A Tempestade Do Século

Página 5 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5

Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por @nonimous em Qua Ago 01, 2018 10:49 pm

oseph



Joseph viu a paisagem urbana se deteriorar medida que se aproximava do gueto que ele buscava informações, as belas casas e ruas pavimentadas foram gradativamente substituídas por casarões abandonados, ruas sujas e sem coleta de lixo, mendigos espalhados pela sarjeta e alguns poucos reunidos em uma fogueira que funcionava dentro de um tonel, cortiços com dezenas de famílias amontoadas como um deposito sórdido de humanos, a periferia era suja, decadente e cruel, cães caminhavam pela noite revirando lixo e um cheiro de podre, urina e sangue era muito forte.

Joseph soube que estava perto pois viu alguns travestis pela rua, o que batia com a pista de Caiphas Kwan, ele adentrou um beco escuro, ratos caminhavam debaixo de sujeira, mendigos dormiam, o cheiro de podre era insuportável.

Ele caminha entre os mendigos, e percebe um homem espancando um travesti, o rosto do travesti estava sangrando, sua dignidade fora arrancada, ele apenas cai e chora enquanto o homem de barba por fazer, cabelos loiros desgrenhados e um distintivo na cintura, definitivamente aquele era Ted, o policial conectado a Caiphas.



Quando Joseph puxa conversa com o policial o travesti apenas corre mancando, deixando salto alto para trás, e marcas de sangue e cheiro de perfume barato, era um lugar horrível e decadente.



- Quem é você:? Indaga o policial olhando fixamente para Joseph





Jim.



- Me desculpe se feri seus sentimentos. Diz Amanda.



O clima fica muito tenso, Jim sabe que aquilo vai fatalmente caminhar para uma luta, a mulher por algum motivo ofendeu ele diversas vezes, aquio era destoante da etiqueta Ventrue e até mesmo entre Kindreds mais selvagens. Amanda ao dizer isso rosna para Jim, em uma óbvia afronta, isso claro, viola não só normas de etiqueta básicas, como também cria um embaraço, mas então ele pondera sobre o que foi dito por Lucas, sobre não respeitarem as leis do príncipe.



- Eu insisto que fique, e posso solicitar uma audiência com Lyanna, mas os termos do acordo são esses, posso lhe garantir o pacote, mas preciso de algo, nada é de graça.

O semblante da mulher se mantém na sua posição, demonstrando estar firme naquela rodada de negociação.



- E só posso conseguir uma audiência com Lyanna se Lucas estiver presente, e com todo respeito, Lucas nesse momento por ser mais razoável, por ter prometido algo valioso, é mais importante que você, mesmo ele sendo um escravo de sangue, então, ligue para Lucas e peça para ele vir aqui, ou vá e traga Mordered.

Aquilo criava uma imensa complicação para Jim, a mulher parecia absolutamente irredutível, cedendo milímetros nas suas demandas, negociar com vampiros era um jogo perigoso, Clark era bom nisso, Jim estava dando primeiros passos. Embora lhe ocorreu providenciar outra coisa de valor, talvez dinheiro, pensou em entrar em contato com Ann, talvez ela pudesse o ajudar, ele pensa nas palavras de Magnus, sobre agir com sabedoria, liderar os seus, e Amanda era selvagem, rude e tão impulsiva quanto Jim.

Um impasse surgira.



Dev



- Esses símbolos, eu já vi eles antes, como isso é possível. Murmura Sam olhando para Dev, nesse momento a garota se abaixa puxando Dev, ambos olhavam um grupo de vultos dentro de um celeiro, que se tornou um santuário macabro, havia dois homens nus com manchas negras, deitados no chão, o primeiro tinha cicatrizes pelo corpo, e uma especialmente grande no peito altura do coração, o segundo estava com o peitoral aberto, sobre eles, uma mulher pálida, cabelos negros, magra vestido negro até os pés descalços, ela arrancava o coração do segundo homem, em torno dela uma segunda mulher com um chicote de ossos na não, dois homens de pé, um com terno escuro e outro usando apenas um jeans rasgado e mãos cheias de sangue, cabelos grisalhos e barba em excesso.



Amarrado em cordas como se estivesse sendo crucificado estava Anoun, símbolos ao arredor do corpo dele, ele respirava com dificuldade, e ao centro uma figura usando uma manta negra cerimonial, luzes piscavam, filetes de energia pairavam no ar, dançando como fata morgana.



- São infernalistas. Diz Sam.

- Precisamos tirar Anoun daqui, e não sei se posso nos ocultar de todos, o do centro é um desperto poderoso.


_________________
Status 01 Ancillae em ascensão
Líder Nato


" Seu tolo, entregou sua lealdade para mestres profanos, agora sinta a dor da traição, não precisar implorar por perdão, eu sou o arauto da morte, nosso clã já te julgou culpado, e pouco me importo, tudo o que sei é que você é uma ameaça, e será expurgada da pirâmide."
avatar
@nonimous

Data de inscrição : 01/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Zed em Qui Ago 02, 2018 1:09 am

Pontos de Sangue: 06 + X /13
Força de Vontade: 7/7
Vitalidade: 7/7
Humanidade: 3
Efeitos ativos: -


Caminhando na noite, me afastando daquela área mais elegante, ia cada vez mais profundo naquela periferia. Sujeira e podridão tomava conta, pessoas se empilhavam aos montes em pequenos espaços, “Enlatadas como sardinhas na prateleira de um mercado. ” Refletia observando atentamente, ainda que de forma discreta e sutil... A princípio. Chegando cada vez mais perto, ao ponto de notar um grupo de travestis do outro lado da rua assoviava em brincadeira. Até preparado para recusar qualquer aproximação ou oferta, mas em tom descontraído.

Em um escuro beco, cheio de ratos. Um policial espancava brutalmente um dos transformistas. Que chorava no chão completamente incapaz de fazer nada, até que minha chegada permitia ao menos que ele corresse dali. – EI! Esqueceu um sapato! – Gritava, arremessando o sapato de volta ao dono(a).

- Eu já disse. – Respondia ostentando um sorriso sínico. – Eu sou Zed. Ninguém importante na verdade, o típico turista inglês que gosta de perambular durante a noite, tem dentes pontudos e gosta de um suco diferenciado. – Sendo aquela uma cidade com um príncipe, quando menos informação eu divulgasse, mais seguro me sentiria. Notícias corriam rápido, se meu paradeiro fosse conhecido meu nêmesis podia mandar mais de seus lacaios atrás de mim. – Eu ouvi por aí que você também curte algumas bebidas diferenciadas. Do tipo que eu tenho por exemplo? – Atiçava então pela sede de Ted, esperando que ele fosse mais amigável comigo do que havia sido com o amigo de agora pouco.

Esperamos ter conquistado ao menos um pouco de seu interesse. – Já ouviu falar de Steve Morderer? – Por um segundo tinha dúvidas da pronuncia. – Eu preciso achar esse cara, outro do meu tipo. – Complementava esperando que já estivesse a par das coisas, e que pudesse partilhar já um pouco do que sabia.


OFF: É Mordered ou Morderer? Ou são pessoas diferentes?
E quantos PdS eu peguei no bar naqueles 1~2 copos?
avatar
Zed

Data de inscrição : 08/04/2015
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Samuka em Qui Ago 02, 2018 10:07 am

Jim caminhava em direção a porta atravessando o cômodo, depois de já ter ameaçado assim fazer umas duas vezes rodopiando. Sua mão erguia como se fosse abrir a maçaneta, enquanto que ouvia ela ironicamente escusar-se de algo.

“Bats, rifles, and Taysons”, pensava Jim.

Jim sabe que aquilo vai fatalmente caminhar para uma luta

Aliás, o modo como seguia a liturgia era de bufões, bárbaros. Tipicamente aquela de jogador de cartas com pistola na cintura, que um vira diz “I don't like to lose against a dirty deck”, que saca um revólver e que começa uma troca de tiros por causa de não aceitar a perder. “Quero ver se ela tem coragem, ou só vai ficar nas insinuações”, pensava Jim colocando a mão na maçaneta e girando. A lingueta da porta fazia “track”, era só ele puxar e estaria, talvez, livre e inteiro.

Amanda insistia em algo...

que fique [...], mas os termos do acordo são esses

“Se fazendo de gostosa, de greluda”, pensava Jim ao perceber que ela estava

demonstrando estar firme naquela rodada de negociação.

Jim puxava a porta. Podia se ver o corredor de saída de emergência, com sacos de lixo, pinos, roupas velhas largadas, ratos e baratas, além das luzes pálidas de emergência. Ele fazia como que sairia, e ia sair quando ele ouve, de novo

ligue para Lucas e peça para ele vir aqui, ou vá e traga Mordered.

“Como que vou ligar pro defunto se seu celular está comigo”, se questionava. Ele, então, fecha a porta e vira, de novo, mas agora perguntando:
-”Supondo que faça o que me pede.Quem é Mordered? Qual sua relação com a Camarilla, ou melhor, com o Xerife?”

Aquilo criava uma imensa complicação para Jim, a mulher parecia absolutamente irredutível, cedendo milímetros nas suas demandas, negociar com vampiros era um jogo perigoso

Clark não estava aqui nesta merda de lugar, com certeza estaria em algum chateau angariando rebanho, influência, contatos, aliados, recursos etc. Jim poderia se rebaixar de novo à Ann e suas providências. Magnus, era melhor ficar longe disso, senão muitas brasas iriam flutuar com cinzas de muitos neófitos e pseudos ancilla’s.

Surgira um impasse, mas um caminho poderia ser aberto segundo as imaginações de Jim.

Imaginação de Jim (não é jogada!):

Ele se via, logo ao fechar a porta, correndo em direção da anarco punk careca derrubando-a com um empurrão, depois voando em direção da Amanda com suas presas arrancando um pedaço de carne de seu pescoço e saboreando sua vitae. O Tayson vinha em sua direção com murros, os quais foram bem esquivados por Jim ala Mayweather; e, abraçando o gorila fazendo um movimento de queda de wrestling erguendo os pés, Jim lançava o Tayson através da janela caindo na rua, os vidros caiam, as pessoas na fila do club se apavoravam, o Tayson cai em cima do carro de Lucas amassando o teto e quebrando o para-brisa.
avatar
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro/RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por @nonimous em Sex Ago 03, 2018 11:13 pm

Joseph



O policial um mal trapilho fica de frente para Zed, esboça um sorriso e acende um c i g a r r o.

- Que noite.
- Não vamos conversar no meio da rua, eles estão em todos os lugares e dado meu apetite tenho sido vigiado, por onde quer que eu vá tem olhos me observando. Diz ele em um tom de pura paranoia. O homem tira um frasco de p ó branco do sobretudo, um pino transparente recheado de c o c a í n a, deposita o pó nas costas das mãos sujas de s a n g u e, deposita em uma parte seca, avermelhada pela surra que deu no t r a v e s t i e aspira rapidamente, como um viciado em seu último trago.

- Espero que esse filho da p u t a esteja limpo, a última d s t que peguei me deu um p u t a trabalho. Diz ele olhando novamente para Zed, olhos estatelados, enquanto fungava ainda mais forte e cuspia escarro no chão.

- Tenho que disciplinar eles, sabem que tem que pagar para trabalhar.....ah chega de me queixar com um estranho, ah e tem estado cheio de zé ninguém querendo saber coisas, esse Mordered, você não é o primeiro, e algo me diz que não será o último, ninguém quer pagar o preço pela informação, eu sei onde esse mané está, ele t r a f i c a v a cristais....ops. Diz ele pondo a mão na boca, como se tivesse falado demais.
- Eu lhe falo onde ele está, por um preço. Eu quero saber onde os v a m p i r o s dessa cidade se reúnem e qual deles controla a prefeitura. Diz ele fungando mais uma vez



JIM


a porta joga um pouco mais de luz naquela sala sombria, o ar noturno trás um pouco de calmaria dentro daquela sala suja e com um clima beligerante, a mulher cuspia termos de um acordo que parecia um plano dentro de um plano, aquilo era a guerra das eras, peões se acotovelando para agradar alguém que estava sentado em um refúgio seguro, Magnus e Clark de um lado versus Lyanna e seu mestre oculto de outro e de um canto ainda obscuro jazia o príncipe de Nova Orleáns, Marcel Gibreux, um ancião Ventrue rival de Magnus, Clark e Franco esse último o príncipe da capital do Lousiana, Baton Rouge, onde Jim fora um convidado de honra. Lucas a peça chave e articulador daquela negociação estava morto, caiu por ser um filho da p u t a arrogante, não reconhecia seu lugar como mero servo de sangue e ousou se por acima de Ventrue de pedigree, que p o r r a era aquilo, Jim odiava tudo aquilo, aquelas manipulações, intrigas e planos secretos, e agora uma peça surge um tal Mordered que pode f o d e r Vincent Black o cão de caça Brujah de Marcel, a essa hora as coisas ficam distantes, a d r o g a toda é que algum filho da p u t a resolveu sabotar Clark, Clark envia Ann e Jim, eles são sabotados pelo Sabá, o tal do Alejandro Guarrón, um psicopata Lasombra de alta patente, o tal Lasombra então cita, o mandante, L. Blood, bispo, porém Anastazia e Franco, velhacos dessa guerra milenar não reconhece esse nome como umas das peças que jogam do lado inimigo, como se eles tivessem o conhecimento de quem são todos os filhos da m ã e bastardos do Sabá. Então eles precisam descobrir quem é L.Blood, e a únic a pista é um emissário Brujah que vai entregar um pacote na boite de Lyanna uma Ventrue autarca e sua a m a n t e, a gerente que também é Ventrue, provavelmente cria de Lyanna, Amanda. E agora elas querem um tal Mordered para f e r r a r Marcel, o que pode ser bom, já que é uma suspeita natural Marcel e seu mestre de diretório quererem f e r r a r Clark e Magnus.

- Mordered é um arquivo não vivo, ele sabe sobre o L. Blood e que Marcel está até a cabeça envolvido.
A cabeça de Jim dá uma volta completa, ele fica tonto, sua visão fica embaçada, ele em momento algum citou L.Blood, a mulher repetiu palavras que um Sabá disse, aquilo era traição, o corpo dele vai ficando lento a mulher vai se aproximando.

- Está tudo bem?

_________________
Status 01 Ancillae em ascensão
Líder Nato


" Seu tolo, entregou sua lealdade para mestres profanos, agora sinta a dor da traição, não precisar implorar por perdão, eu sou o arauto da morte, nosso clã já te julgou culpado, e pouco me importo, tudo o que sei é que você é uma ameaça, e será expurgada da pirâmide."
avatar
@nonimous

Data de inscrição : 01/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Zed em Sab Ago 04, 2018 1:08 am

Pontos de Sangue: ??? /13
Força de Vontade: 7/7
Vitalidade: 7/7
Humanidade: 3
Efeitos ativos: -


Podia observar um pouco do comportamento do policial. Falava demais, usava muitas coisas em sequência, ele estava vivendo no limite. – Essas doenças de sangue são complicadas. – Por sorte tinha conseguido me manter limpo até aquele dia.

Em meio aquele falatório desenfreado, muita coisa era dita, grande parte desimportante aos meus ouvidos, mas algumas acabavam por não passar despercebidas. “Então ele sabe onde está o tal Mordered... ” Isso facilitava um pouco as coisas, mas também me deixava em maus lençóis com o pedido feito em retorno. – Nada feito. – Negava de imediato com o olhar caído e desinteressado.

- Esse tal Mordered é um lixo, do mesmo tipo que eu, ele não vale de nada pra essa sociedade meio morta. Em troca da localização dele você pede a de um grupo inteiro? – Só restava dar uma risada engasgada. – Então cara, eu admiro suas bolas pra pedir isso, primeiro, eu não sou daqui e não tenho amigos, segundo, ninguém gosta de mim, eu não tenho meios de descobrir esse tipo de coisa, e se eu saísse por ai procurando não acabaria bem. Terceiro, eu não tenho tempo pra isso. – E esse ponto era provavelmente o mais importante de toda a história.

- A única coisa que eu realmente tenho agora pra barganhar é meu sangue. Você pode aceitar e me dar a informação que eu pedi. Ou eu posso ir procurar em outro lugar. Mas nesse caso não vai acabar bem pra você. – Ameaçar um informante era uma boa decisão? Provavelmente não, mas eu também estava no limite. – Você viu meu rosto e sabe mais do que devia. Sem contar que você é corrupto and shit.... Eu já matei por menos. – Meus punhos já estavam fechados e prontos pra acertá-lo no menor sinal de agressividade por parte dele.(Intimidação?)

- Então? O que vai ser? Meu sangue ou o seu? – Caso ele aceitasse a proposta abriria no pulso espaço para ele pudesse beber um pouco. Até que eventualmente ele parasse sozinho ou fosse folgado ao ponto de ser afastado com um empurrão. – Chega. Eu também preciso dele. Agora diga o que eu preciso saber, onde eu acho esse cara? – Após isto, possivelmente seria necessário sair em busca de mais vitae para recuperar o que seria cedido. Caçando por um alvo mais isolado e de aparência “limpa”.


OFF: Não faço ideia de como vai ficar a blood pool agora.
avatar
Zed

Data de inscrição : 08/04/2015
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Samuka em Sab Ago 04, 2018 8:57 am


Take a look this shit, Involving all the once, To the fall be so great
Intrigas para fazer cair, para derrubar, para tirar de cena, ou melhor, para te fuder, e legal, com uma piroca bem grande entrando no seu rabo sem xilocaína, sem ky, sem até um cuspinho. E isso os Ventrue sabem fazer bem, que até a Camarilla institucionalizou.

A luz pálida do corredor de emergência atravessava a fresta da porta, um espacinho com cerca de 5% do comprimento da porta, mas que banhava toda a sala com aquela luz doentia, pois batia nos tacos e refletia​ nas paredes. Contudo, a escuridão tornaria dominar o interior daquele cômodo.

À resposta de sua pergunta, que lhe despertou certo interesse, Jim fechava a porta. E assim, a luz pálida se despedia tendo sua refletividade decrescida em função dos segundos até Jim fecha-la completamente. Que pelo seu interesse, isso se daria bem rápido.

“Clunk” fazia a porta ao bater no portal.
- Mordered é um arquivo não vivo, ele sabe sobre o L. Blood e que Marcel está até a cabeça envolvido.

“Fuck, como ela conhece L.Blood? Ela conhece Alejandro? É Sabá?”, concomitante a este pensamento, Jim era acometido por uma letargia e perda dos sentidos. Tudo girava. O mundo girava e se desmaterializava. “Porra, o que ‘tá acontecendo?”, se questionava olhando para janela na procura se estava amanhecendo. Ele não se drogou, quer dizer, o sangue Sabá que tomou. “Será?”, se perguntava tentando relacionar com a vitae do chicharito.

Jim pisava em falso, seus braços de repente tentavam segurar o vento. Amanda percebia e perguntava

- Está tudo bem?

Apesar de mostrar claramente que não estava, ele respondia:

-”Estou ótimo”-sua mão segurava a cabeça enquanto via duas Amandas se aproximando, um zunido seguido depois do vozerido das ruas agora incomoda-lo.

Jim não abandonará a negociação nem tomará, digamos, uma resolução drástica. Apesar de estranha, a resposta de Amanda lhe agradou. Ela incorporou o espírito matriarcal típico das mulheres, e Jim gostou disso. Pois só quem trilha a Humanidade revelaria uma preocupação dessas. Mas, só isso, um contratozinho com meias  palavras, não será o suficiente para ele se meter nessa merda. Ele responde:

-”E quem me garante que não serei apunhalado pelas costas, traído pelo jeito que você faz bem? Preciso de alguma garantia que, caso venhamos a nos fuder no futuro, prove nosso acordo além de meia palavras e algumas testemunhas suspeitas”-ele então olharia bem aos olhos de Amanda, o que pediria revelará as intenções ocultas de Amanda, finalizando:-”Me garanta um vinculum sanguinis e faço”.


Última edição por Samuka em Sab Ago 04, 2018 7:02 pm, editado 1 vez(es) (Razão : uma vibezinha ala big easy)
avatar
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro/RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Krauzer em Qui Ago 09, 2018 12:03 pm

A voz em sua mente dizia para fugir enquanto era tempo, mas ele não podia sair dali sem Anon. Dev sacava a pistola que Sam havia lhe dado. Ele nunca havia manuseado uma dessas, então precisa usar suas habilidades de sangue para equilibrar sua inexperiência.

(2 pontos de sangue em destreza)

- Estamos em menor numero, então devemos contar com o fator surpresa - Apesar de aparentar confiança, Dev estava apavorado, ele não era do tipo que bota a mão na maça, ele era o cara da cadeira na frente do computador, e podia fazer coisas incríveis pela web, mas não era um guerreiro - vamos tentar derrubar estes quatro antes que nos percebam, então damos um jeito no desperto juntos! - Cochichava ele para a maga.

Ele mirava na cabeça da mulher com o chicote de ossos - Acha que consegue acertar os dois caras antes que nos vejam?

Escondido nas sombras, Dev disparava duas vezes na cabeça da mulher com o chicote.

(1FDV no primeiro tiro)
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por @nonimous em Dom Ago 12, 2018 1:07 am

Dev





Dev não era um combatente habitual, a maior parte de suas lutas são de cunho intelectual ou protegendo suas redes ou invadindo uma rede particular, longe de ser um soldado ele via naquilo muito perigo, e nem sequer havia desenvolvido qualquer habilidade bélica, embora ele sabia que destruir um imortal era uma tarefa hercúlea, ele olha o rosto da garota, parece meio corado, a luz pálida do luar naquela fazenda cria uma moldura angelical.



- Hades e persefone, senhores do escuro, protejam meu corpo e de meu aliado. A garota repete aquilo como um mantra, depois fala em algumas línguas a quais Dev não compreende.

Em seguida elas abre a pele do antebraço com uma unha que agora mais parecia uma garra, o sangue verte descendo freneticamente até tocar o chão, então ela mancha a ponta dos dedos e passa no rosto de Dev.



- Espíritos de Luna protejam esse receptáculo como protegeriam essa praticante.  Minha magica não te afetará, as coisas vão ficar feias por aqui, ok acerte a garota eu pego o Magus nefandi.

Dev flexiona seu sangue para equilibrar sua habilidade manual, o sangue se concentra nos braços, deixando os mais leve facilitando o manuseio da arma, o estalo da munição é seguido de um cheiro de pólvora pesado, é tudo muito rápido a mulher cai, inicia-se uma correria generalizada, em seguida Sam corre bradando uma língua pagâ, e ao arredor dela uma grande vetania com luzes faiscantes parecendo raios, um som metálico e uma esfera negra surge do nada engolindo Sam e o Nefandi deixando o grupo completamente perplexo. A mulher após ser atingida se senta com a cabeça sangrando, enquanto alguns com vestimentas negras correm deixando apenas a mulher sentada e dois capangas olhando em direção a Dev.



Tudo o que ele não queria uma luta sem a  Sam por perto.

Jim Jacobson

A cabeça de Jim começa a pesar como nunca antes aconteceu desde que foi abraçado, como uma cefaleia paralisante, seu corpo começa a fraquejar, seus olhos ficam embaçados, pontinhos negros piscam como se ele tivesse sido vitima de um ataque de algum farol especialmente potente. Suas pernas começam a pesar, seu corpo imortal outrora inquebrável até mesmo diante de balas e armas brancas agora parece vacilar, será que a garota usou algum dom de sangue, foi a primeira coisa que Jim pensou, ela não cometeria tamanha ingerência, isso faria dela uma inimiga de Magnus e do príncipe de Batton Rouge.

- Pelo sangue Jim, que ***** é essa? Pergunta preocupada Amanda.
Em seguida ela o segura quando seu corpo vacila e caí de joelhos, ele sente um fluxo de sangue na sua boca, ouvidos, olhos.
" Um Tremere" Ele pensa. Algum feitiço ou aquilo era obra de algum monstro do Sabá oculto.

Então Amanda segura o corpo Inerte de Jim.

- Holly s h i t, isso vai da s h i t, estamos f e r r a d a s se ele ....A voz tremula da garota é interrompida por um toque de celular, Jim sente a vibração, mas seu corpo não responde, seria Ann, Magnus ou algum lacaio Ventrue?
Amanda enfia a mão no bolso de Jim tirando o celular trincado de Lucas, Jim pode ver que era uma espécie de alarme, alguma nota acrescentada no iphone do falecido carniçal. Amanda aciona, Jim sabe que mesmo travado essas bugigangas podiam ser usadas, casos de receber ligações e alarmes.
Uma mão segura o aparelho a outra dá suporte para que Jim não caia no chão, a punk rapidamente ajuda também.

então o alarme rapidamente abre um player, a voz de Lucas se torna evidente.

" Olá, se vocês está vendo esse vídeo Três coisas aconteceram, a primeira, meu telefone tocou e eu rapidamente o desliguei, e agora você Amanda está furiosa comigo, ou quem sabe até mesmo você Jim, por tanto me perdoem pela intromissão nessa reunião, segunda, estou no piso de baixo caminhando para ser assassinado, mas claro, darei um jeito de fugir, e na porta o telefone  e a arma que Jim carrega foram sequestradas ou por último, e o que é uma pena, terceiro, eu estou morto. Jim Jacobson me assassinou a caminho dessa audiência com Amanda ou Lyanna, mas sabemos que Lyanna é um fantasma e resolve tudo através de Amanda, e se isso aconteceu ele pegou meu iphone e terá fotos dele tocando a tela após toma-lo de de meu cadáver, fotos foram disparadas e enviadas para Santiago, Ann, Franco e Marcel, o que significa que vocês dois estão ferrados, por que obviamente vocês tramaram e me mataram ou pretendiam fazer isso.
Beijocas negras seus filhos da p u t   a.
"Ah quando você bebeu o sangue 007x mulher mulçumana você ingeriu um potente veneno criado para paralisar até mesmo o mais poderoso ancião, você tem algumas horas antes de seu sangue ser mergulhado, você terá hemorragia, o único jeito de se salvar é, o antidoto que está no meu corpo, se você cometer amaranto em outro de  sua espécie ou caso quem sintetizou  para mim resolva lhe ajudar, boa noite.
Quando a transmissão termina Jim vomita sangue, Amanda solta o corpo de Jim e se mostra profundamente desesperada, a garota que a acompanhava levanta e corre em direção a porta, os três certos que aquilo é a sentença de morte, a guarda costas de Amanda se desesperou, quando ela põe a mão na maçaneta Jim ouve um disparo, a punk cai no chão e Amanda com a arma que tirou ladinamente de Jim enquanto ele convalecia.

- M   e  r d  a Jim Jacobson, o que você fez? Indaga a garota enquanto Jim se vê recobrando as forças, mas queria ele não ter conseguido.

Joseph Zedwards



O local para onde Joseph foi levado era um apartamento em um cortiço, o lugar era um prédio abandonado e invadido posteriormente, uma daquelas invasões de movimentos sociais, o lugar fervilhava de ratos e mendigos, embora Joseph tinha dificuldade em discernir qual dos grupos era mais sujo e estava em maior quantidade, estavam por todos os lados, amontoados ao arredor de fogueiras com litros de vodka e comida sendo assada em tambores ou em churrasqueiras improvisadas, lixo está em pilhas pelo lugar, um cheiro podre invade o ar ao ponto de incomodar as narinas pouco sensíveis de Joseph, aquela visão lhe tira um pouco do compasso, embora Joseph estava habituado a miséria humana, já havia matado tanta gente que sangue, sujeira e dejeto humano não lhe embaraçava o suficiente, mas ainda assim aquele lugar, a sarjeta da sarjeta, um lugar escuro, sujo e absolutamente desprovido de saneamento básico, higiene ou dignidade.



Com a desculpa de ter privacidade Ted leva Joseph para um apartamento vazio, paredes na alvenaria pura, partes queimadas, provavelmente porque acenderam uma fogueira para aquecimento ou prover comida quente, Joseph passou por drogados, mendigos, abandonados, famintos, sujos e sem perspectiva.



- Está precisando de uma reforma, mas pessoal aqui é gente boa. Ironiza o policial se jogando em um sofá sujo e com a aparência que foi recolhido de algum lixão.



O muquifo fica no terceiro andar,  janela aos pedaços como todo o lugar, uma cortina suja de sangue e uma coisa marron que Joseph prefere não ter que descobrir o que é.



Quando Joseph abre o pulso e o vitae surge, brilhando rubro, Ted Barrow avança sobre Joseph, bebendo de forma sedenta, Joseph sente um incomodo daquele mortal lhe sugando, como um verme alojado no seu corpo, uma lampreia rastejante que lhe suga o sangue.



Joseph afasta o mortal o empurrando.



- Ok, ok, você me descobriu tenho um problema com a bebida. Diz Ted limpando a boca.



Offtopic - 3 pontos de sangue.



- Ah já ia me esquecendo, seu garoto, bom ele foi sequestrado por um tal Chivral, ele é um líder de um culto de maníacos que o consideram encarnação de uma espécie de divindade Hindu, ele vende escravos, sexuais, crianças, doadores não conscientes de órgãos, sangue vampírico, escravos de sangue e bonecas sexuais, ele é um doce como pode ver, para entrar no culto dele, é necessário um convite, lá é chamado de o Mercado da Dor, poucas pessoas tem esses convites, eu garanti o meu, mas tem um pessoal aí que tem sobrando para vender, a dona do Hells club por exemplo. Ted sorri após dizer isso.

- Mas me diga qual seu interesse nesse escravo?

_________________
Status 01 Ancillae em ascensão
Líder Nato


" Seu tolo, entregou sua lealdade para mestres profanos, agora sinta a dor da traição, não precisar implorar por perdão, eu sou o arauto da morte, nosso clã já te julgou culpado, e pouco me importo, tudo o que sei é que você é uma ameaça, e será expurgada da pirâmide."
avatar
@nonimous

Data de inscrição : 01/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Samuka em Dom Ago 12, 2018 4:33 pm

PdS: 10/10
FdV: 4/7
Humanidade: 6
Vitalidade: 7/7
÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷

Uma das razões, talvez, para que os Ventrue estejam no topo da pirâmide cainita é o rigoroso Agoge, que vai além de um simples abecedário. É o conhecimento de, ou de tudo do, Mundo das Trevas. Daeva, como chamam. O problema é que para muitos neófitos, como Jim, isso parece um monte de baboseiras sem sentido algum. Mas até uma noite você se lembrar, por algum motivo, deles assim de repente, como num reflexo. Era o que acontecia agora com Jim diante desse estado inusitado que era acometido.

Ele se sentia como sem chão, vagando atônito pelas idéias, milhares que o apanhava e deixava-o assustado, como praticamente inerte. “O que tá acontecendo comigo”, se questionava enquanto tentava disfarçar seu estado e caçando com olhos algo real que pudesse responde-lo. Seus olhos com algum tipo de mal ocular não encontravam nada além da própria Amanda. Então, ele pensa:

será que a garota usou algum dom de sangue

“Isso seria uma quebra clara da tradição do elysium”, ponderava instantaneamente ao pensamento supracitado e concluindo que:

isso faria dela uma inimiga de Magnus e do príncipe de Batton Rouge

Mal terminou de pensar e Jim caía de joelhos no chão vomitando sangue*, como sensação de lacrimação nos olhos e saponificação nos ouvidos. Coisas que mortos não sentem. “Fuck, que porra é isso?”, tornava se questionar com seus olhos arregalados diante da situação inusitada observando Amanda que o segurava e perguntava:

- Pelo sangue Jim, que ***** é essa?

Jim a olhava e tentava dizer algo, mas era incompreensível com sua vitae saltando fora pela boca. “Knowledge is the real power”, dizia seu cérebro morto para ele que recordava do Agoge e de um poder de sangue chamado Taumaturgia. “Tremere?”, pensava ele ensaguentado e aos braços de Amanda que dizia:

- Holly s h i t, isso vai da s h i t, estamos f e r r a d a s se ele ....A voz tremula da garota é interrompida por um toque de celular

Quem ligaria numa hora dessas? Até na beira da morte essas atendentes ligam?
Jim ficava ainda mais confuso. Todos ficavam. Ele sentia algo vibrando no paletó. Amanda enfiava a mão no bolso emitindo brilho e tirando o celular do filho da puta do Lucas. Aquele troço brilhando e apitando bem a sua frente despertava mais atenção do que ele regurgitando sangue. Amanda queria ver o que era, mas tava difícil até a punkizinha ajudá-la. Jim via ela segurando-o, enquanto que Amanda curiosa apertava o play.

Então, o filho da puta tornava falar mais uma vez numa espécie de recording.Era o filho da puta apresentando as razões da sua provavel ausência na reuniao com Amanda. Jim paralisado pelo mal que era acometido ficava ainda mais perplexo com a terceira, a acusação. Ele tentava falar algo, a sua defesa, mas era impedido pela sangüera. A gravação do desgraçado então dizia:

o sangue 007x mulher mulçumana você ingeriu um potente veneno criado para paralisar até mesmo o mais poderoso ancião, você tem algumas horas antes de seu sangue ser mergulhado, você terá hemorragia

Jim sofreu um atentado. “Filho da puta”, pensava ele enquanto o desgraçado prosseguia:

o único jeito de se salvar é, o antidoto que está no meu corpo, se você cometer amaranto em outro de  sua espécie ou caso quem sintetizou  para mim resolva lhe ajudar, boa noite

“Boa noite (Rest in hell, motherfucker)”, se despedia Jim em espírito do, como se diz no subúrbio de uma grande podre cidade, 'iffy-man’ ou vacilão, enquanto que de novo regurgitava sangue.

Jim via o pavor na feição da kittyzinha e da punkzinha​. Esta última era alvejada pelas costas quando tentava sair do recinto. “Provavelmente na cabeça”, pensava Jim enquanto caía no chão duro como um saco de nabos, depois que Amanda apanhou sua magnum, soltando-o e atirando contra a própria amiga. “Feminist have not a friendship with other shy pussy, never”, o morto cérebro dele retrucava.“Filha da puta, ela quer me fuder”, concluía Jim.

- M   e  r d  a Jim Jacobson, o que você fez? Indaga a garota

Jim reunia suas forças**, ou o que tinha restado dela, para se levantar ignorando aquela convalescência induzida, e dizendo:
-”Acho que ficou claro com isso quais são seus termos do acordo, né? Só que você se esqueceu, ô sua vadia do caralho, que mortos também têm digital”.

*:

Quero saber se perco PdS ou considero como inalterado

**:

Gasto 1 de FdV pra ignorar o estado e suas penalidades

Jogada:

Jim reunia suas forças, e precisava parar aquela vadia que queria fude-lo. Ele, então, pulsando a vitae que ainda possuía para seus músculos mortos e tendões atrofiados, necrosados, para tornar-se mais destro***, agarrará o braço dela forçando contra a sua própria cabeça. E, logo em seguida, apertará o gatilho estourando os miolos da filha da puta da Amanda.

***:

-1 de PdS para +1 em Destreza
avatar
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro/RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Zed em Dom Ago 12, 2018 5:34 pm

Pontos de Sangue: 4*/13
Força de Vontade: 7/7
Vitalidade: 7/7
Humanidade: 3
Efeitos ativos: -


Seguia o policial até um prédio que a muito parecia ter sido abandonado por qualquer administração competente. As pilhas de lixo, ratos e humanos sujos que invadiam o lugar me causava desconforto. Aquele cheiro podre me enojava ao ponto de sentir um rebuliço no estomago, se ainda estivesse vivo provavelmente estaria prestes a vomitar.

Em uma parte mais privada do prédio, longe da vista dos mendigos, drogados e etc. Abria meu pulso para o carniçal se servir, ele era tão viciado em sangue quanto qualquer um de minha espécie, e não parecia muito moderado também, precisando de um empurrão pra ser interrompido, do contrário ele provavelmente sugaria até a última gota.

Curava o buraco em meu pulso**, enquanto ouvia atentamente. Como já bem sabia, aqueles que perseguia eram perigoso e estavam envolvidos com todo tipo de atrocidade. “Ele foi pego enquanto investigava?.... Inútil maldito. ” E mais um trabalho a ser feito, uma nova trama que não tinha escolha além de involuntariamente ser envolvido. O tabuleiro estava montado e pouco ainda era conhecido. “Eu posso entrar na festa pela porta dos fundos. ” O convite era só um dos vários meios.

- Hells Club? Onde isso fica? – Não estava familiarizado com a região, não era necessariamente meu próximo destino, mas era bom conhecer esta outra alternativa. – Como exatamente é esse convite? – Era algo físico? Um papel? Uma pulseira? – E quanto exatamente isso pode custar? – Essa ele provavelmente não saberia dizer com precisão confiável, mas uma ideia vaga já podia ser um começo. Mas também era um meio de descobrir se o carniçal tinha com ele o convite naquele momento, se eu pudesse pegá-lo agora, mesmo que forçadamente, já iria me adiantar alguns passos. Mas claro, não pretendia demonstrar tais intenções. – E onde exatamente posso encontrar esses cultistas?

Quanto minhas intenções quanto a Mordered. – Bom, é uma longa história, eu levaria a noite toda pra explicar. Vamos resumir com: Eu ouvi que ele sabe sobre alguns assuntos interessantes, e eu queria bater um papo com ele.... Mas pelo visto isso vai ser complicado.... – O carniçal estava do lado dos cultistas? Era seguro divulgar qualquer coisa? Eu já não tinha dito demais? Aquele maldito jogo político do qual sempre tentava ficar afastado agora batia na minha porta. E mesmo que soubesse tão pouco a respeito, tinha noção do quão desastrosos seriam os efeitos colaterais de qualquer vacilo.


OFF’s:
*: Considerei aquele copo no bar como +1.
**: A lambida pra apagar a mordida também funciona em vampiros?
avatar
Zed

Data de inscrição : 08/04/2015
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por @nonimous em Dom Ago 12, 2018 6:57 pm

Jim Jacobson


Offtopic:
Sim, considere a perda de 3 pontos de sangue


Jim sente que seu a perda do controle de seu próprio corpo, uma fraqueza como se fosse anêmico, provavelmente se fosse mortal já estaria morto, aquela perda rápida de sangue causaria falta de oxigenação no cérebro, e morreria em questão de horas caso seu coração aguentasse, sorte dele que não é mortal, mas ainda assim sofre os reveses daquele potente veneno.
Ainda que sangrando e quase caindo diante daquele poderoso ataque, Jim junta suas forças, e indo além do que sua moral pode suportar ele ignora os efeitos daquela " Sicuta" ele reage.

Flexionando mais uma vez sua vitae o que lhe causa um profundo desconforto fisico, ele se vale de seu sangue, mesmo envenenado e tenta agarrar o braço da garota.

Testes:
Amanda rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 6 para absorver que resultou 1, 1, 3, 3 - Total: -2 Sucessos
Jim rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dano que resultou 9, 1, 9, 5 - Total: 1 Sucessos
Jim rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 4 para atirar que resultou 1, 1, 10 - Total: -1 Sucessos
Babs rolou 10 dados de 10 lados com dificuldade 6 para para matar o gen que resultou 10, 9, 9, 6, 7, 2, 9, 6, 5, 6 - Total: 8 Sucessos
Amanda rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 6 para resistir agarrão de jim que resultou 5, 9, 1, 4 - Total: 0 Sucessos
Jim rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 4 para agarrar o braço de amanda que resultou 4, 1, 9 - Total: 1 Sucessos

De fato ele agarra a garota, que apenas esboça um rosto de horror, sabendo que poderia vir um ataque letal, porém Jim pega leve com a bastarda e dispara contra a cabeça dela, então ele reflete naqueles milésimos de segundo, ela também é uma Ventrue, habitualmente os Kindred possuem grande resistência e dificilmente uma arma de fogo causará algum abalo, e claro, se tratando de uma Ventrue que possuem uma blindagem corporal superior aos Kindred "medianos" e isso se revela uma verdade quando mesmo com disparo contra a cabeça a queima roupa, apenas um arranhão pode ser visto, cheiro de pólvora e um pequeno filete de sangue desce na bochecha de Amanda que é arremessada alguns metros, pelo susto do tiro e pelo impacto da arma, que foi majestosamente absorvido pela armadura natura Ventrue, a formidável Fortitude.

- Você perdeu o Juízio? Matou Lucas, e agora me ataca dentro de meu domínio, nem Magnus poderá te livrar dessa seu bastardo.....Grita a Mulher furiosa com Jim.

Em seguida ela caminha em direção a Jim.

- Seu idiota, vai mesmo querer continuar com isso?


Zed

- Você tem muitas perguntas e pouco a oferecer. Diz Ted sorrindo enquanto cheirava um pino de cocaína.

O policial se levanta do sofá um pouco agitado, provavelmente pelo efeito da droga, ou excitação por ter ingerido vitae, ou as duas coisas, e Jim não deixa de pensar que aquilo, o Vitae poderia conceder poderes de sangue para o mortal, os carniçais de ZAckarys era muito fortes e resistente, obviamente devido ao sangue ancião, e nesse momento Joseph ponderou, ele pode ter contribuído para fortalecer um inimigo da Camarilla, mais um crime para sua extensa lista de crimes, o que justifica uma caçada mundial contra ele.

Então em um evento mais rápido que Joseph pode acompanhar, Ted cai no chão, sufocando com seu próprio sangue, e ele pode ver um imenso ferimento no pescoço, mas como aquilo era possível, em questão de segundos.
Ele então ouve uma gargalhada seca, como de um fumante cancerógeno, abafada, sombria e latente, e Joseph reconhece, aquele cheiro de rosa e e formol, aquela gargalhada, era seu progenitor, mas como ele poderia estar aqui.

- Olá Joseph. Diz um voz ainda oculta nas sombras, ainda quele pudesse ouvir os passos pelo corredor, no piso de cima.

- Parece que você tem causado problemas, foi um garota mal quando era vivo e agora que é um morto, está ainda pior. Outra gargalhada.
- Vamos garoto não vai vir aqui me da um abraço? Agora ele podia enxergar das sombras um vulto, uma silhutea, seria outra ilusão

_________________
Status 01 Ancillae em ascensão
Líder Nato


" Seu tolo, entregou sua lealdade para mestres profanos, agora sinta a dor da traição, não precisar implorar por perdão, eu sou o arauto da morte, nosso clã já te julgou culpado, e pouco me importo, tudo o que sei é que você é uma ameaça, e será expurgada da pirâmide."
avatar
@nonimous

Data de inscrição : 01/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Samuka em Dom Ago 12, 2018 7:56 pm

PdS: 6/10
FdV: 3/7
Humanidade: 6
Vitalidade: 7/7
Modificadores: Destreza+1;
÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷÷

A fisiologia de um cainita é, de fato, surpreendente; e, de um blue blood é mais ainda, certamente pelo seu blood trait chamado Fortitude.

Jim usava a capacidade sobrenatural do seu sangue para apurar mais seus movimentos, como sua vontade psicológica para fuder Amanda.

Amanda era surpreendia com a ação de Jim. “Ela acha que vai me fuder fácil”, pensava ela ao ver a expressão de surpresa na cara da vadia. Infelizmente, o disparo a atingiu de raspão. Ela vociferava:

- Você perdeu o Juízio? Matou Lucas, e agora me ataca dentro de meu domínio, nem Magnus poderá te livrar dessa seu bastardo

Jim rapidamente replicava sua acusação:-”Cuidado com o que fala, sua cadela, que provas você tem para dizer isso? Uma gravaçãozinha? E quem garante que não é fake?”

Ela, contudo, caminhava em sua direção e parecia vacilar, “medo?” observava Jim, em retribuir a gentileza ao questioná-lo:

- Seu idiota, vai mesmo querer continuar com isso?

-”Foi você que escolheu assim”, respondia ele categoricamente.

Jogada:

Jim, novamente, tinha outro adversário: ele mesmo; e, como antes isso impede de seu rendimento ser 100% em um combate, o que pode ser um grande problema para seus adversários. Merda da sorte, alguém quer ver ele se fuder travando-o sempre quando surge uma oportunidade. Contudo, Jim é um verdadeiro modern knight e agraciado com o abraço para ser um formidável guerreiro. Então, sua mente programada para Guerra pelos SEALs dizia-o que quem vai cair era ela e morta, porque ele estava de boa. “Am fine, Am so fine”, repetia ele consigo mesmo se concentrando* enquanto observava Amanda se aproximar. Ele, de novo, redirecionaria sua vitae mesmo contaminada pelo seu corpo** e tão logo ela se aproxime, Jim a segurará derrubando-a caindo sobre ela numa montada ala grampling. E, então, a morderá com todo seu coração e vontade***.

*:

Devo gastar 1 de FdV de novo?

**:

-1 de PdS para +1 em Destreza

***:

Após a jogada de resistência dela, é considerado outro turno, não é? Então, posso gastar 1 de FdV pra sucesso automatic o na mordida?



Última edição por Samuka em Seg Ago 13, 2018 5:23 am, editado 1 vez(es)
avatar
Samuka

Data de inscrição : 22/12/2012
Localização : Rio de Janeiro/RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Zed em Dom Ago 12, 2018 9:42 pm

Pontos de Sangue: 4/13
Força de Vontade: 7/7
Vitalidade: 7/7
Humanidade: 3
Efeitos ativos: -


O policial demonstrava uma estranha agitação. A princípio parecia ser obviamente um efeito da cocaína ou do sangue vampírico. Nada preocupante, mas quando ele simplesmente caiu ao chão com sangue escorrendo de um corte no pescoço pude realmente notar que algo estava acontecendo. “What? When!? ” Não intendia como, sem o menor sinal ele se feria de forma mortal.

Havia uma estranha presença familiar, uma gargalhada característica, um cheiro sutil que havia sentido durante um curto período de tempo, mas que havia ficado eternamente marcado em minhas memorias. O responsável pelo meu abraço, meu progenitor estava por perto. Sentia um aperto no peito e hesitava por um único segundo que pareceu uma hora inteira. “O que ele está fazendo aqui? ” Vir da Inglaterra até aquela cidade americana em 18 anos não era tão estranho, eu tinha feito o mesmo, mas por que só agora vir a meu encontro? Sabia pouco, muito pouco, a respeito dele. De que lado ele jogava? Quais eram seus objetivos comigo? Eram muitas perguntas sem resposta. Era de fato grato pelo potencial que tinha sido trazido à tona por aquela noite, mas isso não era motivo o bastante para me fazer confiar ou agir a favor dele.

Fui até o carniçal ferido, ele ainda estava vivo? Valia a pena ajuda-lo? Talvez, mas no momento meu estomago estava vazio. Havia alguém potencialmente perigoso por perto, sentia o impulso de me preparar para uma possível batalha, me alimentando do homem ferido ao invés de tentar prestar qualquer ajuda. Checaria o morto a procura de armas, munição ou qualquer coisa que pudesse ser útil naquele momento. Com um pouco de sorte o tal convite já estivesse com ele e agora estaria trocando de dono.

Seguiria a ideia do vampiro de ir a seu encontro, mas diferente do sugerido não tinha intenção de agir de forma amistosa. Sinceramente ainda não tinha decidido a melhor forma de interagir com ele após tanto tempo. Por isso antes de sair daquela sala procuraria por algum tipo estaca, ou qualquer cadeira de madeira que pudesse ser quebrada para um improviso similar. Queria poder ter uma conversa tranquila com meu criador, mas ao mesmo tempo me preparava para empalar seu peito caso fosse necessário.

- É você mesmo?... – Perguntaria no caso de encontra-lo, dando uma boa olhada nele, de cima a baixo procurando por uma aparência similar ao homem de 18 anos atrás. – Então.... Sem dizer quase nada me transformou nisso e foi embora.... – Começava, a princípio em um tom mais sério, mas abrindo um sorriso logo em seguida. – Não me entenda errado, eu gosto desses poderes e tudo.... Eu só não gosto de pais que abandonam os filhos pra comprar cigarros e voltam como se nada tivessem acontecido depois de vários anos sem nenhuma explicação. – Ainda que mantivesse o sorriso, meu olhar era penetrante e analítico, procurando por sinais de ativação de poderes estranhos ou simplesmente agressividade. – Ainda da pra compensar o tempo perdido, que tal começar me dizendo seu nome? – Afinal, não sabia nem mesmo este mínimo.
avatar
Zed

Data de inscrição : 08/04/2015
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Krauzer em Sex Ago 17, 2018 1:17 pm

Droga, Sam tinha que deixar de seguir seu plano. Ao menos ela manteria o desperto ocupado, mas a situação de ambos ainda era crítica, a mulher baleada havia sido ferida, mas não morta. Haviam ainda os dois capangas que em breve estariam em cima dele se não fizesse algo rapidamente.

Antes que eles pudessem agir, Dev mantém sua tática, mirando dois disparos na cabeça do primeiro capanga (1FDV no segundo disparo).

Sua esperança era derrubar ao menos um deles, e talvez conseguisse dar conta do outro quando este o alcançasse. Dev nem mesmo teve a chance de averiguar como Anon estava, e ainda havia o perigo da mulher que ainda não havia sido morta e do desperto vencer Sam. Definitivamente a situação estava crítica...
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 48

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por @nonimous em Sex Ago 17, 2018 7:37 pm


Quando saiu da penumbra Zed conseguiu pode vislumbra a aparência de seu progenitor, era um homem de meia idade, calça preta, um sobretudo negro de algodão com uma camisa branca de do século XIX, tinha cabelos curtos e bem cortados , seu rosto era fino ostentando um bigode e costeleta característico de gentlemen do século XIX, parecia ter no máximos uns 40 anos.

- Ah quanto tempo minha criança, já estava sentindo saudades de você. Após dizer sua saudação ele caminha até o c a d á v e r de Ted Barrow, isso após Zed o drenar, a sensação de êxtase ainda fluía pelo corpo de Joseph, somado a confusão daquela estranha aparição.

- Eu pediria desculpas, mas isso não combina com nenhum de nós dois, superamos e seguimos. Diz ele ficando perto de Joseph, que não sente nada por seu senhor, esperava algum vínculo místico já que foi o sangue dele que o trouxe dos mortos, isso claro, depois de ser assassinado por ele.

- Mas as coisas mudaram desde então, o velho mundo é um lugar ruim para se ser um desgarrado, acredite eu sei disso, tenho fugido por quase dois séculos, não vou me queixar da solidão ou culpa, até me divirto, mas parece que algum filho da p u t a eliminou todas as minhas crias, a última delas, Mordered parece ter desaparecido nesse inferno de cidade,ah..mordered, eu o observei assim como o observei você, por muitos anos, ajudando você a fugir da fúria de Zackary, e é impressionante como vocês se parecem....aliás temos que sair daqui. diz o ancião.

_________________
Status 01 Ancillae em ascensão
Líder Nato


" Seu tolo, entregou sua lealdade para mestres profanos, agora sinta a dor da traição, não precisar implorar por perdão, eu sou o arauto da morte, nosso clã já te julgou culpado, e pouco me importo, tudo o que sei é que você é uma ameaça, e será expurgada da pirâmide."
avatar
@nonimous

Data de inscrição : 01/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Zed em Seg Ago 20, 2018 3:10 am

Pontos de Sangue: 13/13
Força de Vontade: 7/7
Vitalidade: 7/7
Humanidade: 3
Efeitos ativos: -


O vampiro não parecia nem um pouco agressivo ou perigoso. De forma totalmente contraria, ele era elegante e educado, condizendo com sua aparência de cavalheiro de alguns bons anos atrás. “Que cara insensível... ” Ele me abandonava a própria sorte e ainda dizia ter saudades, mas tinha de concordar, não era realmente importante um pedido de desculpas.

Bebendo a vitae do policial, notava uma certa inquietação crescente. “Droga, a cocaína. ” No calor do momento, sentindo a eminencia de um possível perigo tinha até esquecido deste detalhe. E agora que sabia que meu sire não era uma ameaça, parecia até estupido aquele olhar vidrado e esbugalhado enquanto ouvia aquela história. – Então esse Mordered é tipo meu irmão? – Disparava apressado assim que ele terminava a frase. Ele tinha pressa pra sair dali, e naquele momento estava me sentindo elétrico e empolgado, pronto pra qualquer coisa, inclusive sair dali rapidamente. – Bora, bora, bora. – Ia apressado até a porta e já o acompanhando aonde quer que fosse, mas não sem continuar a falar, ainda elétrico.

- Esse Zakarys é um filho da puta mesmo, me persegue a tempo pra caralho. – Reclamava sem dar chance de respostas. – Mas eu escapei dele sozinho, eu nunca te vi, quando que você ajudou? – Por que estava perdendo tempo com aquelas perguntas? Eu não queria respostas para elas uma vez que tinha assuntos mais importantes a resolver. – Meu coração cara, eu preciso dele de volta, eles pegaram meu coração. Eles também pegaram esse meu irmão. A gente tem que ir atrás deles cara. Pegar tudo de volta. – Sorria exageradamente, ainda sem piscar, completamente imerso naquela empolgação da droga. Fazia um tempo desde a última vez e estava com a tolerância baixa pelo visto. Mas em poucos minutos isso já seria diluído e conseguiria voltar ao meu “normal”.

- Okay... Então, Mordered estava investigando sobre o que está acontecendo por aqui antes de ser pego, foi a mando seu? – Isso apenas ajudaria a seguir para a próxima pergunta. – Então vocês são da Camarilla?... Ou não(?) – O único lado positivo de esperar tanto pra se apresentar, é que agora ele teria um bocado a menos de trabalho pra explicar sobre ele próprio. O lado negativo é que já teria minhas próprias opiniões formadas sobre algumas coisas, e isso podia ir contra seus interesses. Lidando com o Sire, sentia-me extremamente desconfortável. Uma parte de mim, a parte lógica, não me permitia a simplesmente confiar e seguir um estranho sem mais explicações, porém uma parte mais sentimental, que nem mesmo gostava de admitir ter, sentia-se estranhamente confortável perto do sujeito. Como se realmente pudesse acreditar em suas palavras. E ter consciência disso só fazia a parte lógica gritar ainda mais forte. Principalmente sabendo o quão problemático eram os mais antigos não-vivos. – Então... Pra onde estamos indo? – Perguntaria uma vez que calmo o bastante pra raciocinar.


OFF: Sangue Full?
avatar
Zed

Data de inscrição : 08/04/2015
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Tempestade Do Século

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum