tudo resolvido, eu desliguei a porcaria do gás e não encontrei fonte de energia para explodir o maldito gás!

por sorte eu ainda estava vivo, porém, não conseguia enxergar. Aquela explosão me deixou cego! Droga! Tento forçar as vista cerrando minhas pálpebras mas é inútil. A casa ardia em chamas, e o mais inteligente a se fazer era estar bem longe dali. Me orientando pelos vultos embaçados e pela minha memória do local, tento me afastar dali seguindo a melhor direção possível. O maldito gato uma hora dessa deve estar longe, ou talvez morto. Por outro lado, acho que se não fosse ele, eu não teria tido a sorte de ser lançado pra fora desse caldeirão.

Provavelmente, pessoas estavam se deslocando no sentido da casa em chamas, e eu queria evita-las. Por isso me esforçava para sair pelos fundos, talvez entrar em uma mata. Minha visão não voltava com o passar do tempo, e isso ia me deixando muito preocupado. Será que fiquei cego para sempre? Não consigo compreender o ambiente a minha volta, e nunca me senti tão vulnerável quanto agora. Se tivesse um coração pulsante no peito, certamente ele estaria batendo acelerado, espalhando adrenalina por todo o meu corpo.

Com os braços estendidos para a frente, procuro andar com cautela, penso em usar o chamado e pedir ajuda para um animal, mas não sei se estava sendo observado por humanos. O jeito e me virar sem esse artifício. Analiso a situação avaliando minhas condições de chegar em casa, caso seja impossível, eu continuo me afastando do barulho das pessoas sempre tentando identificar o ambiente com as mãos e me orientando pelo som, na verdade sempre me afastando dele. Procuro por vegetação densa, e quando me certificar que estou cercado por ela, eu me sento e espero alguns minutos para me certificar estar sozinho, deduzindo que se estivesse a vista, alguém já teria me abordado naquela situação. Somente depois dessa espera calculada, eu dou o próximo passo, tentando garantir minha sobrevivência. Eu uso o chamado para atrair pequenos mamíferos como ratos ou esquilos. Caso eu sinta a presença de algum ser vivo perto de mim, eu tento entrar em contato com ele [sussurros selvagens], - Tem alguém aqui? Eu estou ferido, e não consigo enxergar. [off: caso tenha uma resposta] - O que é você amigo?... Pode me dizer se estamos sendo observados por humanos? [off: caso a resposta negativa] Eu faço o uso de um dos melhores refúgios existentes, que somente quem possuí acesso ao legado de meu clã pode acessar, a terra. [fusão com a terra].
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016
Idade : 30
Localização : Betim - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por satan666jsg em Sex Set 28, 2018 3:03 pm

Amino se dirige ao especialista, informando, sobre a ligação de Anka, e sobre o sumiço de Anka e Johnson, "_ eu ainda aguardo o contato dos seguranças do flat, especialmente sobre Johnson! _É poss09.28.2018ível que Anka ainda nem tenha sido capturada! _Depois de conseguir alguma informação sobre os seguranças do flat, poderemos agir com mais propriedade! _Vamos,  nos dirigindo até o metrô!" Ele informa essa última ao motorista. Toczsek, novamente, tenta ligar aos seguranças do flat, "_ Mr. ( Ao especialista) o que será, que eles sabem? Quem serão? _ Eles não entraram em contato ainda!"

satan666jsg

Data de inscrição : 15/01/2011
Localização : Belo Horizonte MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Sab Set 29, 2018 8:01 am

Alex Troy; PdS.: 07/15; FdV: 10/10; Vitalidade: Escoriado (letal)


A luta ainda não havia acabado. Um cachorro ainda restava. Troy resolvia colocar um fim naquele combate. O cainita estava naquela pequena sala que antes era um escritório. Uma mesa que havia ali havia se quebrado, e vários objetos e papéis estavam pelo chão, resultado da bagunça causada pelo combate. O chão estava sujo com sangue e a sede do vampiro amargava em sua boca, no entanto ele queria priorizar o término de seus oponentes. O cão fitava o vampiro há 3metros de distância, rodeando o corpo do vampiro que estava imóvel pela dominação, no centro da sala, provavelmente protegendo-o. Andando em círculos em volta de seu dono o animal rosnava e babava de raiva. Suas presas estavam à mostra e aqueles olhos amarelos estavam concentrados na imagem do Ventrue, que estava próximo à porta, na entrada da sala. Troy precisava passar por aquele animal e capturar aquele vampiro. Ele então movia-se rápido como um raio até o centro. O carniçal, apesar de forte, não tinha a mesma velocidade que o vampiro e era atingindo com um potente chute no meio do corpo que fraturava suas costelas. O animal voava e seu corpo atingia uma parde. Muito ferido, mas fiel ao seu dono ele lutaria até a morte e avançava mordendo o vampiro no braço. No entanto os ferimentos causados pelo último golpe de Troy diminuía a capacidade física do animal, que não feria Alex. Um segundo chute potente e descomunal acertava o cão no peito, que voava para o canto da sala, agora, pela última vez.

O vampiro agora rapidamente procurava por alguma coisa de madeira. A única coisa que ele visualizava ali era a mesa. Movia-se rápido até ela, dando um golpe em uma das pernas da mesa separando-a da prancha. O objeto, apesar de quebrado, não formava nenhuma ponta capaz de perfurar o corpo do outro vampiro. Troy precisaria de um trabalho melhor e então resolve procurar nas gavetas da mesa achando uma faca. A força incomum do vampiro seria capaz de moldar uma ponta ali sem muita dificuldade. E assim, passando a faca no pé da mesa por 2 ou 3 vezes ela já se transformava em uma estaca. Troy passava para as costas do vampiro com a intenção de estacá-lo. Mas a dominação, apesar de impor ordens a serem cumpridas, preservava a autopreservação do alvo, que ao perceber o que estava acontecendo à sua volta, vê seu corpo obedecer à sua mente livremente novamente. Ele vira-se repentinamente desferindo um soco no peito de Alex Troy que voava atingindo a parede, próximo da porta. Se não fosse a extrema resistência de Troy, ele morreria como um daqueles humanos que tinha morrido da mesma forma. Enquanto se levantava Troy sentia algo diferente. Seu corpo estava trêmulo e ele não sentia mais forças para segurar a estaca que caia no chão. A poça de sangue formada no chão pelo tiro na cabeça do primeiro segurança que Troy havia matado, ali no meio da sala, a visão daquele líquido rubro, toda a tensão do combate até ali, o potente golpe sofrido por último agora e a fome implacável eram uma mistura explosiva. E o ventrue estava muito mais suscetível à Besta agora do que antes de perder sua humanidade.

Troy sentia como se garras estivessem surgindo em suas unhas, como se pelos cobrissem seu rosto e todo o seu corpo. Seus olhos ficavam vermelhos. As presas saltavam para fora e ele berrava como um animal dentro daquela sala, fazendo seu urro ecoar longe...

(...)

A primeira sensação é o piso gelado e duro contra o rosto esquerdo. Aos poucos ele sente o restante do corpo. Enquanto levantava o rosto, com o corpo ainda deitado no chão, sentia também algo pegajoso em suas mãos e em sua boca. Era sangue coagulado que estava por todo o corpo. Havia membros, braços, mãos, um pé humano solto pela sala e a caixa toráxica de um dos cachorros aberta. Aos poucos seus sentidos voltavam. Agora consciente, tudo estava em um silêncio tranquilo. Ele escutava um ruído vindo do salão principal, parecia algo com alguém esbarrando em uma garrafa enquanto caminhava. Pelo som, a garrafa rolava no chão até bater em algum obstáculo e parar. O silêncio voltava a reinar...


Planta:


Spoiler:

Troy rolou 13 dados de 10 lados com dificuldade 7 para chute que resultou 9, 2, 7, 6, 6, 1, 2, 3, 4, 1, 9, 1, 7 - Total: 1 Sucessos
Troy rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 6, 3, 5 - Total: 1 Sucessos +5 = 6
Cachorro rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 6 para vigor que resultou 5, 6, 6 - Total: 2 Sucessos
Cachorro rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para morder que resultou 5, 7, 3, 8, 4, 4 - Total: 2 Sucessos
Cachorro rolou 5 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 7, 1, 3, 1, 6 - Total: 0 Sucessos
Troy rolou 13 dados de 10 lados com dificuldade 7 para chute que resultou 7, 9, 1, 9, 4, 1, 7, 8, 7, 9, 3, 3, 10 - Total: 6 Sucessos
Troy rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 8, 10, 8, 9, 1, 8, 1 - Total: 3 Sucessos
Alguém rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para soco que resultou 8, 10, 10, 1, 9, 6 - Total: 4 Sucessos
Alguém rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 8, 4, 5, 10, 1, 6 - Total: 2 Sucessos + 3 = 5
Troy rolou 14 dados de 10 lados com dificuldade 6 para vigor que resultou 3, 4, 10, 7, 2, 8, 6, 9, 1, 8, 3, 9, 10, 5 - Total: 7 Sucessos


_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Ignus em Dom Set 30, 2018 9:00 pm

A primeira sensação é o piso gelado e duro contra o rosto esquerdo. Aos poucos ele sente o restante do corpo. Enquanto levantava o rosto, com o corpo ainda deitado no chão, sentia também algo pegajoso em suas mãos e em sua boca. Era sangue coagulado que estava por todo o corpo. Havia membros, braços, mãos, um pé humano solto pela sala e a caixa toráxica de um dos cachorros aberta. Aos poucos seus sentidos voltavam. Agora consciente, tudo estava em um silêncio tranquilo


Entrar em frenesi sempre era uma experiência intensa, levemente aterrorizante e profundamente desorientadora. Sair dele de certo forma lembrava uma ressaca. Conforme retomava sua consciência Troy procura se recordar do que aconteceu com ele nos últimos momentos, tal como um mortal faria depois de uma noite de intensa bebedeira ao acordar sujo com o próprio vômito em um local desconhecido.

Enquanto força a mente o Ventrue então passa a língua por seus lábios, tentando identificar a origem do sangue que ele tinha ainda depositado ali. Teria ele se deixado levar pela Besta e bebido do cainita que ele pretendia levar prisioneiro? O gosto da vitae talvez lhe revelasse mais sobre o ocorrido.

Enquanto tenta analisar a composição do sangue que certamente bebera há pouco Troy olha ao redor, procurando por uma pilha de cinzas que, caso ele houvesse exterminado seu oponente imortal, poderia estar por ali a lhe dar pistas sobre o ocorrido durante o frenesi. Ele procura também pela estava que se recordava de ter talhado antes de perder o controle sobre si próprio. Caso a veja por ali ou alguma arma de fogo ele recolheria o armamento.


. Ele escutava um ruído vindo do salão principal, parecia algo com alguém esbarrando em uma garrafa enquanto caminhava. Pelo som, a garrafa rolava no chão até bater em algum obstáculo e parar. O silêncio voltava a reinar...


"Depois da carnificina que rolou aqui alguém ainda está perambulando pelo salão? Poderia ser um drogado que acabou de conseguir levantar, mas é melhor eu me preparar para o cenário mais adverso. Pode ser um outro vampiro da Bastarda que veio até aqui ver o que estava acontecendo. Eu poderia sair pela janela discretamente antes que ele chegue aqui... Por outro lado, pode ser também minha presa em fuga. Nesse caso eu ainda teria uma última oportunidade de capturá-lo... Acho que o melhor a fazer é colher mais dados sobre a origem do som. Acredito que com os dons do sangue eu possa observar sem ser observado. E também me curar dos ferimentos sofridos. Quero estar em boa condição física caso precise lutar novamente."


{1 pds para curar o dano sofrido}
{Ofuscação 4}

Caminhando com cuidado para não fazer barulho Troy segue no sentido do salão principal para ver o que estava acontecendo.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Seg Out 01, 2018 1:27 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 08/15; FdV: 07/08; Vitalidade: ok


Gerrard ainda tentava entender o que havia acontecido quando ele escuta ruídos e sons, um pouco ainda distorcidos devido ao estrondo da explosão, próximos à ele. Ele escutava vozes distorcidas que conversavam enter si, pareciam pessoas nervosas ou tensas com algum acontecimento. Aos poucos sua audição ia voltando ao normal.
- Parece que temos um homem ferido aqui também! Dizia uma voz masculina. Então Gerrard sentia alguém alguém apoiando em seu braço tentando ajudá-lo a levantar.
- Senhor, o senhor está bem? Perguntava aquela pessoa. Qual o seu nome? Você se lembra do seu nome?

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Aradia em Ter Out 02, 2018 11:10 am


As sinapses daquele cérebro morto buscavam deixar para trás aquelas vozes para se conectar ao seu novo ser... Um sentimento estranho de estar tomando conta do seu novo ser a tomava por completo. Era a primeira vez que agiria por si só. Na sua bagagem o mais valioso era as experiências pela qual tinha passado.

Mesmo assim, parecia que esquecia algo. A sensação se devia ao fato de ser uma página em branco. Morpheus não tinha história. O passado daquela Demônio, não era de fato dela.

Entretanto, difícil algum outro Cainita ter passado pelo limiar entre não-vida e morte como ela.
Observou a transmutação da matéria de forma interior e espiritual. Já havia nascido com o conhecimento e o grau de iluminação que suas antecessoras jamais experimentaram.

Para avançar na trilha do conhecimento lhe faltava muito pouco. Muito pouco para a próxima etapa. Entretanto, não desperdiçaria esforços passados para obter mais.

As seitas eram uma névoa que confundia caminhos e objetivos. Envolver-se-ia, assim como suas predecessoras, para benefício de seus objetivos próprios e para se manter segura. Por isso cuidava para que as regras da Camarilla fossem cumpridas em suas passagens por cidades da seita. Tentando mesmo assim se manter oculta. À margem da sociedade imortal, solitária dentro daquele casulo que era seu ser.

Nada que carregava em suas mãos ou seu cadáver, até mesmo os objetos que havia abandonado para trás era dela. Era do passado que não a pertencia. As marcas em suas costas lembravam apenas que a transcendência era real, mesmo que ainda não soubesse o que havia acrescido ali.

As roupas pesadas e pretas destacavam a pele alva e a luz cadavérica que exalava. A família recém chegada passava por um breve rastreio sinais vitais que não incluíam nada além do que ouvir o pulsar dos corações, o som da respiração e sussurro de medo que suas almas cegas emanavam. Não tendo sinal anormal algum, os ignoraria.

Todos os adventos do primeiro passo de seu Auspicius, já era esperado e evitado ao máximo pela Cainita. Assim que o carro chegava, lia a aura de seu motorista e entrava em sua cabeça observando até o mais profundo que pudesse ir.

Assim que o esquilo pulava dentro do carro, respondia com sons semelhantes ao de um esquilo:
- Preciso de um favor na hora certa. Posso recompensá-lo. O que quer em troca?
Indagava a Imortal.
- Qual o endereço recomendado pela Anne?
Confirmava a veracidade das palavras do motorista analisando aura e mente, segundo então ao seu destino.

_________________
"A tortura quebra a matéria e atingi o aspecto imaterial do ser.
É a única forma de tocar o que ainda não compreendo."
avatar
Aradia

Data de inscrição : 27/04/2010
Idade : 28
Localização : Uberlândia - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Ter Out 02, 2018 6:08 pm

Amino Ank Toczek; PdS.: 08/13; FdV: 08/08; Vitalidade: ok


Amino não conseguia resposta nenhuma sobre Anka e sobre Johnson. Os seus celulares continuavam dando na caixa postal. Toda tentativa do vampiro era em vão. O carro deixava o aeroporto, saindo por um portão particular. Logo o veículo ganhava as ruas da cidade. A noite estava apenas começando, pois o vampiro havia acordado pouco tempo depois do por do sol. As ruas ainda estavam movimentadas com os faróis dos carros e com alguns pedestres. O motorista, um sujeito na faixa dos 30 anos, moreno, aparência rude com traços espanhóis, uma sobrancelha larga e barba feita afirmava.

- Senhor, estaremos na estação do metrô em 15 minutos.

O carro cruzava avenidas, semáforos, entrava em uma zona mais urbanizada após sair do aeroporto, com uma presença maior de construções. O sedã preto parava ao lado de um contêiner de entulhos. Ali sim, havia um trânsito bem maior de pessoas entrando e saindo da estação. O vampiro seguia então com o celular conectado ao aplicativo da localização. Eles desciam às escadas em meio à multidão como se fossem usuários do transporte público. Era uma estação nova, recém construída. O vampiro e dois seguranças humanos passavam pela catraca, pagando o ticket, enquanto o motorista esperava no carro.

No ponto de embarque e desembarque havia diversas pessoas. O sinal vinha de um dos cantos do embarque, um local já com poucas pessoas, onde terminava o ponto e começava o longo e escuro corredor onde era proibido a passagem de usuários do transporte. No entanto, ao chegar até o final do espaço destinado aos usuários do transporte, o vampiro ainda não encontrava o objeto. Porém, era sabido por ele que a precisão não era exata, mas sim de 15m quando o sinal era bom. Ali embaixo, onde o sinal ficava mais fraco, a precisão diminuía para um raio de 30m. E agora?

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Han em Qua Out 03, 2018 7:08 pm

Aos poucos meus sentidos iam voltando e o ambiente em minha volta ficava gradativamente mais perceptível. Claro, com exceção da minha visão que ainda não voltava. Para o meu azar, parece que eu fui arremessado em uma área descoberta e a vista de todos. As vozes ali iam se equalizando na minha compreensão e entre as muitas, uma parecia tentar me ajudar.

- Senhor, o senhor está bem? Qual o seu nome? Você se lembra do seu nome?

Estava muito exposto aos mortais, e meus traços característicos do meu clã poderiam de alguma maneira me condenar. - Fico atento a esse detalhe - Minha voz já não é comparável a humana, já faz muitos anos, por isso, disfarço a roquidão com torces forçadas e entro no jogo, o que acho ser a melhor opção naquele momento.

- Coofff coofff cooofff.... Eu estou bem estou bem... Graças a Deus não me machuquei gravemente. cooff cooff... Mas acho que o excesso de claridade possa ter prejudicado minha visão...

Enquanto falava, eu me levantava para demonstrar que não estava debilitado e por isso não precisava de socorro médico. Mas opto por continuar a interagir com aquela pessoa e tentar tirar vantagem da situação, pelo menos para sobreviver mais uma noite.

- cooff... Você viu o que aconteceu aqui? - com essa pergunta, eu pretendo saber se fui visto voando de dentro da casa, ou se eles foram atraídos pelo barulho e me viram caído no chão quando chegaram. Assim poderei usar a desculpa de que estava caminhando bem próximo da casa naquele momento.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016
Idade : 30
Localização : Betim - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Qui Out 04, 2018 4:23 pm

Alex Troy; PdS.: 07/15; FdV: 10/10; Vitalidade: Escoriado (letal)


O gosto do sangue não parecia ter origem cainita. Troy ainda estava tentando aprender a guiar a besta durante o Frenesi, ainda não tinha o controle que outros cainitas tinham sobre ela, de usá-la como um instinto assassino e devorador de inimigos. Bastou uma ou duas olhadas para os lados para que ele logo encontrasse uma pequena  pilha de cinzas. Ali estava a respostas para metade de suas perguntas. Uma pistola de um dos seguranças ainda jazia próximo da porta. Ele a tomava para si enquanto usava os dons do sangue para esconder-se entre as sombras da noite.

O vampiro aproximava-se devagar, pegava a pistola e, oculto nas sombras tentava observar o que estava acontecendo lá embaixo, no salão principal. Ele então tinha uma surpresa, talvez desagradável. Um time de 5 policiais da SWAT avançavam silenciosamente e já estavam começando a subir às escadas. Portavam armas pesadas, como fuzil de assalto e escopetas. Especialista em armas, facilmente o Ventrue reconhecia o lançador de granadas acoplado nas armas. Isso, era o que Troy via.

Troy rolou 9 dados de 10 lados com dificuldade 6 para furtividade que resultou 6, 9, 7, 7, 9, 1, 4, 7, 7 - Total: 6 Sucessos

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Ignus em Sex Out 05, 2018 1:48 am

O gosto do sangue não parecia ter origem cainita. Troy ainda estava tentando aprender a guiar a besta durante o Frenesi, ainda não tinha o controle que outros cainitas tinham sobre ela, de usá-la como um instinto assassino e devorador de inimigos

Passando as costas da mão nos lábios para se livrar daquele líquido de sabor insipiente Troy reflete:

"Algum dia eu terei te aprender a dominar o frenesi. Sei que muitos de meus irmãos são capazes, então é algo que pode ser feito. Talvez seja um erro eu evitá-lo com tanto afinco. Claro que entrar em frenesi nos faz agir como bestas sem qualquer compostura, mas se eu não me permitir cair nesse estado bestial com maior frequência eu nunca irei aprender a controlá-lo a meu favor."

Bastou uma ou duas olhadas para os lados para que ele logo encontrasse uma pequena  pilha de cinzas. Ali estava a respostas para metade de suas perguntas.

"Depois de tanto esforço aqui jaz meu potencial prisioneiro. Reduzido a cinzas, assim como a utilidade dele para mim. Bem, pelo menos eu criei um fato destruindo esse lugar. A Camarilla fatalmente vai enviar alguém para investigar o lugar. Talvez eu possa armar uma emboscada para quando ele vier. Mas primeiro lidar com as prioridades. Preciso saber quem é que está no salão principal para decidir meus próximos passos."

Uma pistola de um dos seguranças ainda jazia próximo da porta. Ele a tomava para si enquanto usava os dons do sangue para esconder-se entre as sombras da noite.

O vampiro aproximava-se devagar, pegava a pistola e, oculto nas sombras tentava observar o que estava acontecendo lá embaixo, no salão principal. Ele então tinha uma surpresa, talvez desagradável. Um time de 5 policiais da SWAT avançavam silenciosamente e já estavam começando a subir às escadas. Portavam armas pesadas, como fuzil de assalto e escopetas. Especialista em armas, facilmente o Ventrue reconhecia o lançador de granadas acoplado nas armas. Isso, era o que Troy via.

Ver aqueles lançadores de granadas faz Troy se sentir cobiçoso. Como o especialista em armas que era o Ventrue sempre teve vontade de ter uma belezinha daquelas. E lá estavam eles sendo carregados por meros humanos. Por um segundo o cainita cogita investir rapidamente contra seus oponentes para poder tomar daqueles barris o que ele desejava, como um autêntico rei da noite, mas esse pensamento logo é colocado de lado.

"Seria imprudente começar um combate agora sem um bom motivo. Eu não sei quanto tempo permaneci fora de mim, mas não deve ter sido muito. A multidão saiu daqui por conta de um alarme de incêndio. Ninguém chamaria a SWAT por causa disso. Ok, houve um ou dois disparos de armas de fogo depois, mas a essa altura do campeonato o lugar já estava vazio. Ainda que alguém ligasse para a polícia eles não enviariam logo de cara essa equipe tática armada com lançadores de granadas. Será que o cainita da Bastarda havia requisitado a presença da SWAT antes de vir me enfrentar? Se for esse o caso esses sujeitos podem ser uma unidade de elite de carniçais. Talvez até mesmo vampiros vestidos como policiais. É melhor eu não subestimar a ameaça que esses caras representam."

Havia duas opções obvias para sair do prédio: a porta principal e a janela por onde um carniçal pulara mais cedo.

Pensando nas lições que seus irmãos de Bando lhe ensinaram sobre tática militar Troy tenta calcular quando tempo aquela equipe levaria para avançar em formação até passar pela porta da sala em que ele se encontrava.

Caso ele considerasse que tinha tempo de chegar à janela antes da equipe chegar até a porta da sala o Ventrue irá se dirigir até ela, dar uma espiadela lá embaixo e, caso não veja sinal de outros membros da SWAT por ali, pular para o térreo. Era uma queda considerável, mas o vampiro considerava que conseguiria suportá-la com sua constituição extraordinária.

Caso considere que não há tempo suficiente Troy se colocará em algum ponto da sala onde supõe que nenhum membro da Swat esbarraria nele e aguardaria os homens entrarem. Ele aguardaria Ofuscado que eles relaxassem, crendo que não havia mais ninguém ativo por ali, esperando por uma oportunidade de sair dali furtivamente sem que ninguém notasse sua presença.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Seg Out 08, 2018 6:44 pm

Morpheus; Pds: 13/15; FdV: 10/10; Vit.: Ok


Ao passar pela família a vampira sondava, precavida, em busca de algum indício que acendesse uma luz amarela de desconfiança. Mas nada parecia fora do normal. Já dentro do carro ela ia além da super sensibilidade dos seus cinco sentidos, mergulhando em outro nível, algo além do que o que os olhos podiam ver. A Tzmisce já estava habituada naquela habilidade, bastava se concentrar um pouco e ela já conseguia se colocar além do mundo físico. Pouco a pouco os sentidos físicos se distorciam, o mundo ganhava uma coloração monocromática e nuances espirituais começavam a surgir em detrimento da visibilidade física. As primeiras cores surgiam em volta do motorista. Primeiro vinha o verde claro, depois o marrom variando para o vermelho vivo sempre que ele olhava para Morpheus e variando para o azul escuro enquanto a vampira “conversava” com o esquilo, embora essa última cor estivesse bem menos presente que as demais.
- Preciso de um favor na hora certa. Posso recompensá-lo. O que quer em troca?
- Eu quero nozes! Você tem nozes? O que você quer que eu faça? Uma barganha relativamente simples para uma cainita, mas um tesouro para o pequeno roedor.
- Qual o endereço recomendado pela Anne?
- Museu Contemporâneo do Colorado, parece que vai ter um evento grande lá amanhã... é isso mesmo?
Devolviva o mortal.

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Seg Out 08, 2018 6:54 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 08/15; FdV: 07/08; Vitalidade: ok


- Coofff coofff cooofff.... Eu estou bem estou bem... Graças a Deus não me machuquei gravemente. cooff cooff... Mas acho que o excesso de claridade possa ter prejudicado minha visão...
- Compreendo, compreendo... fique calmo, você vai ficar bem! Dizia aquela voz que o vampiro não tinha noção de quem era. Ao ajudar o vampiro se levantar a pessoa dizia: - Sua temperatura parece estar baixa... Dizia ele apalpando melhor o vampiro e em seguida confirmava. - Sim, está muito baixa... Ei, precisamos de um médico aqui!

- cooff... Você viu o que aconteceu aqui?
- Houve um chamado para a polícia e quando eles chegaram aconteceu esse desastre. Mas não se preocupe, iremos te remover agora...

Gerrard escutava sons de rádio portátil e mais distante, na mesma frequência outro rádio, provavelmente de uma viatura. O vampiro escutava outra pessoa se aproximando e então essa pessoa dizia:
- Senhor, deite-se aqui, te levaremos para o hospital. Dizia a voz tentando colocar o corpo do vampiro em uma maca.

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por satan666jsg em Seg Out 08, 2018 9:07 pm

Amino, preocupado, sussurra; "_trinta metros, ela ou os pertences dela estão aqui. _ vasculhem, investiguem em silêncio, sem chamar atenção." Dito isso,... Ele usa seus dons de sangue para percepção, ele procura alguém espreitando, ou sua própria irmã, ele tenta ser silencioso adentrando o corredor!

satan666jsg

Data de inscrição : 15/01/2011
Localização : Belo Horizonte MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Sab Out 20, 2018 3:40 pm

Alex Troy; PdS.: 07/15; FdV: 10/10; Vitalidade: Escoriado (letal)

De acordo com os cálculos do vampiro ele tinha tempo suficiente para escapar pela janela antes que a unidade de elite da polícia chegasse ali dentro. Rapidamente o vampiro se move até aquela extremidade abre a janela e dá uma olhada no ambiente lá fora. Havia uma movimentação policial ali fora um tanto incomum para um simples bagunça em um puteiro de quinta categoria. Quatro viaturas da polícia comum estavam estacionadas lá embaixo, fechando a rua nos dois sentidos, cada lado da rua fechada com 2 viaturas cada. Também havia o furgão da SWAT. Aparentemente não havia policiais de elite lá fora, apenas policiais da patrulha comum, isolando o local, falando ao rádio e fazendo anotações. A queda talvez causaria algum ferimento no corpo do vampiro, se ele tivesse sorte talvez poderia até sair ileso. Mas ele precisava agir rápido. Logo esta opção não estaria mais à mesa.

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Ignus em Sab Out 20, 2018 5:33 pm

Se Troy não agisse logo sua janela de oportunidade passaria, então não havia espaço para hesitação.

Mas agir rápido não era sinônimo de agir de afogadilho.

"Eu duvido que seria capaz de me manter oculto ao saltar daqui. Por mais que eu amorteça a queda, é inevitável que um corpo que despenque alguns metros irá fazer barulho ao chegar ao chão. É mais inteligente fazer um uso diverso da Ofuscação."

Com o objetivo de não ter todos os inconvenientes relacionados com uma eventual exposição de seu rosto verdadeiro, Troy invoca os dons do sangue
{Máscara das Mil Faces} para mudar de aparência. Ele tinha em mente usar a aparência do vampiro oriental,mas a rigor ainda que falhasse em ficar muito parecido com ele o Ventrue não se importaria muito.

Ele então se lança janela abaixo.


{1pds em rapidez para o próximo turno}
{Acho que faltou computar a cura da vitalidade de 3 posts atrás}
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Seg Out 22, 2018 7:18 pm

Amino Ank Toczek; PdS.: 08/13; FdV: 08/08; Vitalidade: ok


Amino procurava por qualquer pista que pudesse levar à sua irmã. Ele e os seus seguranças procuravam por qualquer coisa que estivesse emitindo o localizador próximo dali. Algumas pessoas, mais ao longe, olhavam reservadas, curiosas e ou receiosas com aquele trio que procurava alguma coisa no final da plataforma. Amino então percebia algo ao longe, no chão. Ele deixava a plataforma de embarque e entrando no túnel escuro dos trilhos caminhava alguns metros até encontrar o chaveiro de Anka. Não havia nada mais ali. Apenas o chaveiro e aparentemente não havia ninguém. O chão começava a tremer levemente. Era o metrô chegando à estação. E agora?


Investigação: 3 sucessos

roll:
6 - 10 - 7 (Avg: 7.66666666667)

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Rian em Ter Out 23, 2018 6:43 pm

Alex Troy; PdS.: 05/15; FdV: 10/10; Vitalidade: ok
Rapidez Ativa


O vampiro saltava pela janela. Seu corpo experimentava a queda livre, o vento frio agitando seus cabelos e suas roupas, e então seus pés sentiam a calçada sólida e impactante. Troy caía numa posição que permitia se levantar sem sofrer nenhum dano, resultado dos anos de treinamento nas habilidades físicas que o Ventrue havia se dedicado. Antes de levantar seu rosto ele focava na imagem que tinha em sua memória do oriental e conseguia reproduzir-se identicamente ao vampiro destruído. Mais acima, ele escutava o som de granadas de luz e som explodindo na sala onde ele estava segundos antes da queda. Dois policiais caminhavam na direção do vampiro, enquanto curiosos o observavam.
- Não acredito?! Você pulou lá de cima? Não se machucou? Dizia um dos policiais enquanto o outro o observava confuso.


Máscara das Mil Faces: 4 sucessos

_________________
                         
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 34
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Reerguida de Troy e as Desconfianças de Gerrard

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum